Mapa Das Artes http://www.mapadasartes.com.br Mapa Das Artes - O portal de arte brasileiro pt-br Mapa Das Artes http://www.mapadasartes.com.br/img/cid1.gif http://www.mapadasartes.com.br 217 33 APAP realiza palestra com Sonia Skroski sobre a trajetória da Galeria André http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=13030&ncid=1&pg=0 A Associação Profissional de Artistas Plásticos de São Paulo realiza em 19/10/17, Às 19h, a palestra “A Importância da Galeria André, Sua História e Mercado de Arte”, ministrada pela jornalista de arte e curadora da Galeria André, Sonia Skroski. A palestra fala sobre o desafio de representar uma galeria com 58 anos, que é vista por uns como um exemplo e por outros como ultrapassada. Sobreviver de arte em um país cuja cultura está sempre em risco de ser apagada já é por si só um desafio e a mudança no mercado de arte é gritante, colecionadores antigos que continuam conservadores e jovens empreendedores que investem em arte contemporânea. | Mais informações: Auditório da Livraria Martins Fontes Cerqueira César: av. Paulista, 509 - ao lado do metrô Brigadeiro. Chapel Art Show chega à sua 46º edição e comemora 50 anos http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=13029&ncid=1000&pg=0 A Chapel Art Show chega à sua 46º edição entre 19/10/17 a 25/10/17 e celebra seus 50 anos de existência e história de exposições de arte promovidas pela Chapel School, em São Paulo. Nesse ano, a exposição traz cerca de 100 artistas convidados entre diferentes técnicas e estilos, além de homenagear o artista de renome da arte brasileira, o fotógrafo German Lorca. Além das obras em exposição, serão ministradas ações especiais e educativas, que propõe reflexão e prática sobre as artes visuais, voltadas aos alunos, à comunidade Chapel School e ao público em geral através do Programa Educativo. Curadoria de Adriana Rede. Todos os trabalhos estão disponíveis para venda, e por seu perfil beneficente, o artista participa diretamente do processo e com isso ganha também o comprador, através do acesso a obras de arte diferenciadas, a valores justos. Participam Adriana Conti Melo, Adriana Jobim, Alex Cerveny, Alexandre Frangioni, Almandrade, AnnemieW, Antonio Henrique Amaral, Argos Seleme, Betina Samaia, Bia Black, Caciporé Torres, Cassio Vasconcelos, Célia Macedo, Celso Orsini, Christophe Spoto, Claudio Tozzi, Cris Rocha, Cristina Canale, Cristina Sá, Dan Fialdini, Dirceu Maués, Duda Covett, Duda Rosa, Eduardo Srur, Elaine Pessoa, Ewely Branco, Fabio Cardoso, Fausto Chermont, Fernanda Frangetto, Fernando Araujo, Fernando Lemos, Galeno, Gisela Heuchert, Gregório Gruber, Henrique Lorca, Hugo Curtio, Jaime Prades, Jean Manzon, João Carlos de Souza, José Spaniol, Juan Esteves, Katia Canton, Kika Lewy, Laura Porcelli, Lúcio Tamino, Lucas Lenci, Luiz Martins, Luiz Paulo Baravelli, Maria Luisa Editore, Marcelo Solá, Marco Stellato, Marcos Vinícius, Mari Queiroz, Maria Villares, Marina Klink, Marlene Stamm. Miro, Monica Reis, Nelson Leirner, Neno Ramos, Nico Ceva, Nido Campolongo, Pablo di Giulio, Patricia Furlong, Paulo Von Poser, Penna Prearo, Peticov, Regina Carmona, Ronaldo Calixto, Rubens Matuck, Saint Clair Cemin, Sergio Fingermann, Shirley Paes Leme, Solange Sandoval, Thereza Salazar, Ulisses Bôscolo, Vitor Mizael, Yara Dewachter, Yutaka Toyota e Zed Nesti. | Mais informações: Chapel School | Escola Maria Imaculada Chácara Flora: r. Vigário João de Pontes, 537, tel. (11) 2101-7480 - São Paulo, SP. Adelina Galeria recebe a palestra Arte e Colecionismo para Iniciantes http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=13028&ncid=1&pg=0 A Adelina Galeria e a Parte Feira de Arte Contemporânea promovem em 19/10/17, das 19h às 22h, a palestra “Arte e Colecionismo para Iniciantes” comandada pela consultora de arte e artista holandesa Julie Belfer, que fala sobre como entender e escolher uma obra para chamar de sua. | Adelina Galeria Perdizes: r. Cardoso de Almeida, 1.285. www.adelinagaleria.com.br Fotógrafo André Penteado lança livro sobre Missão Francesa no MNBA http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=13027&ncid=2&pg= O fotógrafo paulista André Penteado lança em 17/10/17, às 18h30, o fotolivro Missão Francesa, no Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro. O livro convida para uma releitura bastante original da Missão Francesa, capitaneada por Joaquim Lebreton, que chegou ao Brasil há mais de dois séculos para implantar o ensino oficial da arte e deixou marcas na nossa cultura desde então. A publicação busca relacionar passado e presente a partir da formação de artes em locais emblemáticos como o Museu Nacional de Belas Artes, o Museu D. João VI e o solar Grandjean de Montigny no Rio de Janeiro, entre fevereiro de 2015 até janeiro de 2017. | Museu Nacional de Belas Artes | MNBA Cinelândia: av. Rio Branco, 199, metrô Cinelândia, tel. (21) 3299-0600. www.mnba.gov.br | www.facebook.com/MNBARio Lilia Schwarcz e Jonathas de Andrade realizam conversa aberta no IMS Paulista http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=13026&ncid=1&pg=0 A professora de antropologia Lilia Schwarcz e o artista Jonathas de Andrade realizam em 18/10/17, às 19h, uma converssa aberta na exposição “Corpo a Corpo”, em cartaz no Instituto Moreira Salles Paulista. A obra “Eu, mestiço”, de Jonathas de Andrade, está na exposição e discute os riscos de julgar os outros pelas aparências e expõe o racismo latente em nossa sociedade. Feito a partir de uma pesquisa sobre raça e classe no Brasil rural realizada nos anos 1950 pela Unesco, Jonathas produziu uma série de retratos de pessoas de várias partes do país, exibindo reações e poses variadas. A atividade faz parte da série Conversas na Galeria, que promove o encontro de críticos, professores e especialistas com o público nos espaços expositivos do IMS. | IMS Paulista Bela Vista: av. Paulista, 2.424. Tel.: (11) 2842-9120. www.ims.com.br Primeira edição da Feira Livre de Arte Contemporânea ocorre em Belo Horizonte http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=13025&ncid=1000&pg=0 A primeira edição da Feira Livre de Arte Contemporânea (FLAC) ocorre entre 27 e 29/10/17 no espaço CentoeQuatro, em Belo Horizonte. Iniciativa pioneira neste formato tem como objetivo a criação de oportunidade de exposição e venda de obras de arte, com ampliação do acesso do público aos contextos de produção e circulação das Artes Visuais. A FLAC recebeu 185 inscrições, por uma comissão curadora formada por Ana Luiza Teixeira Neves, Jorge Cabrera Gómez e Sara Moreno Rocha, que analisou as propostas e selecionou 65 participantes. Para a seleção, foram considerados aspectos como o corpo da obra e seu estágio de desenvolvimento conceitual e técnico, a experimentação e hibridação características da arte contemporânea, avaliando a qualidade na perspectiva da construção de produções com estilo e características próprias. A Feira Livre de Arte Contemporânea é realizada pela AKALA, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte – Fundação Municipal de Cultura, com o apoio do Fundo Estadual de Cultura de Minas Gerais e o patrocínio do Instituto Unimed-BH e da MGS. | Lista de artistas participantes: Alexandre Junior, Álvaro Tomé, Baba Jung, Binho Barreto, Bruno Duque, Carol Peso, CATAPRETA, Christine Pereira, Comum, Cyro Almeida, Daniel Bilac, Daniel de Carvalho, Daniel Jack, Daniela Paoliello, Estandelau, Fabíola Tasca, Fernanda Fernandes, Fernando Medeiros, Fernando Poletti, Fred Paulino, Gabriel Nast, Gabriela Brasileiro, Gilmara Oliveira, Giulia Puntel, Guilherme Bergamini, Humberto Mundim, Isabela Prado, Jade Marra, Juliana Gontijo, Lamounier Lucas, Leo Piló, Leonardo Costa Braga, Lucas Erro, Luana Vitra, Luísa Horta, Maira Públio, Maíse Couto, Marcel Diogo, Maria do Céu Diel, Max Henrique, Mirele Brant, Morgana Mafra, Noemi Assumpção, O SOMOS, Olívia Viana, Paulo Nazareth, Pedro Mendes, Pedro Ninja, Rafael Perpétuo, Raphael Ferreira, Rezm Orah, Ricardo Burgarelli, Rodrigo Mogiz, Rosceli Vita, Ruy Souza Filho, Samuel Wenceslau, Scheilla SSol, Sérgio Arruda, Skap, The Innernettes, Thiago Alvim, Thyana Hacla, Vanessa Cunha, Vitor Novato e ZEZIN. | Feira Livre de Arte Contemporânea CentoeQuatro Centro: pça. Rui Barbosa, 104 –Belo Horizonte, MG www.flac.art.br Mostra 3M de Arte Digital chega à 7ª edição no Largo da Batata (SP) http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=13024&ncid=1000&pg=0 A 7ª edição da Mostra 3M de Arte Digital ocorre entre 03/11/17 e 03/12/17 com ocupação de obras de diversos artistas numa galeria a céu aberto no alrgo da Batata, em Pinheiros (SP). A edição conta com a participação de Guto Lacaz, Giselle Beiguelman, Maurizio Zelada, Alexis Anastasiou e da dupla Gisela Motta e Leandro Lima que apresentaram trabalhos inéditos, que têm, em comum, aspectos interativos, emocionais, poéticos e de reflexão. O Largo da Batata foi escolhido porque é uma área revitalizada que integra o esforço da sociedade civil para transformar a cidade em um espaço de convívio e de ocupação do cidadão. O catálogo da exposição, com informações completas sobre as obras, artistas, e o programa pedagógico terão recursos interativos e poderão ser vistos no celular, por meio do aplicativo mostra 3m de arte digital, ou no site www.mostra3mdeartedigital.com.br ; assim como as redes sociais. | Art Supermarket – todos os dias das 8h às 20h (até 03/12); 03, 04 e 05 e 08 a 12/11, das 20h às 22h - Encontros com a cidade, humanos e batatas (video mapping); container.art – todos os dias das 8h às 20h (até 03/12); | Mais informações: Largo da Batata, bairro de Pinheiros - São Paulo/SP Horários de funcionamento: 24 horas, exceto nas instalações. Art Weekend São Paulo chega à 2ª edição com 54 galerias brasileiras http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=13023&ncid=1000&pg=0 A 2ª edição do Art Weekend São Paulo ocorre entre 11 e 12/11/17 em diferentes locais da cidade de São Paulo, com uma programação pensada por 54 galerias brasileiras com uma ampla agenda com atividades diversas, tais como performances, lançamento de livros, visitas guiadas e conversas com artistas e curadores. Organizado pela Associação Brasileira de Arte Contemporânea (ABACT), o evento conta com a grande novidade da participação de galerias de fora da cidade, onde vários espaços paulistanos oferecem parte de suas instalações a galerias parceiras. O Art Weekend São Paulo foi criado com objetivo de ampliar o público das galerias de arte da cidade para além dos frequentadores usuais. Entendemos que o evento é um incentivo para que as visitantes circulem e tenham contato com as obras, os artistas e toda uma programação especial e de qualidade pensada para a ocasião. No sábado, o evento ocorre das 11h às 20h; no domingo, das 12h às 18h. Serão ao todo 41 pontos de visitação, organizados em circuitos que se dividirão de acordo com a localização e a programação das galerias. Confira as galerias participantes | A Gentil Carioca (Rio de Janeiro) | Almeida e Dale Galeria de Arte | Andrea Rehder Arte Contemporânea | Arte57 |ArtEEdições Galeria | Arte Hall | Athena Contemporânea (Rio de Janeiro) | Art Lab Gallery | Baró Galeria | BFA Boatos Fine Arts* | Blau Projects | Boiler Galeria (Curitiba) | Carbono Galeria | Casa Nova Arte e Cultura Contemporânea | Casa Triângulo | Celma Albuquerque (Belo Horizonte) | Central Galeria | Dan Galeria | Fortes D'Aloia & Gabriel |Galeria Berenice Arvani** | Galeria Bolsa de Arte | Galeria Caribé | Galeria Cavalo (Rio de Janeiro) | Galeria Eduardo Fernandes | Galeria Estação | Galeria Houssein Jarouche | Galeria Jaqueline Martins | Galeria Leme | Galeria Lume | Galeria de Arte Mamute (Porto Alegre) | Galeria Marcelo Guarnieri | Galeria Marília Razuk | Galeria Mario Cohen | Galeria Millan | Galeria Nara Roesler | Galeria Raquel Arnaud | Galeria Rabieh | Galeria Vila Nova | Galeria Virgílio | Janaina Torres Galeria | Lombardi Galeria | Luciana Brito Galeria | Luciana Caravello Arte Contemporânea (Rio de Janeiro) | Mendes Wood DM | Mercedes Viegas Arte Contemporânea (Rio de Janeiro) | Pinakotheke | Portas Vilaseca Galeria (Rio de Janeiro) | Sé Galeria | Soma Galeria (Curitiba) | Silvia Cintra + Box4 (Rio de Janeiro) | Vermelho | Via Thorey Galeria (Vitória) | Galeria Ybakatu (Curitiba) | Zipper Galeria - Ação galerias recebem galerias, parcerias confirmadas: 1. Fortes D'Aloia Gabriel recebe A Gentil Carioca (Rio de Janeiro) 2. Galeria Raquel Arnaud recebe Ybakatu (Curitiba) 3. Galeria Jaqueline Martins recebe Athena Contemporânea (Rio de Janeiro) 4. Vermelho recebe Silvia Cintra + Box4 (Rio de Janeiro) 5. Galeria Leme recebe Luciana Caravello Arte Contemporânea (Rio de Janeiro) 6. Blau Projects recebe Portas Vilaseca Galeria (Rio de Janeiro) 7. Galeria Estação recebe Mercedes Viegas Arte Contemporânea (Rio de Janeiro) 8. Galeria Bolsa de Arte recebe Celma Albuquerque (Belo Horizonte) 9. Galeria Virgílio recebe Via Thorey Galeria (Vitória) 10. Galeria Caribé recebe Galeria de Arte Mamute (Porto Alegre) e Boiler (Curitiba) 11. Andrea Rehder Arte Contemporânea recebe SOMA Galeria (Curitiba) 12. Central Galeria recebe Galeria Cavalo (Rio de Janeiro). Morre o pintor peruano Fernando de Szyszlo ao lado de sua esposa http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=13022&ncid=1000&pg=0 O pintor e escultor peruano Fernando de Szyszlo, considerado um importante expoente da arte abstrata na América Latina, morreu nesta segunda-feira (09/10) aos 92 anos junto com sua esposa, após aparentemente sofrer um acidente doméstico em sua residência de Lima, informaram fontes próximas à família. "O Peru perdeu um de seus maiores artistas e pensadores: Fernando de Szyszlo, que faleceu esta noite junto com sua esposa, Liliana Yábar. Estendemos nossas mais sinceras condolências a seus familiares e amigos", disse o Ministério da Cultura, pelo Twitter. O artista plástico e sua mulher, de 96 anos, foram encontrados sem vida em sua residência. Os bombeiros chegaram ao local para atender a emergência. Em seu relato oficial é informado que ambos apresentavam feridas na cabeça e que foram encontrados "sem os sinais vitais", após um incidente qualificado como "emergência médica/ traumática/ferida por queda". O pintor, com brilhante carreira nacional e internacional, foi um defensor de causas democráticas e intelectual muito respeitado pelas máximas autoridades do país. O presidente Pedro Pablo Kuczynski disse que ele foi um dos "grandes amigos de toda a vida". De Szyszlo fundou, junto com o Nobel de Literatura Mario Vargas Llosa e outros intelectuais peruanos, o movimento "Libertad", que tentou —sem sucesso— levar o escritor à presidência em 1990, quando Alberto Fujimori saiu vitorioso. | Informações do jornal “Folha de São Paulo”, em 10/10/17. Sesc Casa Amarela recebe inscrições para mediadores http://mapadasartes.com.br/curtas.php?id=13021&ncid=1018&pg= O Sesc Casa Amarela em Recife, recebe inscrições para seleção para mediadores da mostra “IX UNICO - Salão Universitário de Arte Contemporânea do Sesc – Arte E Participação”, que ocorre na Galeria de Artes. A mostra fica em cartaz entre 30/11/17 e 09/03/18. Os interessados podem enviar Currículos para o e-mail rocha.fabiana630@gmail.com . | Sesc Casa Amarela Casa Amarela: av. Prof. José dos Anjos, 1.190, tels. (81) 3267-4410 / 4400. www.sesc-pe.com.br O Jockey volta à moda http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2397&pg=0&ncid=1 O primeiro empreendimento da Vila Portugal no Jockey Club do Rio de Janeiro, a Carpintaria, abriu as portas em novembro de 2016 e já se transformou em um dos endereços mais bacanas do Rio de Janeiro. Projeto da renomada galeria paulistana Fortes Vilaça (agora, Fortes D’Aloia & Gabriel), o local, além de apresentar trabalhos de diferentes artistas, vai abrigar eventos e encontros para discussões culturais, num galpão feito sob medida para o empreendimento, com vistas para a pista de corrida e as montanhas. Em junho, entra em operação o Camolesi, misto de restaurante, pizzaria, cervejaria e clubinho de jazz, que terá no comando o empresário Cello Macedo (dono de outras casas famosas no Rio) e o artista Vik Muniz. Outros dois negócios estão prestes a ser finalizados – a primeira galeria de Oskar Metsavaht, o fundador da Osklen, e uma nova unidade da já tradicional Nara Roesler. “O entusiasmo com que esse grupo embarcou na nossa ideia foi fundamental para a viabilidade do projeto”, diz Neves. Matéria originalmente publicada no site da revista “Época Negócios”. Retrato de Jesus “Salvator Mundi”, de Da Vinci, pode arrecadar US$ 100 milhões http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2396&pg=0&ncid=1 A pintura de Leonardo, datada de cerca de 1500, é uma das 20 obras menos conhecidas do artista e é a última em mãos privadas. Ela foi registrada pela primeira vez na coleção do Rei Charles (1600-1649), passou por um leilão em 1763 e foi redescoberta em 2005. A casa de leilões Christie's de Nova York também venderá ao seu lado a versão de Warhol da Última Ceia. Matéria de Eileen Kinsella originalmente publicada no site da artNet (artnet.com), em 10/10/17. Vão a leilão 95 obras de arte do ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2395&pg=0&ncid=1 As obras que pertenciam à coleção do ex-banqueiro haviam sido desviadas para a Europa e para os Estados Unidos e, com ajuda de procuradores a Justiça brasileira e a Interpol, decidiram a devolução de todas essas peças para serem leiloadas. Edemar construiu sua coleção de arte com recursos ilícitos, fruto de crimes financeiros e lavagem de dinheiro, e depois desviou uma parte das peças para o exterior de forma ilegal. Matéria de Silas Martí par ao jornal “Folha de São Paulo”, em 07/10/17. Guerrilla Girls tomam o Masp e denunciam sexismo http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2394&pg=0&ncid=1 Entre cartazes de toda a carreira do coletivo americano, o cartaz original do Metropolitan, atualizado para a mostra do Masp, faz a mesma pergunta: “As mulheres precisam estar nuas para entrar no Museu de Arte de São Paulo? No Masp, apenas 6% dos artistas em exposição são mulheres, mas 60% dos nus são femininos. Vestidas com máscaras de gorilas, as três das integrantes mostram que o sexismo domina o circuito das artes e intera “É o velho preconceito de ver o homem como gênio criador e a mulher como musa”. Matéria de Antonio Gonçalves Filho par ao jornal “O Estado de S. Paulo”, 28/09/17. Artistas acusam prefeitura do RJ de censura a evento http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2393&pg=0&ncid=1 Em meio à polêmica do veto à vinda da exposição “Queermuseu” para o Rio, um novo episódio deixou em alerta artistas da cidade. Prevista para ser inaugurada ontem no Castelinho do Flamengo, na Zona Sul da cidade, a quarta edição do evento “Curto-circuito” reuniria cerca de 50 artistas, performances e duas peças teatrais. Mas tanto os artistas quanto o público que foi para o espaço ontem para assistir ao primeiro espetáculo, “Bicha oca”, encontraram os portões fechados. A justificativa da administração era de uma pane elétrica — um cartaz colado no portão informava que o local “está com a visitação suspensa”. Artigo de Nelson Gobbi para o jornal "O Globo" Polêmica chega ao MINC http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2392&pg=0&ncid=1 Em uma semana em que os debates sobre os limites da arte se tornaram mais acalorados e saíram da esfera dos museus para a política, o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, atirou mais lenha à fogueira. O ministro incluiu um artigo na minuta da regulamentação da Lei Rouanet, que veta a apresentação de propostas que “vilipendiem a fé religiosa, promovam a sexualização precoce de crianças e adolescentes ou façam apologia a crimes ou atividades criminosas”. Artigo de Nelson Gobbi e Alessandro Giannini para o jornal "O Globo". Entre deputados, ministro da Cultura diz que MAM descumpriu lei http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2391&pg=0&ncid=1 Sérgio Sá Leitão afirmou durante reunião com deputado e tesoureiro da Frente Parlamentar Evangélica, Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), que na performance a interação de uma criança com um adulto nu por indução direta da mãe "configura como uma situação potencialmente prejudicial ao desenvolvimento emocional dela e configura o descumprimento dos artigos do ECA." Matéria de Isabella Menon para o jornal “Folha de São Paulo”, em 05/10/17. Queermuseu, vinda, veto e volta http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2390&pg=0&ncid=1 Um movimento de artistas articula o financiamento da remontagem da coletiva Queermuseu em um dos equipamentos culturais cariocas, como Escola de Artes Visuais do Parque Lage ou no Galpão Bela Maré. Uma reunião foi agendada pela produtora Paula Lavigne, a fim de estudar propostas para arrecadar fundos para trazer a mostra ao Rio. Matéria publicada originalmente no portal da revista DasArtes, em 05/10/17. Carta pública de diretores, curadores e profissionais das instituições culturais http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2389&pg=0&ncid=1 Manifesto de absoluto repúdio pelas ações orquestradas contra espaços institucionais de arte, assim como a toda e qualquer tentativa de cercear, constranger, desqualificar ou proibir as legítimas atividades artísticas que se desenvolvem no Brasil. Um manual para alertar o público de exposições http://mapadasartes.com.br/noticias.php?id=2388&pg=0&ncid=1 Após episódios como a exposição Queermuseu e a performance de Wagner Schwartz na abertura do 35.º Panorama da Arte Brasileira do Museu de Arte Moderna (MAM-SP), diretores de museus e instituições culturais se reuniram para discutir apossibilidade de criar um manual de procedimento a exposições e um processo de classificação indicativa. Matéria de Antonio Gonçalves Filho para o jornal “O Estado de S. Paulo”, em 05/10/17. Repatriamento pendente: as viagens ilícitas de uma cabeça de touro em mármore http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=188&ncid=1000&pg=0 Na quarta-feira (11/10), através do advogado William G. Pearlstein, os colecionadores William e Lynda Beierwaltes divulgaram uma declaração formal sobre o “Marble Head of a Bull” (cerca de 500-460 a.C.) apreendido pelo escritório do procurador do distrito de Nova York em 06 de julho de 2017, sob empréstimo do Metropolitan Museum of Art. Há suspeitas de que a antiguidade havia sido saqueada do Líbano durante a guerra civil. A escultura da cabeça do touro foi adquirida pelo casal em 27 de novembro de 1996 por US$ 1,2 milhão, por um dos negociantes mais notórios (atualmente) do mundo das antiguidades, Robin Symes. O comunicado diz que: “Depois de terem sido apresentadas provas incontestáveis de que a cabeça do touro foi roubada do Líbano, os Beierwaltes acreditavam que era do interesse de todos retirar a reivindicação à cabeça do touro e permitir sua repatriação para o Líbano". Essa decisão foi tomada depois que o pedido “Application for Turnover” do Estado de Nova York, em 68 páginas, deu detalhes minuciosos sobre como essa antiguidade saqueada se dirigia de maneira ilícita para os Estados Unidos. Em uma carta ao Honorável Daniel P. FitzGerald com o Supremo Tribunal do Condado de Nova York, o Procurador Distrital Adjunto, Matthew Bogdanos, escreve que os Beierwaltes assinaram uma estipulação que concorda com a liberação da Corte do “Bull's Head” à República Libanesa de acordo com a Lei Penal de Nova York §450.10 sobre a eliminação de bens roubados e a Lei de Processo Penal §690.55 de NY sobre mandados de busca e a disposição dos bens apreendidos. Esta confissão voluntária prepara o caminho para uma cerimônia formal de repatriamento e o eventual retorno deste objeto antigo para o país de origem do qual foi roubado. Já por um artigo no New York Times, o advogado distrital adjunto Matthew Bogdanos, e pesquisadores que apoiaram seu caso, viram outra antiguidade potencialmente saqueada também do Líbano. Este objeto, um torso de mármore de um pastor de bezerro, foi identificado em uma fotografia tirada dentro da casa de Beierwalteses para a edição especial de junho de 1998 da revista House & Garden. Pelo artigo de Colin Moynihan para "The New York Times", o advogado Bogdanos afirmou que este objeto também pode ter sido saqueado do Líbano antes de ser adquirido por William e Lynda Beierwaltes. O artigo continua a especificar que os Beierwalteses venderam esse objeto ao colecionador de Nova York, Michael H. Steinhardt, em 2015. | Matéria publicada originalmente no blog www.art-crime.blogspot.com.br, em 12/10/17. Renoir é roubado de casa de leilões no interior da França http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=187&ncid=1000&pg=0 Uma pequena pintura do impressionista francês Auguste Renoir foi roubada de um leiloeiro no subúrbio parisiense de Saint-Germain-en-Laye no sábado (30/09). Com uma estimativa de € 25mil a 30 mil, “Portrait d'une jeune fille blonde” (Retrato de uma jovem garota loira), onde estava em exibição antes da venda neste fim de semana. De acordo com a polícia, o ladrão simplesmente tirou o trabalho da parede e escapou despercebido. Destaque do leilão, a tela está listada no catálogo dos leiloeiros enquanto mede 14cm x 12,2cm, com as iniciais "A.R." no canto superior esquerdo. A polícia espera que as filmagens de vigilância de vídeo forneçam uma direção. | Matéria publcada originalmente no site do ARt Daily ( www.artdaily.com), em 02/10/17. Biblioteca Mário de Andrade realiza conferência sobre roubo de obras de arte http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=186&ncid=1000&pg=0 A Biblioteca Mário de Andrade realiza em 28/09/17, às 09h, a conferência “Art Law Conference - Obras de Arte e seus temas atuais: uma visão global" sobre os bastidores das transações comerciais do mercado de arte, além de lavagem de dinheiro, importação, exportação e recuperação de obras de arte roubadas ao redor do mundo. O encontro conta com a presença de especialistas como o desembargador Fausto de Sanctis, autor do livro “Lavagem de Dinheiro por meio de Obras de Arte”; a galerista Marcia Fortes e o americano Robert Muller, especialmente convidado para falar sobre a recente discussão na Corte dos Estados Unidos sobre a recuperação de obras de arte roubadas. Hoje, o catálogo da Interpol lista 34 mil obras roubadas em todo o mundo, e para a maior parte desse acervo não há previsão de recuperação. O roubo de arte é o terceiro maior mercado ilegal em escala mundial, só perdendo para o tráfico de drogas e armas. | Confira o programa: 9h - Obra de arte e lavagem de dinheiro; Fausto de Sanctis, desembargador do Tribunal Regional Federal Debatedor: Evaristo Martins de Azevedo, presidente da Comissão de Direito as Artes da OAB – SP. Mediação: Maria Ignez Mantovani, presidente do ICOM Brasil. 10h15 – Transações com obras de arte, incluindo importação e exportação de obras de arte: registros e declarações alfandegárias - operações permanentes e temporárias Aline Freitas, advogada sócia do escritório Cesnik, Quintino e Salinas Advogados, mestre em direito público pela PUC-SP. Gregory Becher, advogado tributarista do escritório Cesnik, Quintino e Salinas Advogados. Marcia Fortes, diretora da galeria Fortes, D'Alloya, Gabriel Mediação: Fernando Quintino, sócio do escritório Cesnik, Quintino e Salinas Advogados. 11h30 – Art law recovery: a recente discussão na Corte Americana da recuperação de obras de arte roubadas ou pilhadas ao redor do mundo; Robert Müller, sócio da empresa Cypress LLP. Debaredor - Rodrigo Salinas, sócio do escritório Cesnik, Quintino e Salinas Advogados. Mediação: Fábio Cesnik, presidente do Comitê de Mídia e Entretenimento do IASP. | Auditório da Biblioteca Mário de Andrade Centro: r. da Consolação, 94, tel. (11) 3775-0002. www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bma Obras roubadas de Georg Baselitz no valor de US$ 3 milhões são recuperadas http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=185&ncid=1000&pg=0 As esculturas turbulentas e as estridentes pinturas invertidas do neo-expressionista Georg Baselitz são conhecidas em todo o mundo. Mas quando mais de US$ 3 milhões de obras de sua coleção pessoal, incluindo alguns que ele criou, desapareceram de um depósito de armazenamento alemão, causou estranhamento por demorarem meses para alguém notar. Os promotores do caso prenderam três suspeitos, todos trabalharam na indústria de navegação. Eles acreditam que um homem de 39 anos da cidade ocidental de Düsseldorf usou conhecimento de informante para roubar 19 peças de arte pertencentes ao Sr. Baselitz do depósito perto de Munique entre junho de 2015 e março de 2016. Ele passou as obras para um pai e filho, que tentaram vendê-los pelo valor de mercado “muito abaixo”. Os três homens ainda não forneceram declarações completas à polícia, disseram os promotores. As autoridades acreditam que o pai e o filho, de 51 e 26 anos, da cidade de Leverkusen, ao sul de Düsseldorf, conseguiram vender apenas uma peça de arte antes que uma companhia de seguros se tornasse suspeita e informou a polícia. Depois do que os promotores chamaram de “investigações intensivas na cena artística”, a polícia prendeu o homem de 51 anos sob suspeita de roubo em agosto quando retornou do exterior. Mas Anne Leiding, uma porta-voz dos promotores de Munique, recusou-se a dizer quando o crime foi descoberto pela primeira vez. A polícia já recuperou 15 dos 19 artefatos – no valor de cerca de US$ 3 milhões, ou 2,5 milhões de euros. Os quatro trabalhos roubados foram pensados para valer cerca de US$ 155.000. A Sra. Leiding disse que, de acordo com os desejos do Sr. Baselitz, não podia fornecer detalhes adicionais sobre as obras de arte roubadas. | Matéria originalmente no site da revista Das Artes, em 06/09/17. Polícia alemã recupera obras de arte roubadas avaliadas em 2,5 milhões de euros http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=184&ncid=1000&pg=0 As autoridades alemãs recuperaram um conjunto de obras de arte roubadas do pintor neoexpressionista Georg Baselitz avaliadas em 2,5 milhões de euros depois que os ladrões tentaram vender alguma delas, informou a polícia nesta terça-feira. Os procuradores resgataram 15 de um total de 19 pinturas e desenhos roubados entre junho de 2015 e março de 2016 por uma gangue cuja líder, de 39 anos, era uma mensageira especializada em transportar arte, disse a polícia. Os outros dois suspeitos, um motorista de caminhão, de 51 anos, e seu filho, de 26 anos, foram acusados como cúmplices. A polícia não quis dar detalhes sobre o conjunto de obras roubadas, o maior visto na Alemanha em anos, a pedido do proprietário, e tampouco deu informações sobre o proprietário ou sobre como as obras foram roubadas ao longo desse período. A porta-voz dos procuradores de Munique que realizaram a operação de recuperação, Anne Leiding, disse que as peças estão sendo mantidas em um local seguro, mas não quis dizer onde. O roubo só foi descoberto quando pai e filho tentaram vender algumas das obras abaixo do preço de mercado. Um corretor de seguros soube de uma destas ofertas e informou a polícia, que localizou o motorista na Espanha. Os três suspeitos ainda não fizeram nenhuma declaração à polícia. Estima-se que as quatro obras que ainda estão desaparecidas sejam avaliadas em cerca de 130 mil euros. Nascido em 1938 e ainda ativo, Baselitz ganhou fama internacional liderando um renascimento da arte neoexpressionista, rejeitada pela ditadura nazista de Adolf Hitler. Artigo de Thomas Escritt para a agência de notícias Reuters publicado no jornal "O Estado de S. Paulo" em 5/9/17. Obra roubada de Willem de Kooning há 30 anos retorna para casa http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=182&ncid=1000&pg=0 É um bom dia para o Museu da Universidade de Arte do Arizona. A instituição celebra o retorno da pintura “Woman-Ochre” (1954–1955) de Willem de Kooning, que foi roubada um dia após o Dia de Ação de Graças de 1985, quase 32 anos atrás. Em 11/08/17, a universidade anunciou que a pintura tinha sido achada e devolvida pelo Antiquário Manzanita Ridge em Silver City, no estado de Novo México. Testes preliminares feitos pela restauradora do museu, Nancy Odegaard, descobriram a obra como autêntica. “Sempre estive otimista que um dia nós encontrássemos a pintura, isto é muito difícil descrever a emoção dela voltar pra casa”, disse Brian Seastone, o chefe do Departamento de Polícia da Universidade do Arizona e o investigador principal do caso. “Existe essa sensação de alívio e felicidade. Existe a sensação de calma. Ela voltou, está em casa, está onde ela deveria estar. Nós sabemos que a arte vale muito dinheiro, mas a história por trás disso não tem preço”. A pintura é um das seis obras da icônica série “Woman”. A outra obra, “Woman I (1950–1952), pertence ao Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA). O empresário bilionário Steven A. Cohen é dono da última obra em mãos privadas; ele possui a “Woman II (1952)” pelo valor de US$ 137.5 milhões do magnata da música David Geffen em novembro 2006. Em 2015, em um artigo do 30º ano de aniversário do roubo o jornal “UANews” especulou que a obra roubada poderia valer cerca de US$ 160 milhões. Anteriormente naquele ano, Geffen vendou outro de seus de Kooning, “Interchange” (1995), por US$ 300 milhões em um leilão privado, quebrando recorde da obra de arte mais cara do mundo. Os valores do artista em leilão são bem menores, de acordo com a Database de Preço do artnet, chegando ao máximo aos US$ 66.3 milhões em 2016. O roubo da pintura Woman-Ochre ocorreu na manhã de 29/11/1985, após um homem e uma mulher seguir um funcionário do museu. A mulher distraiu o guarda enquanto seu cúmplice, com óculos de bigode, ele tirou a tela da moldura e fugiu com a obra. O roubo durou 15 minutos. “Os ladrões de fato cometeram dois crimes aquele dia”, disse Kimberly Andrews Espy, o vice-presidente da Universsidade do Arizona, em depoimento do caso. “Primeiro eles roubaram uma importante pintura da coleção do museu da universidade. Eles roubaram também 30 anos de acesso ao público e dos estudantes do mundo inteiro, tirando a oportunidade deles de apreciá-la, de aprender com ela, e de serem inspirados por um importante artista”. Na época, a pintura valia US$ 600 mil. Sua localização durante essas três décadas após o roubo era desconhecida. Essa história volta à tona somente depois da aquisição de um imóvel sem nome pelos donos do Antiquário Manzanita, David Van Auker, Buck Burns, and Rick Johnson. “Nós não pagamos nem próximo de US$ 160 milhões por isso”, fala Buck Burns para o artnet, chamando a descoberta da pintura dentro da mansão como “feliz coincidência”. Van Auker colocou a pintura na vitrine de sua loja, onde muitos clientes comentaram que a obra parecia ser do de Kooning. Depois de pesquisar o artista, ele percebeu que sua última aquisição para o acervo da loja era na verdade uma obra perdida da Universidade de Arte. “No minuto que descobrimos, ligamos para o museu”, disse Buck. “Nós estamos felizes, felizes, felizes que a pintura está de volta em casa”. Decorrente a descoberta da pintura, Odegaard comparou a canvas com as pontas deixadas na moldura após roubo. As marcas de corte alinharam perfeitamente, provando de fato que era a mesma obra. Em depoimento, o presidente da Universidade do Arizona, Robert C. Robbins, agradeceu e tratou a equipe de Mazanita como heróis, completando que era um ótimo dia para a Universidade do Arizona e ótimas notícias para o mundo da arte e pessoas que se importam com a arte pública”. | Matéria traduzida do site artnet (www.artnet.com), em 11/08/17. Bilionário espanhol é condenado a prisão por tentar contrabandear Picasso http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=181&ncid=1000&pg=0 No caso judicial em curso contra o bilionário espanhol Jaime Botín, acusado de contrabandear um Picasso fora da Espanha, o promotor solicitou uma pena de prisão de quatro anos e uma multa de 100 milhões de euros contra o herdeiro e colecionador, membro da família do banco mais bem sucedido da Espanha. Botín é dono de uma pintura de Pablo Picasso, “Cabeça de uma jovem mulher” (1906), que foi apreendida pelas autoridades francesas no verão de 2015 a partir de um iate ancorado na Córsega e registrada em uma empresa da qual Botín é o principal acionista . A pintura avaliada em de 26 milhões de euros foi declarada um tesouro cultural pelo Tribunal Nacional espanhol em maio de 2015 e foi recusada uma licença de exportação antes da apreensão. Em agosto de 2015, a pintura apreendida foi transportada para o Museu Reina Sofía em Madri, onde permanecerá até a conclusão da investigação. No entanto, poderia permanecer no museu ainda mais: além da pena de prisão e da multa pesada. O jornal El País informa que o promotor solicita que a propriedade do trabalho seja transferida para o estado, invocando o artigo 29 da Lei do Patrimônio Espanhol. De acordo com a lei , “qualquer imóvel ou móvel pertencente ao Patrimônio Histórico Espanhol que é exportado sem a autorização requerida pertence ao Estado. É inalienável e não pode caducar”. O artigo também estabelece que “qualquer propriedade recuperada e não atribuída deve ser alocada a um centro público”. (Museu Reina Sofía é um museu público). O promotor rejeitou todas as reivindicações apresentadas pela defesa de Botín no processo judicial em curso. O último argumento dos representantes legais de Botín é que nem o banqueiro nem seus conselheiros pensaram que a navegação no Mediterrâneo nas águas da União Européia poderia violar a proibição de exportação ou poderia constituir o contrabando e que o trabalho nunca deixou seu cenário privado. O caso remete a dezembro de 2012, quando um pedido de permissão para exportar a pintura fora da Espanha foi apresentado pela Christie’s Iberica em nome da empresa Euroshipping Charter Company Ltd., ligada a Jaime Botín. O destino inicial era Londres, mas José Ignacio Wert, então ministro da educação, cultura e esportes, recusou-se a permitir que a pintura deixasse a Espanha. Botín adquiriu a pintura em 1977 e Picasso pintou a obra de arte quando tinha 24 anos. Seu valor contempla o fato de que é um dos poucos exemplos do período de Gósol de Picasso, considerado chave na sua evolução cubista subseqüente. | Matéria originalmente publicada no site ArtNet, em 26/07/17. Polícia espanhola recupera três obras de Francis Bacon roubadas em Madri http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=180&ncid=1000&pg=0 A polícia espanhola informou nesta quarta-feira (19) ter recuperado três das cinco obras do artista Francis Bacon roubadas em uma casa de Madri em 2015. As cinco pinturas, avaliadas em conjunto em 25 milhões de euros, foram roubadas em julho de 2015 de uma casa da capital espanhola junto com outros objetos de valor quando o proprietário estava ausente. Três pessoas foram presas em janeiro em conexão com o caso, depois que a polícia realizou buscas em casas na região de Madri e apreendeu armas, manuais para decifrar cofres e equipamentos usados para cortar metal. A polícia não forneceu mais detalhes sobre as obras recuperadas. | Matéria publicada originalmente no jornal "Folha de São paulo", em 19/07/17. Pintura de Guercino roubada e encontrada em Marrocos volta à Itália http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=178&ncid=1000&pg=0 Uma obra-prima de €6 milhões roubada da Itália em 2014 e descoberta em Marrocos foi devolvida às autoridades italianas. A pintura do século XVII de Giovanni Francesco Barbieri, conhecido pelo mundo da arte como Guercino, foi roubada da Igreja de São Vicente de Modena, no norte da Itália, em agosto de 2014. O trabalho, chamado “The Virgin, Saint John the Evangelist and Gregory the Miracle Worker” e avaliado em até € 6 milhões (USD $ 6,9 milhões), foi encontrado em um mercado no distrito El Hassini de Casablanca, em Marrocos, em fevereiro deste ano. As autoridades marroquinas que trabalham com a Interpol localizaram o trabalho de Guercino e prenderam pelo menos três pessoas que acreditavam estar trabalhando com uma rede criminosa organizada que trata do tráfico de antiguidades, disse a Direção-Geral de Segurança Nacional (DGSN) do país no momento das prisões de 15 de fevereiro. A mídia marroquina diz que as autoridades foram alertadas por um entusiasta de arte que reconheceu a pintura e contatou a polícia. Uma quarta pessoa, de nacionalidade marroquina, foi presa na Itália. Fontes em Bolonha disseram que Tahir Mustapha morava perto da igreja com sua família italiana e enviou a obra-prima em um tapete enrolado. A pintura foi danificada durante o roubo e precisa de uma grande restauração. A pintura de Guercino, em italiano traduzida como "The Squinter", porque ele aparentemente sofria de estrabismo, foi feita em 1639; ele também completou uma série de trabalhos feitos a clientes estrangeiros ricos antes de sua morte em 1666. A pintura retrata a história tradicional de São Gregório, um bispo do terceiro século que viveu onde hoje é a Turquia, e que viu os outros dois personagens em uma visão. A obra foi devolvida ao embaixador italiano em Marrocos, Roberto Natali, pela polícia em Casablanca e espera-se que volte para Modena. | Matéria publicada originalmente no portal Africa Times (www.africatimes.com), em 16/07/17. Lava Jato confirma autenticidade de obra aprendida com ex-diretor da Petrobrás http://mapadasartes.com.br/pegaladrao.php?id=177&ncid=1000&pg=0 O artista Fernando Lucchesi não teve dúvidas ao ver a pintura que retrata um enorme vaso de flores, apreendida pela Lava Jato: "Esse quadro é meu", afirmou. Ao que o chefe da perícia da Polícia Federal em Curitiba, Fábio Salvador, respondeu: "Não acredito". A investigação queria demonstrar, com dados objetivos, que o quadro apreendido na casa do ex-diretor da Petrobras Renato Duque era, de fato, do pintor mineiro. Duque é suspeito de usar obras de arte para lavar dinheiro de propina obtida na estatal: a PF apreendeu 132 peças em sua casa. Demorou quase um ano, mas a equipe de peritos concluiu um laudo que promete ser um marco para a investigação de lavagem de dinheiro no Brasil: ele atesta a autenticidade do quadro "Para Guignard" – que, afinal, era mesmo de Lucchesi. Com o uso de cinco técnicas diferentes, o trabalho estabelece um parâmetro para avaliar com segurança a autoria e o valor de uma obra de arte, e então estimar o montante e as condições da lavagem de dinheiro. Assim, confere precisão à imputação do crime. Por exemplo: o quadro era verdadeiro ou falso? O dono sabia disso? Ele pagou mais ou menos do que a tela valia? "Essa precisão nos dá mais segurança para pedir reparação de danos e decretar o perdimento desses bens", avalia o procurador da República Diogo Castor de Mattos, integrante da força-tarefa da Operação Lava Jato. "É um laudo que foge do achismo", resume Salvador, que coordenou o trabalho. A Folha teve acesso ao laudo, anexado ao inquérito policial contra Duque no mês passado. Os peritos da PF começaram a análise com a grafoscopia, que conferiu a assinatura do artista. Em seguida, com a ajuda de pesquisadores da UFPR (Universidade Federal do Paraná), fizeram um exame chamado microscopia Raman, que checou os espectros das tintas utilizadas na tela (uma espécie de "digital" da física), somado à microscopia eletrônica, que realiza uma análise química dos materiais. A perícia ainda tirou uma fotografia rasante, que avaliou o processo criativo do pintor, conferindo o tipo de pinceladas; e outra com luz ultravioleta, que eliminou a presença de adulterações na tela. A PF levou o pintor ao Museu Oscar Niemeyer, que tem a guarda da obra, para atestar sua autenticidade. Lucchesi emprestou até um pincel aos peritos, que o compararam com as tintas utilizadas no quadro. "Eu preciso de provas, de dados objetivos", comenta Salvador. "Desconfio de todo mundo. O trabalho da ciência é convencer os outros", declarou. Três universidades foram parceiras do trabalho e cederam equipamentos e expertise à perícia: a USP, a UFPR e a UFMG. REPERCUSSÃO O laudo não foi concluído a tempo de alterar as imputações contra Duque, que já é réu sob acusação de lavagem de dinheiro. Mas deve estabelecer um protocolo para laudos futuros –há cerca de 30 em andamento na Operação Lava Jato e centenas de obras apreendidas. "É uma das formas mais tradicionais de se lavar dinheiro, porque a obra de arte não desvaloriza. Pelo contrário, o valor multiplica", comenta a museóloga Patricia Moura, que atuou como laudista na apreensão dos quadros de Duque. "É uma bela poupança que pode ser guardada em qualquer lugar, e invisível aos olhos da maioria." Outras técnicas também estão sendo testadas: num quadro do artista Sergio Telles, por exemplo, que viveu no Líbano, a PF pretende analisar os fungos no fundo da tela, para avaliar se eles são típicos daquela região. A equipe ainda prepara as malas para avaliar o acervo de Márcio Lobão, filho do senador Edison Lobão (PMDB-MA), que teve 1.200 obras apreendidas no Rio de Janeiro. A metodologia pode ter consequências no mercado de arte brasileiro, ao detectar falsificações em galerias, leilões e museus. "Isso denigre o mercado, os espaços de exposição", diz Moura. "É de interesse de todos. Serve para dizer: você não está comprando gato por lebre. E quem ganha, no fim, é o público." O objetivo dos peritos é lançar um "laboratório de obras de arte" na PF, para que os laudos saiam "igual pão quentinho", diz Salvador. O plano, porém, carece de investimento: apenas um dos equipamentos custa R$ 1,5 milhão. Preso há dois anos, Duque, que tenta firmar um acordo de delação, admitiu em depoimento recente que parte dos quadros foi comprada com dinheiro ilícito, mas diz que colecionava por gosto. "Obra de arte não é para ficar fazendo negócio; não é para quem não entende do assunto", afirmou. | Matéria de Estelita Hass Carazzai, de Curitiba, para o jornal “Folha de São Paulo”, em 20/06/17. Residência Artística Fábrica.Lab Museu Vale | Vitória - ES http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=587&pg=0&ncid=1 Inscrições prorrogadas até 20/09/17. 9° Salão dos Artistas Sem Galeria 2017/2018 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=586&pg=0&ncid=1 As exposições das obras dos artistas selecionados em duas galerias de São Paulo (entre 15/01/18 e 24/02/18), simultaneamente, e em Belo Horizonte (de 10/3 a 20/4/18). Inscrições entre 11 de setembro a 06 de novembro de 2017. 26º Salão de Arte do CCBEU – MABEU Primeiros Passos | Belém | 2017 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=585&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 30/09/17. 1º Edital de Ocupação da Casa Porto das Artes Plásticas – Vitória (ES) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=584&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 25/08/17 para proponentes residentes no município de Vitória. 4ª Edição Novas Poéticas (BA e RJ) 2017 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=583&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 29/07/17. Seleção Exposições Solo Sagrado de Guarapiranga - 2017| 2018 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=582&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 30/09/17. A Nova Arte Política – Fundação Lauro Campos (FLC) | 2017 http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=581&pg=0&ncid=1 Inscrições abertas até 04/06/17 Coletiva AIREZ 2017 – Curitiba (PR) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=580&pg=0&ncid=1 Galeria Airez, em Curitiba, recebe inscrições até 18/06/17 de artistas interessados em expor seus trabalhos na coletiva Metanóia. Museu Oscar Niemeyer | propostas de exposições http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=579&pg=1&ncid=1 Inscrições abertas até 28/04/17. Museu da Diversidade Sexual (MDS) | MAAP (SP) http://mapadasartes.com.br/saloes.php?id=578&pg=1&ncid=1 Inscrições abertas até 12/05/17 para a seleção de propostas e integrar a exposição fotográfica coletiva “Cotidiano Plural”.