destaques
conteúdo
publicidade

APBA (ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE BELAS ARTES)

  • XXXVII Salão da Paisagem Paulista e Salão da Cidade São Paulo (de 27/01/18 a 21/02/18).
  • Centro: r. Conselheiro Crispiniano, 53, 13º andar, estação Anhangabaú do Metrô, tel. (11) 3214-4711. Seg. a sex., 9h/17h. www.apba.com.br

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE MEDICINA

  • A Sala Modernista exibe mostra permanente com mais de 60 obras, datadas entre o período de 1930 a 2009, de Alex Flemming, Aldemir Martins, Aldo Bonadei, Anita Malfatti, Caciporé Torres, Claudio Tozzi, Di Cavalcanti, Maria Bonomi, Tarsila do Amaral, Alfredo Volpi, José Pancetti, Lasar Segall, Flávio de Carvalho, José Antonio da Silva, Cândido Portinari e outros.
  • Bela Vista: av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278, 8º andar, tel. (11) 3188-4304. Seg. a sex., 9h/19h. www.apm.org.br

CAIXA CULTURAL

  • A exposição “Um Autorretrato Cubano” traz em panorama a obra do fotógrafo cubano José A. Figueroa, com cerca de 60 fotografias feitas entre os anos 1970 aos dias atuais. Dividida em quatro seções, a mostra apresenta toda a transição da fotografia documental para a fotografia simbólica e conceitual do artista, tanto em Cuba como em toda a América Latina. Curadoria de Cristina Figueroa do Estudio Figueroa –Vives, em Havana (de 09/01/18, às 18h, a 04/03/18).
  • A exposição Flávio De Carvalho – Expedicionário, com curadoria de Amanda Bonan e Renato Rezende, reúne fotografias, documentos, cadernos de viagem, matérias de jornal e vídeo, ou vestígios deixados por projetos de cunho experimental e expedicionário. Dividida em expedições, a mostra conta com temas “Viagem à Europa” (1934-1935), que rendeu os relatos do livro “Os Ossos do Mundo”; “Rumo ao Paraguai” (1943-1944); e “Viagens aos Andes” (1947), contendo dados e documentos dessa incursão do artista à América Latina. Inclui ainda “Viagem à Amazônia (1956)” com projeção do filme A Deusa Branca — Flávio de Carvalho, que uniria pesquisa etnográfica e drama ficcional de tons surrealistas, sobre uma menina branca raptada por índios. Em 27/01, às 16h, ocorre o lançamento do catálogo, seguido de debate com Ana Maria Maia, Larissa da Costa da Mata, Renato Rezende e Veronica Stigger (de 09/01/18, às 18h, a 04/03/18).
  • A mostra A Construção do Patrimônio apresenta um panorama de importantes momentos da história das políticas públicas de preservação do Brasil, com cerca de 150 obras, entre documentos raros, quadros e esculturas, além de desafios que envolvem a expansão do conceito de patrimônio. A exposição é dividida em 12 ambientes, dentre o acervo com obras de Tarsila do Amaral, Mário de Andrade, Lúcio Costa, Marcel Gautherot, Germano Graeser, Eric Hess, Oscar Niemeyer, Pierre Verger, Mestre Vitalino e uma réplica de Aleijadinho. O projeto tem curadoria de Luiz Fernando de Almeida. Em 01/02, às 18h, ocorre uma visita guiada seguida de debate com Anna Beatriz Galvão e Luiz Fernando de Almeida (de 09/01/18, às 19h, a 04/03/18).

CASA DE PORTUGAL

  • A exposição São Paulo em Cores reúne cerca de 50 obras de cerca de 20 artistas que celebram os 464 anos da cidade. Com curadoria de Vera Simões, a mostra propõe uma linha cronológica afetiva da cidade, mostrando o caminho da capital paulista para chegar no seu formato atual. Partcipam as artistaa Kaju, Lelli de Orleans e Bragança,Beatriz de Carvalho, Teresinha César, Angelika Altmann, Odhila Renofio, Almira Reuter, Licia Pacifico, Nancy Hassun e outras (de 25/01/18 a 23/02/18).

CENTRO BRASILEIRO BRITÂNICO

  • O CBB, inaugurado em 2000, foi idealizado pela Cultura Inglesa com o objetivo de reunir atividades relacionadas a cultura, educação, lazer e comércio entre Brasil e Reino Unido. O complexo foi projetado por Botti Rubin e conta com galerias de arte, biblioteca, restaurante, sala de espetáculos e salas de reuniões de algumas instituições, entre elas o Consulado Geral Britânico e a BBC.
  • Pinheiros: r. Ferreira de Araújo, 741, tel. (11) 3035-0500. Seg. a sex., 10h/19h; sáb. e dom., 10h/16h. www.cbb.org.br

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL

  • A grande retrospectiva do artista nova-iorquino de ascendência afro-caribenha Jean-Michel Basquiat reúne 80 peças, entre quadros, desenhos, gravuras e pratos pintados, pertencentes à coleção da família Mugrabi, dona das maiores coleções de Basquiat do mundo. A retrospectiva traz obras feitas logo depois que ele deixou de vender cartões postais de sua autoria nas ruas até os momentos finais de sua produção. Nessa trajetória, ganham destaque os desenhos, que eram menos valorizados anteriormente. As obras são do megacolecionador israelense Jose Mugrabi. Após São Paulo, a exposição segue para Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro (de 25/01/18 a 07/04/18).
  • Centro: r. Álvares Penteado, 112, tel. (11) 3113-3651. Qua. a seg., 9h/21h. Visitação com hora agendada pelo site www.ingressorapido.com.br, pelo aplicativo da Ingresso Rápido (IOS ou Android) ou na bilheteria. www.bb.com.br/cultura

ESPACIO URUGUAY | BANCO DE LA REPUBLICA ORIENTAL DEL URUGUAY

  • Mares, Cores e Estrelas Guia é projeto de Ângela Oliveira, que já percorreu 15 países, exposição coletiva de artes, esporte e solidariedade (de 20/02/18 a 05/03/18).
  • A mostra coletiva SP 464 - Segredos que São Paulo Esconde homenageia a cidade com conjunto de obras da artista convidada, Alexandra Loras, Adelmo Avancini, Annamaria Satiro, Dante Falla, Dimas Restivo, Edu Silva, Eduardo Dulla, Elizete Cogo, Igor Gomes, José Brandão, Lu Mourelle, Luciano Oliveira, Luiz A. Abbud, Luiz de Souza, Maazo Heck, Marilene Ropelato, Selma Fukai, Takita, Wagner Ribeiro, Williams Delabona e Zilton de Paula/ e os designers de joiasBeatriz Drigo, Buena Prata, Carlos Yamassaki, Claudia Fantinati, Natjoias e Via Vítrea (31/01/18, das 18h30 às 21h30, a 02/03/18).
  • Primeiro Espacio Uruguay construído no exterior, na sede do Banco de la República Oriental del Uruguay, foi inaugurado em 2011, pelo ex-presidente uruguaio José Mujica. O espaço mantém um calendário anual com manifestações artísticas da cultura de países com os quais o Uruguai mantém relações.

ESPAÇO CULTURAL PORTO SEGURO | alameda Barão de Piracicaba

  • A mostra do artista cubano Carlos Garaicoa: Ser Urbano apresenta um conjunto de oito obras, entre instalações, vídeos, fotografias, maquetes e desenhos, que tratam sobre o contraste de questões sociais, econômicas e políticas que impactam diretamente na formação das subjetividade da utopia urbana e arquitetônica. Curadoria de Rodolfo de Athayde. Em 08/02, das 16h às 18h, ocorre um bate-papo com o artista (de 06/02/18, às 19h, a 06/05/18).
  • Com área total de 961m², o novo espaço integra o Complexo Cultural Porto Seguro, que abriga, em um mesmo quarteirão, o Teatro Porto Seguro, o restaurante e o café Gemma, além de obras de arte instaladas no entorno da sede da empresa. O Espaço é uma plataforma das mais diversas manifestações artísticas e culturais com ênfase no pensamento contemporâneo. O lugar atua como vitrine, observatório e usina de arte, promovendo o diálogo com a sociedade por meio de exposições, cursos, oficinas, palestras, laboratório de fabricação digital PortoFabLab e outros.
  • Campos Elíseos: alameda Barão de Piracicaba, 610, tel. (11) 3226-7361. Ter. a sáb., 10h/19h; dom., 10h/17h. Estacionamento pago no local. Vans gratuitas fazem o transporte de ida e volta da Estação da Luz (na saída Praça da Luz; Rua José Paulino) às dependências do espaço cultural. www.espacoculturalportoseguro.com.br

ESPAÇO CULTURAL VÉRTICE

  • A mostra Soraia Dias, Pinturas reúne um conjunto de pinturas da artista, que trabalha com a potência da cor e a singeleza de suas composições e elementos norteadores de seu trabalho (de 31/01/18, às 18h, a 23/03/18).
  • O Espaço Cultural Vértice é uma iniciativa do Colégio Vértice para o incentivo à cultura. Fundado em 2010, oferece uma programação variada de cursos, palestras, oficinas e exposições.

FAROL SANTANDER

  • O espaço cultural inaugura com a exposição Belo, Transitório, Intangível e Finito com obras inéditas do coletivo russo Tundra e Laura Vinci que ocupam os 22º e o 23º andares do Edifício Altino Arantes. Laura Vinci apresenta em “Diurna”, projeto criado especialmente para a mostra, que traz projeções em videomapping com sombras de árvores evidenciadas ou apagadas pela ausência ou incidência da luz, no ritmo da respiração. Já os russos do Tundra exibe a obra “O Dia que Saímos do Campo” (The Day We Left Field), instalação audiovisual proposta pelo coletivo que mergulha o expectador em uma jornada em um jardim invertido constantemente escaneado por disparos de laser que criam diferentes padrões (de 25/01/18 a 04/05/18).
  • Centro: R. João Brícola, 24, estação São Bento do Metrô, tels. (11) 3249-7180 / 7466. Ter. a dom., 09h/19h. Ingrs.: de R$ 7,50 a R$ 20 pelo Ingresso Rápido. www.farolsantander.com.br

GALERIA DE ARTE DO SESI

  • Para comemorar o aniversário de São Paulo, a galeria apresenta a mostra “São Paulo, Sinfonia de uma Metrópole”, que exibe 61 imagens em preto e branco da cidade registradas entre 1925 e 1940 pelo fotógrafo alemão Theodor Preising (1883-1962), além de revistas e cartões postais da época. A mostra traz ainda trechos do filme homônimo, de1929, que inspirou o nome da exposição. A curadoria é de Rubens Fernandes Junior (de 24/01/18, às 19h, a 25/03/18).
  • “Circonjecturas” reúne objetos cinéticos, molduras que se transformam em esculturas, bordados-objetos, além de pinturas e desenhos de Rafael Silveira, que misturam botânica, tatuagem, circo e publicidade dos anos 1950. A curadoria é de Baixo Ribeiro (de 24/01/18, às 19h30, a 06/05/18).
  • Cerqueira César: av. Paulista, 1.313, estação Trianon-Masp do Metrô, tels. (11) 3146-7405 / 7406. Seg., 11h/20h; ter. a sáb., 10h/20h; dom., 10h/19h. www.sesisp.org.br/centrocultural

GARE CULTURAL | ABRA (ACADEMIA BRASILEIRA DE ARTE) | Vila Mariana

  • A coletiva Complemento exibe desenhos e pinturas de Fernando Burcius, Luzia Camata, Marina Aikawa e Sandra Wanderley (de 17/02/18 a 17/03/18).
  • Vila Mariana: r. Cubatão, 959, tels. (11) 3564-2695 / 2696. Seg. a qui., 8h30/21h30; sex., 8h30/20h; sáb., 8h30/14h. www.abra.com.br/vilamariana

HERANÇA CULTURAL DESIGN

  • Mostra traz seleção de peças raras originais de mestres do modernismo brasileiro dos anos 1950 e 1960 entre outros nomes do design contemporâneo, como Arthur Casas, Zanine de Zanine, Leo Capote, Gustavo Bittencourt, Ronald Sasson, Rodrigo Ohtake e Flávio Franco. Inclui ainda trabalhos do artista Jaime Prades (mostra de longa duração).
  • Alto da Lapa: r. Antônio de Mariz, 131.

INSTITUTO MOREIRA SALLES | PAULISTA

  • A mostra Anri Sala: o Momento Presente é a segunda apresentação ampla do artista albanês Anri Sala (Tirana, 1974) no Brasil. reunirá trabalhos recentes, sobretudo videoinstalações sonoras. Destaque para a videoinstalação “The Present Moment” (in D) e “The Present Moment” (in B-flat) (2014), apresentada pela primeira vez no país, em que o artista reconstrói a composição Verklärte Nacht (Noite transfigurada), Op. 4, de Arnold Schönberg. Na abertura, às 19h, ocorre uma conversa entre o artista e a curadora Heloisa Espada (de 12/12/17, das 18h às 22h, a 25/03/18).
  • Chichico Alkmim, Fotógrafo apresenta mais de 300 imagens de Diamantina e arredores, produzidas pelo fotógrafo mineiro Francisco Augusto Alkmim (1886-1978) na primeira metade do século 20. Ao contrário de outros fotógrafos de estúdios pelo interior do Brasil nesse período, Chichico nunca se limitou a retratar a burguesia diamantinense, mas também trabalhadores ligados ao pequeno garimpo, ao comércio e à indústria e também fotografou casamentos, batizados, funerais, festas populares e religiosas, paisagens e cenas de rua. A exposição sintetiza em ordem cronológica as fases do trabalho do fotógrafo, apresentadas em salas ambientadas. Curadoria de Eucanaã Ferraz. Na abertura, às 18h, ocorre exibição do filme “Terra deu, terra come”, de Rodrigo Siqueira, que conta a história do quilombo Quartel do Indaiá, região onde Chichico passou sua infância e juventude. Após a sessão, às 19h30, acontece uma visita guiada com o curador (de 23/01/18, às 18h, a 15/04/18).
  • São Paulo, Três Ensaios Visuais, com curadoria de Guilherme Wisnik, resgata os personagens da cidade, com fotografias feitas a partir de 1862, de Militão Augusto de Azevedo, Alice Brill e Mauro Restiffe, entre outros (até julho de 2018).
  • Exposição permanente: “Câmera Aberta” é um projeto do alemão Michael Wesely iniciado em 2014 a convite do Instituto Moreira Salles, que capturaram continuamente imagens das quatro faces do novo centro cultural sendo construído. As quatro imagens do projeto e uma das câmeras utilizadas estão expostas no Estúdio, espaço que ocupa o último andar do instituto.
  • Bela Vista: av. Paulista, 2.424. Tel.: (11) 2842-9120. Ter. a dom. e feriados, 10h/20h; qui., 10h/22h. www.ims.com.br

INSTITUTO TOMIE OHTAKE

  • Julio Le Parc: da Forma à Ação apresenta mais de 100 obras do artista argentino, entre instalações, obras em papel e arquivos. Conhecido pela arte cinética e envolvimento do público à obra, ele é relembrado desde as primeiras produções dos anos 1950 ao monumental “A Longa Marcha”, formado por 10 pinturas (de 25/11/17, às 13h, a 25/02/18).
  • A designer gráfica Joana Lira, responsável pela identidade visual e cenográfica do carnaval de Recife entre 2001 e 2011, apresenta em “Quando a Vida é uma Euforia” alegorias do frevo, maracatu, coco de roda, ciranda, caboclinho, manguebit e outras manifestações pernambucanas (de 23/01/18, às 20h, a 04/03/18).

ITAÚ CULTURAL

  • O espaço, que sempre realiza exposições de arte, conta também com uma midiateca voltada à arte e cultura brasileiras e composta por biblioteca (fechada para reformas), videoteca, hemeroteca e cedeteca, reunindo um acervo de 40 mil títulos. Visitação: ter. a sex., 12h/20h; sáb., 10h/19h. Já a Itaú Numismática reúne mais de 2 mil objetos expostos, entre moedas portuguesas e brasileiras, medalhas e condecorações. Visitação: ter. a qui., 10h/17h; qua., 11h/21h; sex. e sáb., 10h/19h.
  • Cinco séculos de arte brasileira estão reunidos em dois andares da instituição, o Espaço Olavo Setubal – Coleção Brasiliana Itaú exibe permanente parte das coleções Brasiliana Itaú e Itaú Numismática do banqueiro e ex-prefeito de São Paulo. São obras fundamentais que percorrem desde o descobrimento até o final do século XX. 1300 itens, entre pinturas, gravuras, documentos históricos, livros, incluindo trabalhos de inestimável valor histórico. O espaço abriga também a coleção de numismática da instituição, que traça um amplo panorama das moedas cunhadas e que tiveram circulação pelo país, entre outras curiosidades (a partir de 13/12/14, às 11h).
  • Cerqueira César: av. Paulista, 149, estação Brigadeiro do Metrô, tels. (11) 2168-1700 / 1777. Ter. a sex., 9h/20h; sáb. e dom., 11h/20h. www.itaucultural.org.br

JAPAN HOUSE

  • "Futuros do Futuro” traz a arquitetura japonesa contemporânea de Sou Fujimoto. Produzida pela Toto Gallery Ma, de Tóquio, a exposição é composta por painéis e pequenas maquetes que retratam parte do trabalho do arquiteto, além de ideias e o processo de execução de Fujimoto, por meio de obras passadas e atuais, além de sugerir o potencial de construção para o futuro (de 21/11/17, às 16h30, a 25/02/18).
  • O novo centro cultural da cidade promove, em seus três andares, exposições, seminários, workshops e atividades com os mais relevantes criadores e empreendedores japoneses da atualidade nas artes, no design, na moda, na gastronomia, na ciência e na tecnologia. O espaço abriga ainda um restaurante, loja de produtos de alta qualidade, uma biblioteca e um café. O novo espaço é um dos três que o governo japonês abrirá no mundo em 2017, além de Londres e Los Angeles, e que pretendem mostrar o melhor do Japão no século 21.

MAB (MUSEU DE ARTE BRASILEIRA) | FAAP | CENTRO

  • A exposição É um Solo que os Outros Acompanham apresenta o resultado de dois anos de intenso processo de troca e imersão da pesquisa e da experimentação em artes, que levou ao desenvolvimento de ensaios visuais. A mostra reúne trabalhos artistas de conclusão da turma da pós-graduação Práticas Artísticas Contemporâneas da FAAP. Participam Carolina Velasquez, Duxo Durazzo, Júlia Milaré, Malka Borenstein, Marietta Toledo, Miriam Bratfisch Santiago, Natasha Barricelli, Pedro Guedes, Roberto Vietri e Sofia Saleme (de 17/02/18, das 11h às 17h, a 18/03/18).
  • O espaço fica no Edifício Lutetia, de propriedade da FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado). É um projeto de Ramos de Azevedo (1851-1928) inaugurado na década de 1920. A construção faz parte de um conjunto de três prédios independentes com uma fachada única, tendo oito pavimentos, mais o térreo e o subsolo, em um terreno de 256 m². Além disso, o edifício possui oito lofts que hospedam artistas brasileiros e estrangeiros, estudantes de artes plásticas, em projetos de intercâmbio cultural.
  • Centro: Praça do Patriarca, 78, Edifício Lutetia, tel. (11) 3101-1776. Seg. e qua a sex., 10h/18h com permanência até às 19h. Sáb., dom., e feriados, 10h/17h, com permanência até às 18h. Fechado às terças-feiras. www.faap.br/museu

MAB-FAAP (MUSEU DE ARTE BRASILEIRA DA FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO)

  • Práticas Artísticas Contemporâneas apresenta proposta dos alunos de pós graduação na matéria homônima da faculdade (de 17/02/18 a 18/03/18).
  • A Cor Não Tem Fim: Pinturas e Tapeçarias de Jacques Douchez, com pinturas, desenhos e tapeçarias de Jacques Douchez, artista francês radicado no Brasil desde 1949 (de 17/01/18 a 16/12/18).
  • O espaço abriga exposições de longa duração que rendem tributo à cor como componente fundamental na composição da linguagem visual: P/B - Acervo MAB, um recorte de obras exclusivamente dominadas pelos pigmentos preto, branco e as gamas intermediárias de tons cinza que existem entre eles (de 17/01/18 a 16/12/18).
  • O MAB-Faap, inaugurado em 1960, mantém em acervo obras de artistas modernistas como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Brecheret, Portinari, Di Cavalcanti, Segall, Guignard e Volpi; e de artistas de períodos posteriores como Tomie Ohtake e Evandro Carlos Jardim; além de trabalhos de artistas da arte brasileira atual, como Sandra Cinto, Albano Afonso e Cláudio Mubarac. No saguão do espaço, o público pode conferir 19 moldagens em gesso de esculturas de Aleijadinho, portais de igrejas e residências mineiras e baianas relacionadas ao barroco brasileiro. Também no saguão há dois painéis de vitrais realizados pela Casa Conrado, sendo que um deles, o do teto, é da artista Cláudia Andujar. Na área externa do prédio, o Jardim de Esculturas reúne obras em grandes formatos de Amílcar de Castro, Arcângelo Ianelli, Bruno Giorgi, Caciporé Torres, Franz Weissmann, Maria Guilhermina, Vlavianos, Sergio Camargo e Yutaka Toyota.
  • Higienópolis: r. Alagoas, 903, tel. (11) 3662-7198. Seg., qua., qui. e sex., 10h/19h (entrada até 18h); sáb. e dom., 10h/18h (entrada até 17h). www.faap.br/museu

METRÔ | ESTAÇÃO ADOLFO PINHEIRO

  • Exposição de longa duração O Bonde em Santo Amaro.
  • Santo Amaro: av. Adolfo Pinheiro, 300.

METRÔ | ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA

  • Exposição de longa duração O Metrô e Seus Bairros - Ipiranga: o Bairro do Grito.

METRÔ | ESTAÇÃO CORINTHIANS-ITAQUERA

  • Produzido por Cinemagia, a estação abriga a mostra do Projeto Encontros – Memorial do Corinthians (mostra de longa duração).

METRÔ | ESTAÇÃO LARGO TREZE

  • Exposição de longa duração O Metrô e Seus Bairros – Santo Amaro.

METRÔ | ESTAÇÃO LIBERDADE

  • Vitrine de Ikebana (mostra de longa duração).

METRÔ | ESTAÇÃO TIRADENTES

  • A estação recebe obras do acervo do Museu de Arte Sacra e passa a ter uma sala fixa de exposições, a Sala Metrô Tiradentes, com uma área de 150m² no mezanino destinada exclusivamente para mostras de arte sacra. A estreia do novo espaço é com a mostra Em Busca do Presépio Universal, de longa duração, com cerca de 30 conjuntos de diversas nacionalidades e integrantes da Coleção de Presépios do MAS, com curadoria de Maria Inês Lopes Coutinho. Destaque para o Presépio Napolitano, confeccionado entre os séculos 18 e 20 com barro cozido e policromado, madeira, tecido, liga metálica e gesso. Dentre os conjuntos também está “La Nascita de la Esperanza”, obra de Ulderico Pinfildi, uma das maiores autoridades do mundo em presépios. A sala fica na área paga da estação (A partir de 01/12/15. Mostra de longa duração. Qua. a sex., 9h/17h; sáb. e dom., 10h/18h).

MuBA | MUSEU BELAS ARTES DE SÃO PAULO

  • O museu do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo mantém em acervo desenhos, pinturas e esculturas de artistas como Alfredo Oliani, Tulio Mugnaini, Lopes de Leão, Raphael Galvez, Colette Pujol, Julio Guerra e outros.
  • A instituição passa a abrigar as exposições e atividades de pesquisa do IAC (Instituto de Arte Contemporânea), depois de ter sido desalojado em 2011 de prédio da USP no Centro da cidade.
  • Vila Mariana: r. Dr. Álvaro Alvim, 76, Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, tel. (11) 5576-7300. Seg. a sex., 10h/20h; sáb. 10h/16h. www.belasartes.br | www.muba.com.br

PIVÔ

  • Fundada em 2012, a associação cultural atua como plataforma de intercâmbio e experimentação artística. O foco das atividades é o processo de construção e difusão de ideias a partir de concepção e desenvolvimento das propostas dos artistas. A programação contempla desde exposições, projetos específicos, intervenções, até edições e ateliês temporários.
  • Centro: Edifício Copan, av. Ipiranga, 200, bloco A, loja 54, tel. (11) 3255-8703. Ter. a sex., 13h/20h; sáb., 13h/19h. www.pivo.org.br

PROJETO FIDALGA

  • O Projeto Fidalga é um espaço independente sem fins lucrativos com objetivo de incentivar o intercâmbio entre artistas e projetos experimentais. Durante 18 anos esse local foi o ateliê de Sandra Cinto e Albano Afonso, agora com o ateliê num novo endereço, os dois artistas decidiram manter o antigo espaço como lugar de energia criativa e encorajamento à produção de jovens artistas. Inclui cinco ateliês, um espaço para exposições temporárias e abriga Residência Artística Paulo Reis.
  • A residência Paulo Reis e a Sala de exposições Projeto Fidalga, organizados pelos artistas Sandra Cinto e Albano Afonso, são projetos sem fins lucrativos com objetivo de incentivar o intercâmbio entre os artistas, produção jovem e projetos experimentais.

RED BULL STATION


  • A mostra Sobre Publicações traz trabalhos de 24 artistas que passaram pelas Residências Artísticas do Red Bull Station entre 2014 e 2015. São expostos pôsteres, livros, zines, cadernos e livros-objeto, entre outras publicações, que foram resultado ou influenciaram seus trabalhos desenvolvidos durante o programa. Curadoria de Paula Borghi (de 03/02/18 a 24/03/18).
  • O espaço está instalado em um edifício dos anos 1920, tombado desde 2002 pelo Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo) e conta com ateliês individuais, estúdios coletivos e espaço expositivo.

SESC BELENZINHO

  • A exposição Água traz obras de 23 artistas que tratam sobre o tema da água e sua importância para o meio ambiente, biodiversidade, ecossistemas, mudança do clima e preservação da água como um recurso vital. Participam Benji Boyadgian (Palestina/Finlândia), Carlos Montani (Argentina), Clemente Bicocchi (Itália), Dan Perjovschi (Romênia), Dorian Sari (Turquia), Eduardo Srur (Brasil), Guto Lacaz (Brasil), Iseult Labote Karamaounas (Grécia/Suíça), Jonathas De Andrade (Brasil), Laura Vinci (Brasil), Luca Pancrazzi (Itália), Marcello Maloberti (Itália), Marcelo Moscheta (Brasil), Maria Tsagkari (Grécia), Michel Favre (Suíça), Nigol Bezjian (Síria), Noritoshi Hirakawa (Japão), Rosana Palazyan (Brasil), Salomé Lamas (Portugal), Sheba Chhachhi (Índia), Stefano Boccalini (Itália), Vasilis Zografos (Grécia) e Velu Viswanadhan (Índia/França). Curadoria de Adelina von Fürstenberg (de 22/11/17, das 20h às 22h, a 18/02/18).
  • Belenzinho: r. Padre Adelino, 1.000, próximo à estação Belém do Metrô, tel. (11) 2076-9700. Ter. a sáb., 10h/21h; dom., 10h/19h. www.sescsp.org.br

SESC BOM RETIRO

  • A mostra Travessias Ocultas - Lastro Bolívia traz resultados de residência artística em Santa Cruz de La Sierra, no Lago Titicaca, mais precisamente na Isla Del Sol. A residência coletiva e autônoma contou com a participação das artistas, Denise Alves-Rodrigues (SP), Fernanda Porto (CE), Isadora Brant (SP), Julia Franco Braga (CE), Laura Berbert (MG), Patrícia Araújo (CE), Jonas Van Holanda (CE) e Valentina D’Avenia (SUIÇA) da curadora convidada Maria Catarina Duncan (RJ) e da curadora Beatriz Lemos (RJ). Os trabalhos reunidos derivam de pesquisas desenvolvidas em solo boliviano, idealizados durante a experiência de trânsito, e se localizam em um universo comum da adivinhação, da criação fantástica, dos rituais, oráculos, jogos, mapas e calendários; sobre a cosmovisão andina e o contexto político na Bolívia atual. Na abertura ocorre feira de cultura boliviana, coreografias e apresentações (de 27/01/18, a partir das 11h, a 06/05/18).
  • Acervo Permanente de Obras Contemporâneas. O Sesc Bom Retiro, inaugurado em 2011, é a unidade do Sesc no Estado de São Paulo com o maior conjunto de obras de arte. Os três andares abrigam cerca de 40 trabalhos assinados por artistas brasileiros contemporâneos como Daniel Costa, Anna Maria Maiolino, Daniel Costa, Descartes Gadelha, Cleber Machado, Anna Teixeira, Iran do Espírito Santo, J.Borges, Karen Kabbani, Marcelo Ivanhez, Maria Lira, Rubens Gerchman, Arthur Barrio, Bernadete Amorim, Claudio Tozzi e Marcelo Ivanhez.
  • Bom Retiro: al. Nothmann, 185, tel. (11) 3332-3600. Ter. a sex., 9h/20h30; sáb. e dom., 10h/17h30. www.sescsp.org.br

SESC INTERLAGOS

  • Confluências - Arte em Intercâmbio traz trabalhos de 27 artistas convidados para o projeto, pertencem de diversas regiões do país, tais como Pará, Paraíba, Piauí, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins, que compõem quatro exposições: “Desejo Vazante”, “O Designo e a Matéria”, “Territórios e Fronteiras” e “Um outro eu mesmo”. Curadoria coletiva de Alexandre Sequeira, Fernando Lindote e Renata Voss (de 09/12/17 a 04/03/18).
  • A mostra Acervo Sesc de Arte Brasileira traz obras de Denise Millan, Nicolas Vlavianos, João Câmara, Tide Hellmeister, Silvio Dworecki e outros. “Sonhos Gregos” conta com pinturas de John Graz (1891-1980). O projeto artístico e cenográfico “Canto das Artes” foca as atenções para a pintura “Nu”, de Carlos Leão. Eduardo Ver exibe xilogravura (mostras de longa duração).
  • Interlagos: av. Manuel Alves Soares, 1.100, tels. (11) 5662-9500 / 9521. Qua. a dom., 9h/17h. www.sescsp.org.br

SESC IPIRANGA

  • O projeto De Mestres e Donas: Arte e Cultura Popular realiza 50 atividades entre intervenções, cursos e oficinas de xilogravura, fotografia lambe-lambe, cerâmica e outras. Participam J.Borges, Mestre Nicola, Antonio Julião, Fran de Alagoas e outros (janeiro e fevereiro).
  • Ipiranga: r. Bom Pastor, 822, tel. (11) 3340-2000. Ter. a sex., 7h30/21h30; sáb., 10h/21h30; dom., 10h/17h30. www.sescsp.org.br

SESC SANTO AMARO

  • A mostra permanente Acervo SESC de Arte Brasileira ocorre em todas as unidades SESC da capital e do interior. No SESC Santo Amaro podem ser vistas obras de Luis Hermano, José Patrício, Efrain Almeida, Amélia Toledo, João Câmara e Alex Cerveny, entre outros.
  • Santo Amaro: r. Amador Bueno, 505 - Santo Amaro, tel: (11) 5541-4000. Ter. a sex., 10h/21h; sáb. e dom., 11h/18h. www.sescsp.org.br

SESC VILA MARIANA

  • Descobrimentos exibe a produção afro-brasileira da parceria entre Maré de Matos e Raul Zito (até 04/03/18).
  • Vila Mariana: r. Pelotas, 141, tels. (11) 5080-3000 e 0800-11-8220. Ter. a sex., 7h/21h30; sáb., 9h/21h; dom., 9h/18h30. www.sescsp.org.br