Mapa Das Artes http://www.mapadasartes.com.br Mapa Das Artes - O portal de arte brasileiro pt-br Mapa Das Artes http://www.mapadasartes.com.br/img/cid1.gif http://www.mapadasartes.com.br 217 33 Centro Cultural Vale Maranhão recebe inscrições de editais de ocupação http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12840&ncid=1000&pg=0 O Centro Cultural Vale Maranhão recebe inscrições até 14/07/17 para editais de ocupação de seus espaços. O Ocupa CCVM seleciona projetos de todo o Maranhão, que tenham interesse em ser exibidos nos espaços do Centro Cultural Vale Maranhão nos meses de agosto e setembro de 2017. Já o Pátio Aberto oferece programação gratuita ao público do centro histórico nos finais de semana, abrindo oportunidade de exibição para artistas da cultura popular, música, teatro, performance, dança e audiovisual. Serão selecionados 24 projetos para realização aos sábados de apresentações ou oficinas no Pátio. O regulamento e o formulário estão disponíveis pelo site oficial e a inscrição deve ser enviada por email, pelo correio ou entregue na recepção do CCVM, de terça-feira a domingo, das 10h às 19h, para o endereço Av. Henrique Leal, 149- Praia Grande, São Luís/MA- CEP: 6510-160. | Mais informações www.ccv-ma.org.br. Pinacoteca recebe lançamento da revista Ars e conversa com autores http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12839&ncid=1&pg=0 A Ars, revista do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Comunicações e Arte da USP, é lançada em 24/06/17, às 14h, com uma conversa com autores no auditório da Pinacoteca do Estado, na Luz. Participam o curador e crítico de arte Agnaldo Farias, o artista Claudio Mubarac e o escritor Ricardo Lisias, autores que publicaram nos dois últimos números da revista. A Ars propõe um foco ampliado da produção artística contemporânea com trabalhos relevantes no debate sobre arte e realizados dentro do meio universitário e fora dele. O leitor pode encontrar pesquisas acadêmicas originais e inéditas, ensaios visuais, escritos de artista, entrevistas e traduções, que aproximam as artes visuais em outros campos ao interrogar as próprias perspectivas da arte no contexto contemporâneo. | Auditório Pina_Luz (Pinacoteca do Estado) Luz: Praça da Luz, 2, São Paulo – SP. www.revistas.usp.br/ars Museu do Oratório comemora aniversário de Ouro Preto com concerto http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12838&ncid=1091&pg= O Museu do Oratório presenteia a cidade de Ouro Preto em 24/06/17, às 18h, com um concerto especial, com o flautista Maurício Freire e a cravista Elisa Freixo apresentam um repertório com obras de J. Bodin de Boismortier, Carl Philipp Emanuel Bach, Georg Friedrich Haendel e Johann J. Quantz. O evento marca o descobrimento da cidade, que em 24 de junho de 1698, a bandeira de Antônio Dias vislumbrou o pico do Itacolomi e acessou o local onde, antes, haviam descoberto ouro recoberto por óxido de ferro. O concerto é gratuito e as entradas podem ser retiradas na sede do Museu do Oratório, a partir do dia 21/06. | Museu do Oratório Adro da Igreja do Carmo, 28 - Ouro Preto – MG. Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental chega à sua 19ª edição http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12837&ncid=1000&pg=0 O 19º Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA) ocorre entre 20 e 25/06/17 e traz programação de filmes de 11 países, além de obras que serão exibidas em mostras paralelas com temáticas sobre a água e radioatividade, na cidade de Goiás. Também estão previstos minicursos e oficinas de cinema e meio ambiente para os frequentadores do festival, além de variada programação cultural. Uma das principais atrações será o cineteatro São Joaquim, que estava fechado há dois anos para reformas, e foi reinaugurado no início do mês, justamente para sediar o festival. Este ano o artista goiano Pitágoras Lopes Gonçalves assina a ilustração do festival. Mostra competitiva Os filmes selecionados para o FICA 2017 lançam luz sobre problemáticas atuais através de documentários brasileiros, como a sustentabilidade “Contagem regressiva” (RJ); o genocídio contra os índios Guarani Kaiowá em “Martírio” (PE), e a epidemia da depressão, do “Tarja Preta” (PE). O júri da mostra competitiva é composto por Ilda Santiago, Marília Rocha, Sandra Kogut, Dora Jobim e a norte-americana Michelle Stethenson. Inédito A abertura do FICA este ano contará com a exibição do filme “Caminho do Mar”, do diretor Bebeto Abrantes. Bebeto tem extensa passagem por canais como Globo, Futura, Discovery; e recebeu prêmios no New York Film Festival, além de ter sido finalista do Emmy Awards 2000 e 2005. O documentário, que será exibido pela primeira vez durante o FICA, conta a história do Rio Paraíba do Sul, que abastece a região metropolitana do município do Rio de Janeiro. | Mais informações: www.fica.art.br MAM realiza rodas de conversas no Dia Mundial do Refugiado http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12835&ncid=1&pg=0 O Museu de Arte Moderna de São Paulo, em parceria com o ADUS – Instituto de Integração do Refugiado, promove dois bate-papos em comemoração ao Dia Mundial do Refugiado (20/06). A primeira roda de conversa “Fronteiras e Culturas” ocorre em 20/06/17, às 19h30, tem participação de André Naddeo, jornalista e voluntário independente que atua na crise dos refugiados na Grécia, do togolês Cedric MataawèBinoa, formado em Sociologia da Educação e em Línguas Estrangeiras, e Marcelo Haydu, diretor do ADUS – Instituto de Integração do Refugiado. Mediação do artista Lourival Cuquinha. O evento ainda tem apresentação da banda Os Escolhidos, composta por integrantes da República Democrática do Congo e da Angola. O segundo encontro ocorre em 24/06, das 12h às 17h30, na marquise da área externa do museu, uma Feira étnica de Refugiados e o bate-papo “Relatos e histórias” com Anas Obaid, jornalista sírio que trabalha no Brasil como perfumista e vendedor de artesanatos árabe, e Shakiru Olawale Kareem nigeriano professor que vive e trabalha no Brasil. | Museu de Arte Moderna de São Paulo Vila Mariana: Parque do Ibirapuera, av. Pedro Álvares Cabral, s/nº - Portão 3 Tel.: (11) 5085-1313 www.mam.org.br | educativo@mam.org.br Fotógrafo Marcelo Oséas lança livro sobre o agreste pernambucano http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12833&ncid=1&pg=0 O fotógrafo paulistano Marcelo Oséas lança em 02/07/17, às 15h, o livro “O Agridoce Agrestino”, no 1268 Café no bairro da Vila Mariana. A publicação retrata as singularidades do agreste de Pernambuco, onde sua família tem suas raízes, e foca em elementos e texturas de uma região normalmente tomada por mazelas, cores e viço, com celebrações ao santo padroeiro e festejos populares. A partir das 15h30, o fotógrafo puxará um bate-papo sobre o conceito do livro com os presentes. | 268 Café Vila Mariana: r. Berta, 111. São Paulo - SP Artista Cildo Oliveira ministra curso de narrativas visuais no CPF Sesc http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12832&ncid=1&pg=0 O artista Cildo Oliveira ministra entre 20/06 e 06/07/17 o curso “Narrativas Contemporâneas, novos paradigmas” no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc. O curso tem por objetivo discutir o processo de transição da arte moderna para a arte contemporânea e elaborar uma reflexão transdisciplinar entre novos e complexos vínculos entre artista e obra, artista e espaço, artista e espectador; obra e espaço, obra e espectador, a partir da produção de artistas nacionais e internacionais atuantes neste período. Os encontros ocorrem nas terças-feiras e quintas-férias, das 19h30 às 21h30. 30 vagas. Investimento R$ 60 (inteira); R$ 30 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública); R$ 18 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes). Tradução em Libras disponível, solicitando com no mínimo dois dias de antecedência da atividade através do e-mail centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br. Informações e inscrições pelo site (sescsp.org.br/cpf) ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo. Confira o programa: | 20/06 - Narrativas mestras e o fim da arte Reflexão sobre os movimentos que caracterizam o modernismo. A questão do estilo; estruturas históricas fechadas e identidade; estruturas históricas abertas. Cubismo: Picasso - Braque; Fauvismo: Vlaminck - Matisse; Surrealismo: Salvador Dalí - René Magritte; Dadaísmo: André Breton; Expressionismo: Jackson Pollock - Willlem de Kooning; Pop Art: Richard Hamilton - Andy Warhol - Claes Oldenburg - Roy Lichtenstein. 22/06 - Do contexto da obra e do artista A desconstrução das representações e estruturas históricas por estruturas abertas, na qual o principal foco era o anti-esteticismo e a adoção de outras linguagens como o texto e a fotografia. Arte Conceitual: Marcel Duchamp - John Baldessari - Jenny Holzer - Joseph Beuys - Piero Manzoni - Joseph Kosuth - Sol LeWitt - Lygia Clark - Doris Salcedo 27/06 - Os novos territórios da obra As relações da obra com o espaço, no âmbito interno com instalações e apropriações espaciais e a exploração do espaço externo com a Land Art e Arte Urbana. Instalações: Cildo Meireles - Helio Oiticica - Damien Hirst - Rachel Whiteread Adriana Varejão – Tunga; Land Art: Richard Long - Andy Goldsworth - Christo - Jeanne-Claude - Olafur Eliasson; Arte Urbana: Keith Haring - Alex Vallauri - Banksy 29/06 - O discurso da fotografia Como a fotografia inicialmente documental criou sua própria narrativa? Considerando a mediação da realidade o fato central da vida contemporânea, busca se pensar a fotografia como exemplo maior de sua mediação. Fotografia: Alfred Stieglitz - Henri Cartier-Bresson - Robert Mapplethorpe - Cindy Sherman - Annie Leibovitz - Diane Arbus - Rosangela Rennó - Claudia Andujar - Evandro Teixeira - Vik Muniz 04/07 - A arte reprogramada I A incorporação das mídias contemporâneas nos processo criativos e a transformação no modo de ver e pensar nas artes; Cinema: O Livro de Cabeceira - Peter Greenaway (projeção do filme) 06/07 - A arte reprogramada II A incorporação das mídias contemporâneas nos processo criativos e a transformação no modo de ver e pensar nas artes. Vídeo Arte: Nan June Paik - Bill Viola - Matthew Barney; Performance: Yves Klein - Joseph Beuys - Vito Acconci - Marina Abramovic - Ana Mendieta; Arte Relacional: Rirkrit Tiravanija - Pierre Huygh | Centro de Pesquisa e Formação do Sesc Bela Vista: r. Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar. Tel:(11) 3254-5600. Valu Oria Galeria apresenta mostra de fotógrafos de diferentes gerações http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12831&ncid=1&pg=0 A Valu Oria Galeria de Arte inaugura entre 22/06/17, às 19h, a 01/07/17 a exposição “Um Recorte da Fotografia Brasileira” em São Paulo. A mostra reúne um grupo de artistas de diferentes gerações, desde históricos até jovens iniciantes, que vem se destacando dentro do processo da Fotografia. São exibidos trabalhos diversificados, sobre diferentes temas, técnicas e enfoques, visando apresentar um amplo panorama de imagens. Participam Albano Afonso, Anaisa Franco, Annarrê Smith, Betina Samaia, Beth Moysés, Bruno Cazarini, Cássio Vasconcellos, Celina Portella, Claudia Jaguaribe, Claudio Edinger, Cristina Motta, Eduardo Muylaert, Eva Castiel, Frederico Pinto, Fulvia Molina, German Lorca, Gustavo Prata, Helena Marins Costa, Hugo Fortes, Jean Manzon, Josely Carvalho, Luis Esteves, Marcia Xavier, Miguel Rio Branco, Monica Mansur, Nino Cais, Paulo Cesar Soares, Paulo Humberto, Renata Padovan, Rochelle Costi, Rosa de Luca, Sebastião Salgado, Tadeu Jungle, Thomaz Farkas e Vik Muniz. | Valu Oria Galeria de Arte Jardim América: Rua Groenlândia, 530. Tel:.(11) 99913-2448. Seg. a sex., 11h/19h. Sáb., 11h/14h. Eduardo Kac, Marilá Dardot e outros brasileiros no exterior http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12830&ncid=1000&pg=0 A mineira Marilá Dardot (Galeria Vermelho) participa da mostra coletiva “Unanimous Night”, no Contemporary Art Centre (CAC), em Vilna, na Lituânia, entre 16/6 e 30/8. | O Museu Serralves, em Lisboa, recebe a itinerância da 32ª Bienal de Arte de São Paulo entre 30/6 e 29/10. | O artista plástico Eduardo Kac, representado pela galeria carioca Luciana Caravello, se prepara para uma impressionante maratona de exposições individuais e coletivas em 2017, seja no Brasil quanto no exterior. Sua mais recente produção, a série “Inner Telescope”, será apresentada em 2017 em mostras individuais em Paris (Galerie Charlot, de 8/6 a 27/7) e no Rio de Janeiro (Luciana Caravello, de 20/7 19/8). As obras participam ainda de coletivas em Linz, na Áustria (Arts Electronica Festival, de 7 a 11/9) e em Seoul, na Coréia do Sul, no evento Da Vinci Creative 2017, no Seoul Art Space Geumcheon (de 1/9 a 30/12). A obra “Inner Telescope” já ganhou uma página inteira no jornal “New York Times” e destaque em veículos como “ArtPress”, “Beaux Arts”, “Le Figaro”, “Huffington Post”, “La Nación” e “Connaissance des Arts”. O filme-documentário “Inner Telescope, A Space Artwork by Eduardo Kac”, dirigido por Virgile Novarina, estreou em Paris no último dia 2/6. A trajetória das obras de Kac no exterior prossegue com a exibição de obras da série “Minitel” na mostra “Electronic Superhigheway”, no Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia de Lisboa (entre 1 e 30/9), na mostra online “Net Art Anthology - Rhizome”, organizada pelo New Museum de Nova York, e na mostra “Shadow & Space”, em cartaz neste verão norte-americano na Thoma Foundation, em Chicago. Para completar, os trabalhos de Kac realizados em xerox e fax, no início da década de 80, terão espaço no Pacific Standard Time Festival da Getty Foundation e serão exibidos na mostra “Copyart: Experimental Printmaking 1970-1990”, na Hoehn Family Galleries (Universidade de San Diego, entre 1/9 e 30/12). | Jarbas Lopes (Galeria Luisa Strina) realiza a mostra individual “Eau”, com curadoria de Elfi Turpin, no CRAC Alsace, em Altkirch, na França, entre 15/6 e 17/9. | O paulista, de Ourinhos, Henrique Oliveira (Galeria Millan) realiza sua tem primeira individual em Nova York. A mostra acontece na Van de Weghe Gallery até 30/6. | Entre 1/6 e 22/10, a Milwaukee Avenue, em Milwaukee, cidade mais populosa do Estado do Wiscosin, nos EUA, receberá a escultura “Vortex”, do artista gaúcho Saint Clair Cemin (Galeria Bolsa de Arte de Porto Alegre). Trabalho de 2012, essa obra monumental é uma espécie de torre de aço de 12 metros por três metros de largura, que espelha as nuvens ao mesmo tempo que aparenta mover-se em direção a elas. | A dupla Dias & Riedweg (Galeria Vermelho) participa da mostra coletiva “Nuestro Deseo es Una Revolución. Imágenes de la Diversidad Sexual en el Estado Español (1977-2017)”, em cartaz no CentroCentro, em Madri, entre 22/6 e 1/10/17. | Individual no Palazzo Cini, em Veneza, recebe fotocolagens de Vik Muniz. A mostra “Afterglow: Pictures of Ruins” apresenta fotografias em grandes formatos de colagens que o artista compôs a partir de pinturas de lugares antigos de artistas como Hubert Robert e Caspar David Friedrich. À distância, elas se assemelham às pinceladas descontroladamente expressionistas dos Antigos Mestres, mas vistas de perto evidenciam cada pequeno pedaço de papel, fotografia e texto utilizados por Vik Muniz. Com curadoria de Luca Massimo Barbero, diretor do Institute of Art History, a exposição apresenta fotografias e uma escultura em vidro produzidas pelo artista em um processo que envolve a recriação de obras familiares no imaginário coletivo através de um processo bastante pessoal do artista. Em cartaqz até 24/7. | O carioca Daniel Lannes (Luciana Caravello Galeria de Arte) realiza sua primeira individual em Berlim, na Alemanha. A mostra “A Luz do Fogo” apresenta oito telas e acontece na galeria Magic Beans entre 1/6 e 2/8/17. | O artista Daniel Lie (Casa Triângulo) apresenta suas obras nas mostras coletivas “Kompakt? (World Compact) - Out of Brazil”, com curadoria de Ursula Maria Probst, no Museumsquartier, em Viena (Áustria), entre 23/6 e 3/9. Ainda em Viena, Lie mostra suas obras em duas outras mostras: “Du Oder Ich? Collective Soul. Ethik des Miteinanders (You or I? Collective Soul. Ethics of Togetherness)”, também curada por Ursula Maria Probst, no Wachauarena Melk, em Melk, entre 16/6 e 20/8. | Albano Afonso (Casa Triângulo) apresenta suas obras na mostra “Sobreexposición”, uma curadoria de Juan José Santos em cartaz no Espacio de Arte Contemporáneo, em Montevidéo, no Uruguai, entre 8/6 e 27/8. | O pintor catarinense, radicado no Paraná, Sérgio F. Rolim apresenta suas obras na Galeria 32, na Embaixada do Brasil, em Londres, entre 6 e 30/6. | A pintora carioca Gisele Camargo (Luciana Caravello Galeria de Arte) apresenta suas obras na mostra coletiva “Gray Matters”, no Wexner Center for the Arts, na Ohio State University, em Columbus, nos EUA. A exposição reúne cerca 50 obras de diferentes mídias de 37 artistas mulheres contemporâneas, que exploram a técnica grisaille (termo francês para trabalhar em tons de cinza). “Gray Matters” é a primeira exposição organizada por Michael Goodson desde que assumiu o papel de curador sênior de exposições no Wex, e fica em cartaz até 30/7. | Carla Zaccagnini (Galeria Vermelho) apresenta suas obras na mostra coletiva “Nordic Delight”, no Finnish Museum of Photography, em Helsinque, na Finlândia, até 13/8. | O fotógrafo paulistano Julio Bittencourt (Galeria Lume) foi um dos selecionados pelo Aesthetica Art Prize, prêmio promovido pela Aesthetica Magazine, revista inglesa de arte, cultura e design, e com isso participa de mostra coletiva na York Art Gallery, em York, na Inglaterra. A mostra fica em cartaz até 10/9. | Vivian Cacuri (Galeria Leme) participa da mostra “The Future Generation Art Prize”, em cartaz no Palazzo Contarini Polignac Dorsoduro, em Veneza, entre 12/5 e 13/8/17. A artista participa também da feira ArteBA, em Buenos Aires, entre 24 e 27/5, com o projeto “Dixit”, em parceria com Arto Lindsay. | Jaime Lauriano (Galeria Leme) participa da mostra “Welt Kompakt?”, no Museum Quartier, em Viena (Áustria), entre 21/6 e 3/9/17. | A galeria da Cité Internationel des Arts, em Paris, inaugura em 31/5 mostra “Tender Constructions”, de Carolina Ponte e Pedro Varela, ambos da Galeria Zipper. Carolina, artista residente na instituição, exibe desenhos elaborados por arabescos e ornamentos; Pedro exibe paisagens urbanas utópicas e florestas lisérgicas. | A mineira Janaina Mello Landini (Galeria Zipper) participa a partir de 16/5 da Textile Biennial de Rijswilk, na Holanda. Na Itália, a artista realiza individual na Galleria Macca, em Cagliari, a partir de 25/5. Nas duas mostras, exibe obras da série “Ciclotramas”. | A artista Regina Silveira (Galeria Luciana Brito) participa com a obra “Touch” da mostera “Planet 9”, no Kunsthalle Darmstat, na Alemanha. A mostra fica em cartaz entre 30/5 e 27/8/17. | O artista alagoano-pernambucano Jonathas de Andrade (Galeria Vermelho) está em cartaz desde março em mostra coletiva no MoMA de Nova York com seu filme “Levante”, recentemente adquirido pela instituição. “Unfinished Conversations: New Work from the Collection” acontece entre 10/3 e 30/7 e apresenta ainda obras de John Akomfrah, Anna Boghiguian, Samuel Fosso, Iman Issa, Cameron Rowland, Wolfgang Tillmans, Kara Walker, Lynette Yiadom-Boakye e outros. Ainda nos EUA, Jonatas de Andrade apresenta o filme “O Peixe” (visto na última Bienal de São Paulo), no New Museum (www.newmuseum.org). E junto com Eduardo Srur e Marcelo Moschetta, o artista está na coletiva “Aqua - Les Artistes Contemporains et l’Enjeu de l’Eau”, uma curadoria de Adelina Von Fürstenberg para o projeto Art for the World. A mostra acontece entre 22/3 e 2/7 no Château de Penthes, na Île Rousseau, em Pregny-Chambésy, em Genebra, na Suíça. | Sonia Gomes (Mendes Wood DM) e A.R. Penck realizam mostra conjunta nas sedes da galeria paulistana em Nova York e também na Michael Werner Gallery entre 2/5 e 29/6. | Clarissa Tossin (Galeria Luisa Strina) participa da coletiva “99 Cents or Less”, com curadoria de Jens Hoffmann, no Museum of Contemporary Art, em Detroit (EUA), entre 19/5 e 6/8/17. | A fotógrafa Claudia Andujar e a dupla de artistas multimídia Gisela Motta e Leandro Lima, ambos da Galeria Vermelho, participam da mostra “Amazonie - Le Chamane et la Pensée de la Forêt”, que acontece no Muséum of Pointe-à-Callière, em Montreal, no Canadá, entre 20/4 e 22/10/17. | A carioca Rosângela Rennó (Galeria Vermelho) participa da coletiva “Autophoto”, em cartaz na Fondation Cartier pu l'Art Contemporain, em Paris, entre 20/4 e 24/9/17. | Geraldo de Barros e Waldemar Cordeiro protagonizam a mostra “The Revolution is Dead. Long Live the Revolution!”, em cartaz no Zentrum Paul Klee e no Kunstmuseum Bern, em Berna, na Suíça, de 13/4 a 9/7. A curadoria é de Bühler, Michael Baumgartner e Fabienne Eggelhöfer. | O carioca Jarbas Lopes (A Gentil Carioca) participa da mostra “Boa Sorte”, em cartaz no FORUM - Fundacao Eugenio de Almeida, em Évora (Portugal), entre 6/5 e 1/10/17. A curadoria é de Elfi Turpin e Filipa Oliveira. | A mostra Retrospectiva “Lygia Pape - A Multitude of Forms” é a primeira exposição monográfica dedicada à artista brasileira Lygia Pape (1927-2004) nos EUA. Figura significante no desenvolvimento da arte moderna brasileira, Pape combinou abstração geométrica com noções de corpo, tempo e espaço de formas únicas que transformaram radicalmente a natureza do objeto de arte no final dos anos 1950 e início dos anos 1960. Abrangendo uma carreira prolífica e inclassificável que se estendeu por cinco décadas, esta exposição examina a obra extraordinariamente rica de Pape que se manifesta através de meios variados – desde escultura, gravura e pintura até instalação, fotografia, performance e cinema. Em cartaz no Metropolitan Breuer, em Nova York, entre 21/3 e 23/7. | O artista mineiro Pedro Motta (Galeria Luisa Strina) foi selecionado para a mostra “Soulèvements”, com curadoria de Georges Didi-Huberman, no Museu Nacional d’Art de Catalunha, em Barcelona, na Espanha, entre 23/3 e 25/6/17. | Clara Ianni (Galeria Vermelho) participa da mostra coletiva “Utopia/Dustopia”, no Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa, entre 21/3 e 14/8/17. | Marcelo Cidade (Galeria Vermelho) participa da mostra coletiva “Monumentos, Anti-Monumentos y Nueva Escultura Pública”, no Museo de Arte de Zapopan (MAZ), em Zapopan, no México, entre 30/3 e 30/7/17. | A mostra “Claudia Andujar. Tomorrow Must Not Be Yesterday” fica em cartaz no Museum für Moderne Kunst, em Frankfurt, na Alemanha, entre 18/2 e 25/6. | A artista mineira radicada no Rio de Janeiro Laura Lima participa da mostra “Illusion and Revelation”, curadoria de Ernst Caramelle, em cartaz no Bonnefanten Museum, em Maastricht, na Holanda, até 27/11/17. www.bonnefantren.nl | O fotógrafo paraense Guy Veloso (Escritório de Arte Rosa Barbosa) foi convidado com seu projeto “Penitentes: Dos Ritos de Sangue à Fascinação do Fim do Mundo” para a Bienal de las Américas, em Denver, no Colorado (EUA), em junho de 2017. Trata-se de um trabalho de cunho antropológico de Veloso, que retrata grupos laicos de Encomendadores das Almas (Penitentes), que durante certas épocas do ano, saem noite adentro rezando pelos “espíritos sofredores”, geralmente cobrindo rostos com panos ou capuzes, em alguns casos mais dramáticos, praticando autoflagelação. Curadoria de Maluca Salazar. | A Rubell Family Collection – Contemporary Art Foundation, em Miami, apresenta a mostra “New Shamans - Novos Xamãs: Brazilian Artists” até 25/8/17. A mostra apresenta obras nas mais diversas mídias dos artistas AVAF, Lucas Arruda, Thiago Martins de Melo, Sonia Gomes, Andre Komatsu, Daniel Steegmann Mangrané, Paulo Nazareth, Maria Nepomuceno, Solange Pessoa, Paulo Nimer Pjota, Marina Rheingantz, Eli Sudbrack e Erika Verzutti. CPF Sesc abre inscrições para curso de curadoria http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=12829&ncid=1&pg=0 O Centro de Pesquisa e Formação do Sesc recebe inscrições até 26/06/17 para o curso Exercícios Curatoriais, em parceria com a Escola Entrópica, propõe uma oportunidade de imersão em reflexões e exercícios do campo da curadoria, constituindo um processo de formação dos participantes que atuam ou pretendem atuar na área ou em processos relacionados. Desenvolvido em 16 encontros, o curso baseia-se na experimentação como motor para a pesquisa e discussão contínua, criando uma plataforma de amadurecimento individual e coletivo de processos que vão da escrita e leitura até o desenvolvimento de projetos curatoriais. As aulas serão ministradas por nomes como Paulo Miyada, Galciani Neves, Gabriel Zacarias e Jorge Menna. Já os seminários contarão com as presenças de Moacir dos Anjos e Nuno Ramos. O curso acontece entre 04/09 e 02/12/17, e as inscrições para o processo seletivo podem ser feitas no site www.sescsp.org.br/cpf. | Mais informações: Centro De Pesquisa e Formação do Sesc Bela Vista: r. Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar. Tel: (11) 3254-5600. Exercícios Curatoriais, em parceria com a Escola Entrópica, propõe uma oportunidade de imersão em reflexões e exercícios do campo da curadoria, constituindo um processo de formação dos participantes que atuam ou pretendem atuar na área ou em processos relacionados. Desenvolvido em 16 encontros, o curso baseia-se na experimentação como motor para a pesquisa e discussão contínua, criando uma plataforma de amadurecimento individual e coletivo de processos que vão da escrita e leitura até o desenvolvimento de projetos curatoriais. As aulas serão ministradas por nomes como Paulo Miyada, Galciani Neves, Gabriel Zacarias e Jorge Menna. Já os seminários contarão com as presenças de Moacir dos Anjos e Nuno Ramos. O curso acontece entre 04/09 e 02/12/17, e as inscrições para o processo seletivo podem ser feitas no site www.sescsp.org.br/cpf. | Mais informações: Centro De Pesquisa e Formação do Sesc Bela Vista: r. Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar. Tel: (11) 3254-5600. Secretários estaduais defendem uma política nacional de cultura http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2303&pg=0&ncid=1 Com carta-manifesto, o Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura questionam grave situação em que Ministério se encontra que envolve a renúncia do ministro interino Roberto Freire. ‘The Americans’, de Robert Frank, será exibido na inauguração do novo IMS-SP http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2302&pg=0&ncid=1 Um dos fotógrafos mais influentes do século passado, Robert Frank de 92 anos apresenta a emblemática série fotográfica que mostram as contradições, desilusões e paradoxos do sonho americano na década de 1950. Prêmio Itaú Cultural completa 30 anos e premia artistas, ativistas e educadores http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2301&pg=0&ncid=1 Personalidades da cultura que se destacaram em suas áreas de atuação em 2017 recebem prêmio de R$100 mil. Contra 'neoescravismo', crítico Paulo Herkenhoff quer negros em museus http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2300&pg=0&ncid=1 Segundo o crítico, a crise política e econômica corrói o Brasil e abala as instituições, mas ao mesmo tempo abre caminho para que estudos valorizem trabalhos que antes eram às margens, em sua maioria os negros, e analisa a presença de índios na performance de Ernesto Neto na atual Bienal de Veneza. Jesus Chediak é o novo diretor da Casa França-Brasil http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2297&pg=0&ncid=1 Teatrólogo e jornalista assume a instituição após saída polêmica de Marcelo Campos. Marcelo Campos é exonerado da direção da Casa França-Brasil http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2296&pg=0&ncid=1 Ex-diretor teve funcionárias dispensadas para abrigar indicados da secretaria de Cultura; pasta alega 'decisão administrativa'. Morre o artista paulistano Arhur Piza aos 89 anos http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2295&pg=0&ncid=1 Piza estava internado há 20 dias por doença de origem hematológica, em Paris. Prêmio Pritzker terá pela primeira vez um integrante brasileiro no júri http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2294&pg=0&ncid=1 Embaixador do Brasil no Japão, André Correa do Lago é apaixonado por arquitetura, e acredita ter sido escolhido por seu projeto de desenvolvimento sustentável e mudança climática na conferência Rio+20. Basquiat bate recorde ao ser vendida por US$ 110,5 mi em leilão na Sotheby's http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2293&pg=0&ncid=1 O recorde anterior do artista havia sido atingido em 2016, vendido por US$ 57,2 milhões em um leilão da Christie's. Ex-trabalhador escravo resgatado no Pará relata abuso e violência http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2292&pg=0&ncid=1 “Na necessidade, você aceita tudo. Fui para o mundo com outros desempregados. A intenção era mandar dinheiro para a família, [mas] cada um de nós estava ganhando R$ 0,75 por dia.” Lava Jato confirma autenticidade de obra aprendida com ex-diretor da Petrobrás http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=177&ncid=1000&pg=0 O artista Fernando Lucchesi não teve dúvidas ao ver a pintura que retrata um enorme vaso de flores, apreendida pela Lava Jato: "Esse quadro é meu", afirmou. Ao que o chefe da perícia da Polícia Federal em Curitiba, Fábio Salvador, respondeu: "Não acredito". A investigação queria demonstrar, com dados objetivos, que o quadro apreendido na casa do ex-diretor da Petrobras Renato Duque era, de fato, do pintor mineiro. Duque é suspeito de usar obras de arte para lavar dinheiro de propina obtida na estatal: a PF apreendeu 132 peças em sua casa. Demorou quase um ano, mas a equipe de peritos concluiu um laudo que promete ser um marco para a investigação de lavagem de dinheiro no Brasil: ele atesta a autenticidade do quadro "Para Guignard" – que, afinal, era mesmo de Lucchesi. Com o uso de cinco técnicas diferentes, o trabalho estabelece um parâmetro para avaliar com segurança a autoria e o valor de uma obra de arte, e então estimar o montante e as condições da lavagem de dinheiro. Assim, confere precisão à imputação do crime. Por exemplo: o quadro era verdadeiro ou falso? O dono sabia disso? Ele pagou mais ou menos do que a tela valia? "Essa precisão nos dá mais segurança para pedir reparação de danos e decretar o perdimento desses bens", avalia o procurador da República Diogo Castor de Mattos, integrante da força-tarefa da Operação Lava Jato. "É um laudo que foge do achismo", resume Salvador, que coordenou o trabalho. A Folha teve acesso ao laudo, anexado ao inquérito policial contra Duque no mês passado. Os peritos da PF começaram a análise com a grafoscopia, que conferiu a assinatura do artista. Em seguida, com a ajuda de pesquisadores da UFPR (Universidade Federal do Paraná), fizeram um exame chamado microscopia Raman, que checou os espectros das tintas utilizadas na tela (uma espécie de "digital" da física), somado à microscopia eletrônica, que realiza uma análise química dos materiais. A perícia ainda tirou uma fotografia rasante, que avaliou o processo criativo do pintor, conferindo o tipo de pinceladas; e outra com luz ultravioleta, que eliminou a presença de adulterações na tela. A PF levou o pintor ao Museu Oscar Niemeyer, que tem a guarda da obra, para atestar sua autenticidade. Lucchesi emprestou até um pincel aos peritos, que o compararam com as tintas utilizadas no quadro. "Eu preciso de provas, de dados objetivos", comenta Salvador. "Desconfio de todo mundo. O trabalho da ciência é convencer os outros", declarou. Três universidades foram parceiras do trabalho e cederam equipamentos e expertise à perícia: a USP, a UFPR e a UFMG. REPERCUSSÃO O laudo não foi concluído a tempo de alterar as imputações contra Duque, que já é réu sob acusação de lavagem de dinheiro. Mas deve estabelecer um protocolo para laudos futuros –há cerca de 30 em andamento na Operação Lava Jato e centenas de obras apreendidas. "É uma das formas mais tradicionais de se lavar dinheiro, porque a obra de arte não desvaloriza. Pelo contrário, o valor multiplica", comenta a museóloga Patricia Moura, que atuou como laudista na apreensão dos quadros de Duque. "É uma bela poupança que pode ser guardada em qualquer lugar, e invisível aos olhos da maioria." Outras técnicas também estão sendo testadas: num quadro do artista Sergio Telles, por exemplo, que viveu no Líbano, a PF pretende analisar os fungos no fundo da tela, para avaliar se eles são típicos daquela região. A equipe ainda prepara as malas para avaliar o acervo de Márcio Lobão, filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA), que teve 1.200 obras apreendidas no Rio de Janeiro. A metodologia pode ter consequências no mercado de arte brasileiro, ao detectar falsificações em galerias, leilões e museus. "Isso denigre o mercado, os espaços de exposição", diz Moura. "É de interesse de todos. Serve para dizer: você não está comprando gato por lebre. E quem ganha, no fim, é o público." O objetivo dos peritos é lançar um "laboratório de obras de arte" na PF, para que os laudos saiam "igual pão quentinho", diz Salvador. O plano, porém, carece de investimento: apenas um dos equipamentos custa R$ 1,5 milhão. Preso há dois anos, Duque, que tenta firmar um acordo de delação, admitiu em depoimento recente que parte dos quadros foi comprada com dinheiro ilícito, mas diz que colecionava por gosto. "Obra de arte não é para ficar fazendo negócio; não é para quem não entende do assunto", afirmou. | Matéria de Estelita Hass Carazzai, de Curitiba, para o jornal “Folha de São Paulo”, em 20/06/17. Casa das Artes Galeria sofre golpe de estelionatário http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=176&ncid=1000&pg=0 A Casa das Artes galeria, em São Paulo, sofreu golpe de um casal estelionatário no dia 27/03/17. Eles compraram uma escultura de um cavalo em bronze (24 x 44 x 22cm), de autoria do artista do espanhol Luis Fernandez Morterero, no valor de R$ 7.480,00. O pagamento foi feito com cheques do banco Santander, cuja conta foi encerrada. Os cheques estão em do nome de Alessandra Metolina. Os dados são válidos, mas a assinatura é divergente. Quem tiver informações sobre o paradeiro da obra, favor entrar em contato com Marta Veloso, no telefone: (11) 3661-9595. Sobre o casal: Homem alto, branco, magro, aparentes 55/65 anos, barba à fazer, cabelos cacheados grisalhos, usava óculos. Apresentou-se como Paulo José e disse que filha ou a irmã viria buscar a obra. Mulher, baixa, pele bronzeada, magra, cabelo chanel de franja com mechas loiras, olhos escuros arredondados, aparenta ter 45/50 anos. Apresentou-se como Alessandra. | Mais informações: Casa das Artes Higienópolis: r. Bahia, 871, tel.(11) 3661-9595. www.casadasartes.com.br/ MAC recebe aula sobre Lavagem de Dinheiro e Obras de Artes http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=175&ncid=1000&pg=0 O Programa de Pós Graduação Interunidades em Estética e História da Arte (PGEHA USP) convida em 08/03/17, às 14h, para a aula inaugural “A Lavagem de Dinheiro e as Obras de Artes”, com o Desembargador Federal Fausto Martin de Sanctis, no Auditório do MAC. O desembargador é autor de vários livros sobre lavagem de dinheiro e é pioneiro nas práticas atuais de justiça de destinam recursos obtidos em delações a entidades filantrópicas, como indenização à sociedade pelos crimes cometidos, além de doações de obras de artes a entidades culturais. Nesta palestra Fausto discute o tema do seu livro “A Lavagem de Dinheiro por meio de Obras de Arte: uma perceptiva Judicial Criminal. Organização da Dra. Cristina Freire. | Mais informações: Auditório do Museu de Arte Contemporânea MAC-USP Parque do Ibirapuera: av. Pedro Álvares Cabral, 1.301, antigo prédio do Detran, tel. (11) 2648-0254. www.mac.usp.br Itália recupera 14 pinturas roubadas da coleção de Mafiosos condenados http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=174&ncid=1000&pg=0 O blog ARCA relatou que a polícia italiana recuperou quatorze pinturas de apartamentos ao sul da Itália. Após um mandado de busca, as autoridades descobriram uma pintura de Jesus curando um cego em uma casa na província de Reggio Calabria. A pintura, roubada em 2001 em Randozzo, na Sicília, foi confirmada na base de dados de bens culturais roubados do país, conduzindo a operação a outro apartamento em Messina, Sicília, onde foram recuperadas mais treze pinturas, incluindo uma de Salvador Dalí e outras cridas por nomes como Renato Guttuso, Giuliana Cappello e Mario Pinizzotto. Acredita-se que essas catorze obras tenham sido parte da coleção privada de , um empresário vinculado às organizações criminosas "Ndrangheta e Camorra". O proprietário da propriedade onde as pinturas foram descobertas é suspeito de ter sido potencialmente um ex-funcionário de Campolo e foi acusado de receber bens roubados. Campolo foi sentenciado a dezesseis anos de prisão domiciliar em 2011 por manter máquinas de caça niqueis. Seus bens, incluindo uma coleção de arte e dinheiro em vinte e sete contas bancárias, foram espalhados, segundo notícias, em propriedades em Paris, Roma, Milão e sua cidade natal de Reggio Calabria. O governo italiano já apreendeu 125 obras de arte da coleção de Campolo em 2013, embora vinte e dois eram aparentemente falsificações e apenas oitenta e cinco são originais comprovados. Eles se tornaram propriedade do governo. Estas peças, incluindo obras de Giorgio de Chirico e Lucio Fontana, estão agora permanentemente expostas no Palácio da Cultura em Reggio Calabria. | Texto publicado no site da revista ArtForum | 13/02/17 Polícia de São Paulo busca por 23 obras desaparecidas no Jardim Europa http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=173&ncid=1000&pg=0 A 15ª Delegacia de Policia do Itaim Bibi, em São Paulo, busca, desde julho de 2016, por uma série de obras desaparecidas de uma residência na Rua Groenlândia, no Jardim Europa. A vítima foi o empresário Antonio Augusto Amaral de Carvalho Filho, oTutinha, sócio do Grupo Jovem Pan e criador do programa Pânico, da Rede TV. Ele alega que a advogada e joalheira Flávia Eluf, sua ex- mulher, tenha desaparecido com as obras. Ao todo desaparecem 43 trabalhos, alguns foram encontrados como a obra “Piano”, de Leonilson. Mas ainda encontram-se desaparecidas outras 23, de artistas como Geraldo de Barros, Antonio Dias, Di Cavalcanti, OsGemeos, Frans Krajcberg, Jesus Soto, Richard Serra, Michelangelo Pistoletto, Leonilson, Julio le Parc e Sergio Camargo, entre outros. Segundo pessoas que conhecem a coleção, o patrimônio, de paradeiro desconhecido, soma mais de 5 milhões de reais. Foi uma história de amor sem final feliz. Em novembro de 2015, o empresário deixou o endereço. No local, ficaram morando a ex e as duas filhas nascidas durante o matrimônio. Com o rompimento, iniciou-se uma sucessão de brigas judiciais e acusações. O caso estava sendo mantido longe dos holofotes até ele resolver publicar as acusações no Facebook, em julho de 2016. De acordo com Tutinha, foi por precaução, depois que uma amiga o alertou de que a ex estaria tentando vender no mercado uma escultura de Sérgio Camargo de sua coleção. Assim, o post no Facebook teria o objetivo de avisar galeristas e compradores sobre a procedência do acervo. Qualquer informação sobre as mesmas deve ser comunicado pelo telefone (11) 99996-6122. A comercialização das referidas obras é considerada crime. Ladrão de pintura de Klimt em 1997 diz que obra deve reaparecer em breve http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=172&ncid=1000&pg=0 Um roubo de obra de arte sem solução, ocorrido há quase duas décadas, pode ter um final feliz à vista, relata a “BBC”. O caso envolve “The Lady”, do austríaco Gustav Klimt (1862-1918), da coleção da galeria Ricci-Oddi, em Piacenza, na Itália. A pintura foi roubada em fevereiro de 1997. A moldura dourada dela foi abandonada no telhado da instituição. À época, “The Lady” havia há pouco adquirido um novo significado dentro da obra de Klimt. A estudante de arte Claudia Maga, de apenas 18 anos, estava estudando a obra completa de Klimt quando notou que “The Lady”, representando uma jovem mulher olhando por cima do ombro esquerdo, apresentava a mesma pose de “Portrait of a Young Lady”, obra não vista desde 1912. Claudia teve a brilhante idéia de sobrepor as pinturas e descobriu que elas combinavam perfeitamente. Os raios-X confirmaram que “The Lady” estava sobreposta a “Portrait of a Young Lady”. Seria, então, o único retrato duplo pintado por Klimt. Possivelmente, o retrato era de um amor de Klint (morta), depois repintado. A galeria, que passaria por reforma, resolveu promover uma mostra em torno da sensacional descoberta, em outro espaço na cidade. Havia a suposição de que a obra havia sido embalada antes do roubo. Em abril daquele ano, a polícia de fronteira interceptou um pacote contendo o que parecia ser a pintura, mas era uma falsificação recém- concluída. O caso foi então encerrado, pouco depois. Mas agora há novidades. Um ladrão local confessou o roubo. "Roubei a pintura meses antes de perceberem o ocorrido", disse ele à “BBC”, explicando que havia trocado o original de Klimt por uma cópia sem valor. Para isso, teve ajuda de um funcionário da galeria. “Ninguém percebeu. Foi um roubo bem planejado”. Receoso de que especialistas em Klint logo percebessem que a obra “deixada” não era a original, o ladrão planejou um segundo roubo, da obra falsa. A original foi vendida por ele, rapidamente, em troca de dinheiro e cocaína. Agora, ele acredita que ela deve ser devolvida em breve, às vésperas do aniversário de 20 anos do roubo. A polícia italiana também está confiante e promove investigações sobre uma coleção particular européia. | Texto de Sarah Cascone originalmente publicado, em inglês, no site “Artnet” (artnet.com) | 09/12/16. Urs Schwarzenbach é multado em US$ 4 mi por sonegar imposto de obras na Suíça http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=171&ncid=1000&pg=0 O hoteleiro e empresário bilionário suíço Urs Schwarzenbach foi multado em 4 milhões de francos suíços (US$ 4.023.456) por entrar na Suíça com obras de arte estimadas em 130 milhões de francos (US$ 130.769.579) sem as devidas declarações de impostos, as quais somam 10 milhões de francos. Investigações de autoridades suíças apontam que Schwarzenbach, que mora no Reino Unido desde 2012 e é amigo do Príncipe Charles e dono do hotel The Dolder Grand, em Zurique, entrou com ao menos 123 obras ilegalmente no país. Entre elas estão “Le Due Madri”, de Giovanno Segantini, comprada pelo bilionário em leilão da Christie’s em Genebra em 2011 por 1,4 milhões de francos (US$ 1.408.287). Após a compra, ele rapidamente levou a obra para o Reino Unido, evitando assim o pagamento de impostos na Suíça, segundo informações da AFP. Também são creditadas a ele a entrada no país sem pagamento de impostos de uma obra de Kazimir Malevich no valor de 16 milhões de francos (US$ 16.094.717) e “MG41 (L’Âge d’Or)”, de Yves Klein. As autoridades afirmam que, durante as investigações, quando Schwarzenbach declarou as obras levadas para a Suíça, ele apresentou recibos falsos com valores subestimados. Um exemplo: um recibo de 10 mil francos da obra “Paysage Alpin”, de Gottardo Segantini, pela qual o bilionário na verdade pagou 105 mil francos (US$ 105.621) em 2012. O hotel The Dolder Grand tem uma invejável coleção de obras de arte, algumas das quais supostamente entraram na Suíça de forma ilegal. Schwarzenbach disse que está disposto a pagar os 10 milhões de francos de impostos, mas contesta a multa de 4 milhões, negando que tenha sonegado intencionalmente. | Fonte: texto de Amah-Rose Abrams originalmente publicado no site “Artnet” (www.artnet.com) | 24/10/16. Polícia prende em SP homens suspeitos de furto de livros raros em bibliotecas http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=170&ncid=1000&pg=0 A Polícia Civil de São Paulo prendeu dois homens por suspeita de furto e receptação de livros raros em 31/10/16. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, eles portavam obras das bibliotecas da Faculdade de Direito e da FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo). Os suspeitos, de acordo com a pasta, identificavam-se como professor e aluno da instituição para terem acesso às obras raras das bibliotecas. Imagens de câmeras de segurança mostram os dois agindo na biblioteca da FAU. Ambos já haviam sido presos por esse mesmo crime, segundo a pasta da Segurança. Um deles é biblioteconomista por formação. Outro, já era procurado pela Justiça. Com os suspeitos, além das obras da Universidade de São Paulo, os policiais também apreenderam cinco livros franceses escritos em 1734 e livros da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O material apresentava páginas rasgadas. | Texto originalmente publicado no jornal “Folha de S. Paulo” | 31/10/16. Nova etapa da Boca Livre investiga fraudes de R$ 25 milhões da Lei Rouanet http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=169&ncid=1000&pg=0 O Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União (CGU) participa da Operação Boca Livre S/A, nesta quinta-feira (27/10/16), com o objetivo de apurar desvios de recursos públicos por empresas patrocinadoras de projetos culturais beneficiadas pela Lei Rouanet (Lei 8.313/1991). A ação é realizada em parceria com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal na capital São Paulo e em mais seis municípios paulistas. A operação investiga desvios de R$ 25 milhões na Lei Rouanet. A Lei Rouanet foi criada no governo Fernando Collor (PTC/AL), em 1991. A legislação permite a captação de recursos para projetos culturais por meio de incentivos fiscais para empresas e pessoas físicas. Na prática, a Lei Rouanet permite que uma empresa privada direcione parte do dinheiro que iria gastar com impostos para financiar propostas aprovadas pelo Ministério da Cultura para receber recursos. Segundo nota divulgada pelo Ministério, o trabalho é desdobramento da Operação Boca Livre, deflagrada em junho deste ano, e resultado do aprofundamento da investigação, que apurou o envolvimento de novas empresas no esquema, que atuavam como “incentivadoras”. Foi identificada a ocorrência de fraudes como superfaturamento, serviços fictícios, projetos duplicados, utilização de terceiros para proposição de projetos e prestação de contrapartida ilícita às instituições. As empresas investigadas financiavam os supostos projetos culturais, que eram subsidiados com os incentivos fiscais e condicionavam o patrocínio à obtenção de vantagens indevidas, como shows, exposições, espetáculos teatrais e publicação de livros. Os projetos com indicativos de reprovação de contas alcançam o montante de R$ 28,7 milhões, podendo chegar a mais de R$ 58 milhões, considerando as prestações de contas ainda em análise. Mais de 100 pessoas, entre policiais e auditores da CGU participam da operação. Estão sendo cumprindo 28 mandados de busca e apreensão na sede de empresas nos municípios de São Paulo, São Bernardo do Campo, Santo André, Campinas, Jundiaí, Barueri Cerquilho e Várzea Paulista. Em 28 de junho de 2016, o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) e a Polícia Federal deflagraram a Operação Boca Livre, para apurar desvios de recursos públicos relacionados a projetos culturais aprovados pelo Ministério da Cultura (MinC) com benefícios advindos da Lei Rouanet. De acordo com as investigações, grupo criminoso atuou por cerca de 20 anos no órgão na aprovação de projetos que somam R$ 170 milhões. | Texto de Fausto Macedo e Julia Affonso originalmente publicado no site do "Estadão" (estadao.com.br) | 27/10/16. Itália recupera 2 pinturas de Van Gogh roubadas em 2002 na Holanda http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=168&ncid=1000&pg=0 A Guarda di Finanza italiana (polícia financeira) anunciou em 30/09/16 a recuperação de duas obras do pintor holandês Vincent Van Gogh (1853-1890), que tinham sido roubadas do museu dedicado ao artista na cidade holandesa de Amsterdã. São as telas "A Igreja Protestante de Noenen", datada entre 1884 e 1885, e "A Praia de Scheveningen ao Começar a Tempestade", de 1882. O roubo aconteceu no dia 7 de dezembro de 2002 no Museu Van Gogh de Amsterdã e no furto desapareceram também outras pinturas. A polícia italiana disse que alguns dos componentes do bando que roubou os quadros tinham sido detidos há algum tempo, mas se desconhecia o paradeiro das obras. As duas obras de Van Gogh foram achadas em um local de Castellammare di Stabia (perto de Nápoles, no Sul da Itália) durante uma operação contra a máfia. O primeiro dos quadros representa os fiéis saindo do templo onde o pai de Van Gogh era pastor e foi pintado pelo artista em 1884 para sua mãe, que acabava de quebrar uma perna. "A Praia de Scheveningen ao Começar a Tempestade" é uma tela de pequenas dimensões (34,5 cm por 51 cm) que representa uma cena do litoral próximo a Haia, com um mar bravio e um céu tenebroso. O artista teve que lutar contra os elementos para pintar esta obra e alguns dos grãos de areia que o vendaval jogava sobre a tela úmida ainda estão incrustados nela. | Texto da agência Efe reproduzido no site G1 (g1.globo.com) | 30/09/16. Na foto, detalhe da obra "A Igreja Protestante de Noenen" (1884-1885). A Nova Arte Política – Fundação Lauro Campos (FLC) | 2017 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=581&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 04/06/17 Coletiva AIREZ 2017 – Curitiba (PR) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=580&pg=0&ncid=1 Galeria Airez, em Curitiba, recebe inscrições até 18/06/17 de artistas interessados em expor seus trabalhos na coletiva Metanóia. Museu Oscar Niemeyer | propostas de exposições http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=579&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 28/04/17. Museu da Diversidade Sexual (MDS) | MAAP (SP) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=578&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 12/05/17 para a seleção de propostas e integrar a exposição fotográfica coletiva “Cotidiano Plural”. Edital de Ampliação de Portfolio| Eikones Escritório de Arte | Santos (SP) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=577&pg=0&ncid=1 O escritório de arte seleciona artistas para representação. 2º Programa de Seleção da Piccola Galleria | Casa Fiat | Belo Horizonte (MG) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=576&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas entre 03/04 e 03/05/17. Estranhando o Real - Realizando o Estranho | Casa da Xiclet - São Paulo (SP) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=575&pg=0&ncid=1 Edital seleciona obras e projetos de arquitetura radical para exposição. Programa Oi de Patrocínios Culturais - 2017 / 2018 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=574&pg=1&ncid=1 São dois editais: Nacional de Projetos Culturais, para produções artísticas de todo o Brasil; e Seleção dos Centros Culturais, para ocupação dos espaços Oi Futuro Ipanema e Flamengo, no Rio de Janeiro. Inscrições até 10/02/17. 1ª Bienal Arte Print Brasil - Incubadora de Artistas - Atibaia (SP) - 2017 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=573&pg=1&ncid=1 As inscrições vão até 19/03/17. Os participantes concorrem a cinco prêmios de R$ 1.000,00 cada. Prêmio Aquisição | Casa da Xilogravura | Campos do Jordão (SP) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=572&pg=1&ncid=1 Interessados devem enviar trabalhos até 30/06/17.