destaques
conteúdo
publicidade
supernova
  • O curador alemão Jochen Volz, diretor da Pinacoteca do Estado de Sao Paulo, faz parte do comitê que decidirá o nome do curador da 19ª edição da Documenta de Kassel (Alemanha), em 2019. O comitê é composto ainda por Frances Morris (diretor da Tate Modern), Gabi Ngcobo (curadora da Bienal de Berlim) e Charles Esche (diretor do Van Abbemuseum, em Eindhoven, na Holanda).
  • Bomba! Bomba! Bomba! Depois de 21 anos de atividade, a histórica galeria de arte nova-iorquina Cheim & Read, de John Cheim e Howard Read, vai fechar seu espaço em Chelsea e se transformar em um escritório de arte dedicado apenas ao mercado secundário e projetos especiais! Realmente é o final dos tempos! A Cheim & Read representava artistas como Jenny Holzer e Sean Scully, e era presença garantida nas maiores feiras de arte do mundo.
  • O curador mexicano Pablo León de la Barra (1972) é o novo agregado da equipe da Semana de Arte, megaevento artístico paulistano conduzido pelos galeristas Luisa Strina e Thiago Gomide, pelo curador Ricardo Sardenberg e pelo empresário cultural Emilio Kalil. Sua 2ª edição acontecerá de 31/8 a 3/9/18, no Pavilhão das Culturas Brasileiras. De la Barra é curador de arte latinoamericana no Solomon R. Guggenheim Museum (NY). Foi curador-chefe do MAC Niteroi, dirigiu a Casa França Brasil, fundou e co-curou as duas primeiras edições da Bienal Tropical de San Juan (Porto Rico, 2011 e 2016), co-curou o SITE Santa Fé Biennial (Novo México, 2016) e curou o pavilhão mexicano na Bienal de Veneza em 2017.
  • O júri do Prêmio Pinchuk de Arte da Geração Futura, no valor de US$ 100 mil, dado a um artista com menos de 35 anos, acaba de ser anunciado e inclui a curadora do MOCA, Helen Molesworth, o curador do Guggenheim Pablo León de la Barra, o diretor artístico da Royal Academy, Tim Marlow, a curadora-chefe de Pompidou, Christine Macel, e o presidente da Fundação de Arte de Sharjah, Hoor Al Qasimi.
  • A artista plástica Lina Wurzmann não faz mais parte da organização da Feira Parte. De acordo com a ex-sócia Tamara Perlman, Lina continua a atuar pontualmente na feira, como fez recentemente na edição do evento em Belo Horizonte. A feira paulistana continua sob direção Carmen Schivartche e Tamara Perlman.
  • A edição 2019 da feira SP-Arte já tem data marcada. Acontece entre 3 a 7/4.
  • A querida amiga do Mapa das Artes Sophie Su acaba de informar que, depois do Mapa das Artes São Paulo e do Mapa das Artes Rio de Janeiro (este último já extinto; ambos editados aqui em São Paulo pela Rex Textos), Mapa de las Artes Buenos Aires e Mapa de las Artes Bogotá (duas produções de nossos queridos vizinhos do Mercosul), surge agora a primeira versão européia: o Mapa das Artes Lisboa (http://mapadasartes.pt)
  • "Um título é uma nota promissória num bolso. Às vezes, um título encosta de leve numa vista relembrada ou é uma conversa entreouvida, uma linha de inventário, uma melodia favorita, uma rua. Às vezes, é uma provocação, a reinvidicação de um espaço partilhado com uma pessoa que tem importância para mim. Às vezes, é uma pedra atirada na direção oposta para distrair a atenção. Dar nome a uma obra é o primeiro passo para deixá-la partir, abrindo espaço para um novo início” (Edmund de Waal, em “O Caminho da Porcelana – A Jornada de uma Obsessão” (Editora Intrínseca).
  • A imagem de Beto, o rabugento e adorável astro da Vila Sésamo, observando a polêmica pintura “A Origem do Mundo” (1866), de Gustave Courbet (1819-1877), no Museu de Orsay, em Paris, bateu o recorde de likes do instagram do Mapa das Artes (www.instagram.com/mapadasartesoficial). A imagem já recebeu 607 curtidas em dois dias de exibição. O recorde anterior era do artista ativista chinês Ai Weiwei (1957) durante manifestação contra a censura no vão livre do Masp em 20/10/17, com 521 curtidas,
  • "Brigar com um engenheiro é como fazer um porco rolar na lama. Depois de algum tempo, você percebe que ele está se divertindo...". Frase do genial arquiteto italiano Renzo Piano, autor dos projetos do Centro Georges Pompidou (Paris), Whitney Museum (Nova York), Fundação Beyeler (Basiléia) e outros.