destaques
conteúdo
publicidade
supernova
  • No túnel do tempo 1... O MuBE, que todo mundo conhece como Museu Brasileiro de Escultura finalmente se encontrou com seu nome original: Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia. Sob nova gestão desde o ano passado, o museu foi criado pela SAM - Sociedade dos Amigos dos Museus em 1986 depois de uma grande luta de mobilização de toda a sociedade civil paulistana, que era contra a derrubada das árvores e a construção de um shopping center no local! Se fosse hoje, com a sociedade civil, a elite, a mídia e o empresariado mais burros do que nunca, certamente teríamos um novo shopping center...
  • No túnel do tempo 2 Para a escolha do projeto do prédio do MuBE, foi realizado um concurso vencido por Paulo Mendes da Rocha, que acabou se tornando um marco da arquitetura mundial. Os jardins foram projetados por Roberto Burle Marx... Com o tempo, o museu ganhou ainda uma benvinda passagem que o uniu ao vizinho Museu da Imagem e do Som... A volta do velho nome deverá ser apresentada no novo site do museu, que está em construção...
  • A conta no Instagram do portal Mapa das Artes (www.instagram.com/mapadasartesoficial/) atingiu hoje, quinta-feira, 06/07/2017, a marca de 4.000 seguidores. São mil novos seguidores em menos de dois meses! Será que o pessoal interessado em artes plásticas está aumentando?
  • Está ruim pra todo mundo 1! Até para o artista norte-americano Jeff Koons, que em 12/11/2013 teve sua escultura “Balloon Dog (Orange)”vendida na Christie’s de Nova York por US$ 58,4 milhões... Considerado um dos mais bem sucedidos artistas vivos do planeta, Koons demitiu cerca de 30 funcionários de seu ateliê em junho último e mantém agora apenas 30 funcionários em sua fábrica de pinturas e esculturas.
  • Está ruim pra todo mundo 2! Esse é o terceiro corte que Koons realiza em seu time desde 2015, quando mais de 100 artistas trabalhavam na produção de sua mostra “Gazing Ball Paintings” (2015), sua estreia na Gagosian Gallery. Logo depois da mostra, cerca de 30 funcionários foram dispensados. Outros 15 ou 20 foram demitidos em 2016. Nem Koons, nem a Gagosian e muito menos os funcionários remanescentes comentam os cortes, mas comenta-se que eles se devem às poucas vendas na exposição da Gagosiam em 2015. Algumas das obras daquela mostra podem ser vistas na mostra antológica de Koons na Gagosiam de Los Angeles até 18/8/17.
  • A galeria Fortes D’Aloia & Gabriel (antiga Fortes Vilaça) vai escalar duas artistas top de linha para a sua programação na Carpintaria (Rio de Janeiro) durante a feira ArtRio: a carioca Adriana Varejão e a portuguesa Paula Rego dividirão o espaço expositivo no Jockey Club carioca entre 2/9 e 4/11.
  • O louvável afã filantrópico do colecionador Orandi Momesso parece não ter limites. Acostumado a doar valiosas obras de arte e patrocinar exposições de alto nível em instituições como MASP, MAM e Pinacoteca do Estado, Momesso agora se prepara para um projeto ainda mais audacioso. Vai organizar uma mostra do artista paulistano Raphael Galvez (1907-1998) com obras de sua coleção na Galeria e Arte Almeida e Dale e doar o montante de todas as vendas para a organização Médicos sem Fronteiras. A mostra acontece entre 17/8 a 17/9.
  • O catálogo raisonné em três volumes da obra do artista plástico cearense Leonilson (1957-1993) será lançado no Espaço Cultural Unifor, em Fortaleza, em 30/6. Organizado pelo Projeto Leonilson, dirigido por Ana Lenice Dias, irmã do artista, o catálogo traz documentação de cerca 3.800 obras. O mais completo levantamento já realizado no Brasil tem ainda lançamento agendado para 28/9 em Nova York, no Americas Society and Council of the Americas. E ainda este ano deverá ser lançado em São Paulo, em data e local ainda não definidos. A obra de Leonilson é tema da mostra “Leonilson: Arquivo e Memória Vivos”, com cerca de 120 obras, em cartaz no Espaço Cultural Unifor, em Fortaleza, até 9/7. A curado
  • O céu é o limite 1. O artista plástico Eduardo Kac, representado pela galeria carioca Luciana Caravello, se prepara para uma impressionante maratona de exposições individuais e coletivas em 2017, seja no Brasil quanto no exterior. Sua mais recente produção, a série “Inner Telescope”, será apresentada em 2017 em mostras individuais em Paris (Galerie Charlot, de 8/6 a 27/7) e no Rio de Janeiro (Luciana Caravello, de 20/7 19/8). As obras participam ainda de coletivas em Linz, na Áustria (Arts Electronica Festival, de 7 a 11/9) e em Seoul, na Coréia do Sul, no evento Da Vinci Creative 2017, no Seoul Art Space Geumcheon (de 1/9 a 30/12).
  • O céu é o limite 2. A obra “Inner Telescope” já ganhou uma página inteira no jornal “New York Times” e destaque em veículos como “ArtPress”, “Beaux Arts”, “Le Figaro”, “Huffington Post”, “La Nación” e “Connaissance des Arts”. O filme-documentário “Inner Telescope, A Space Artwork by Eduardo Kac”, dirigido por Virgile Novarina, estreou em Paris no último dia 2/6.