destaques
conteúdo
publicidade

A CASA | MUSEU DO OBJETO BRASILEIRO

  • A mostra Impressões - Mulheres Artistas no Acervo da cAsA reúne 52 obras de artistas 43 artistas mulheres. Entre os destaques estão produções de Käthe Kollwitz, Tarsila do Amaral, Fayga Ostrower, Lotus Lobo, Maria Bonomi, Tomie Otahke, Renina Katz e Lygia Pape. Na abertura ocorre lançamento do catálogo (de 30/03/17, às 20h, a 30/05/17).
  • Pinheiros: av. Pedroso de Morais, 1.216, tel. (11) 3814-9711. Ter. a dom., 11h/19h. www.acasa.org.br

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE MEDICINA

  • A Sala Modernista exibe mostra permanente com mais de 60 obras, datadas entre o período de 1930 a 2009, de Alex Flemming, Aldemir Martins, Aldo Bonadei, Anita Malfatti, Caciporé Torres, Claudio Tozzi, Di Cavalcanti, Maria Bonomi, Tarsila do Amaral, Alfredo Volpi, José Pancetti, Lasar Segall, Flávio de Carvalho, José Antonio da Silva, Cândido Portinari e outros.
  • Bela Vista: av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278, 8º andar, tel. (11) 3188-4304. Seg. a sex., 9h/19h. www.apm.org.br

CAIXA CULTURAL

  • J. Borges - 80 Anos é exposição em comemoração aos 80 anos de um dos maiores gravadores do Brasil. A mostra é composta de 40 xilogravuras, sendo 10 inéditas, com as matrizes originais com suas cores e cortes na madeira. Inclui um painel sobre sua trajetória, além de duas gravuras feitas pelos seus filhos homenageando o pai (de 11/03/17, às 11h, a 07/05/17).
  • A mostra “Kinográficos. Mobilidade” do artista paulista Feres Khoury apresenta a série inédita que dá nome à mostra, composta por pintura sobre papel e em formato de rolos que podem ser acionados pelo visitante através de uma máquina. São exibidos dez rolos em grande dimensão, 10 gravuras em metal, 10 desenhos, um livro de artista e esboços. Na abertura ocorre uma visita guiada com o curador e o artista. Em 01/04 ocorre o lançamento do catálogo. Já em 08/04, Khoury realiza uma oficina aberta ao público (de 11/03/17, às 11h, a 07/05/17).
  • Aquilo Que Nos Une apresenta trabalhos de 26 renomados artistas, tendo como elemento constitutivo em seus trabalhos a linha, a costura e o bordado como expressão poética e/ou suporte. Participam 40 obras de Adriana Varejão, Adrianna Eu, Ana Linnemann, Ana Miguel, Anna Bella Geiger, Arthur Bispo do Rosário, Carolina Ponte, Caroline Valansi, Clarisse Tarran, Claudia Hersz, Elisa Castro, Emmanuel Nassar, Jozias Benedicto, Leonilson, Letícia Parente, Marcos Chaves, Nazareno, Nazareth Pacheco, Renato Bezerra de Mello, Rodrigo Mogiz, Rosana Palazyan, Sonia Gomes, Tunga, Ursula Tautz, Vera Bernardes e Waltercio Caldas. Curadoria de Isabel Sanson Portella (de 11/03/17, às 11h, a 14/05/17).
  • “In Natura” é o mais recente projeto do fotógrafo e cineasta Jorge Bodanzky, onde retrata a natureza em 30 imagens feitas com câmera fotográfica em movimento e sem qualquer manipulação posterior, mas a partir da fusão entre elementos figurativos e abstratos. Em 11/03, às 11h, lançamento do catálogo da mostra com a presença do artista. Em 18/03, das 10h às 14h, ocorre a conversa “Além da Imagem”, com o artista sobre sua trajetória na fotografia e no cinema (de 11/03/17, às 11h, a 14/05/17).

CENTRO BRASILEIRO BRITÂNICO

  • O fotógrafo britânico Marcus Lyon exibe na exposição “Somos Brasil” o resultado de projeto fotográfico com retratos de cerca de 100 pessoas feitos em 25 cidades pelo Brasil. Além de fotografias, o resultado do projeto traz entrevistas em busca de mapear o DNA dos fotografados, com um cruzamento de informações baseadas em marcadores informativos de ancestralidade. Inclui também áudios. Na abertura ocorre também o lançamento de publicação que integra o projeto, editado pela Editora Madalena e pela ImageMagica (R$300) (de 09/03/17, das 19h às 22h, a 23/04/17).
  • O CBB, inaugurado em 2000, foi idealizado pela Cultura Inglesa com o objetivo de reunir atividades relacionadas a cultura, educação, lazer e comércio entre Brasil e Reino Unido. O complexo foi projetado por Botti Rubin e conta com galerias de arte, biblioteca, restaurante, sala de espetáculos e salas de reuniões de algumas instituições, entre elas o Consulado Geral Britânico e a BBC.
  • Pinheiros: r. Ferreira de Araújo, 741, tel. (11) 3035-0500. Seg. a sex., 10h/19h; sáb. e dom., 10h/16h. www.cbb.org.br

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL

  • Erwin Wurm – O Corpo é a Casa exibe esculturas, vídeos, instalações, performances, intervenções e obras interativas do austríaco pela primeira vez no país. Humor e críticas ao consumismo e comportamento humano são a marca do artista incluindo trabalhos icônicos como a “Casa Gorda” ou “Conversível Gordo” (de 25/01/17 a 03/04/17).
  • O pintor pernambucano Cicero Dias (1907-2003) ganha uma grande exposição em sua homenagem. A mostra itinerante apresenta ao público cerca de 125 obras de um dos mais importantes artistas brasileiros do século XX, cuja trajetória é reconhecida internacionalmente. Além das pinturas e desenhos, a exposição também contextualizando a história do artista evidenciando sua relação com poetas e intelectuais brasileiros, e sua participação no circuito de arte europeu, através de fac-símiles de cartas, textos e fotos trocadas com Manuel Bandeira, Gilberto Freyre, Murilo Mendes, José Lins do Rego, Mário Pedrosa, Pierre Restany, Paul Éluard, Roland Penrose, Pablo Picasso, Alexander Calder, entre outros. Curadoria de Denise Mattar (de 21/04/17 a 03/07/17).
  • Centro: r. Álvares Penteado, 112, tel. (11) 3113-3651. Qua. a seg., 9h/21h. Visitação com hora agendada pelo site www.ingressorapido.com.br, pelo aplicativo da Ingresso Rápido (IOS ou Android) ou na bilheteria. www.bb.com.br/cultura

CENTRO CULTURAL CORREIOS

  • Na individual “Sobrevoo”, o artista paulistano Marcos Amaro apresenta série inédita com 25 esculturas e assemblages, entre colagens com objetos e materiais tridimensionais, feitas de resíduos aeronáuticos. Além dos pedaços de aeronaves, tecidos surge em seus interstícios, um contraponto de suavidade da memória que ecoam no trabalho: a paixão por aviação. Curadoria de Ricardo Resende (de 04/03/17, às 11h a 17h, a 18/06/17).

ESPACIO URUGUAY | BANCO DE LA REPUBLICA ORIENTAL DEL URUGUAY

  • Em “Decifra-me”, Celina Lima Verde exibe uma série de obras inéditas. Na abertura será lançado o livro homônimo que apresenta uma retrospectiva de obras e textos de diversos críticos de arte, entre eles Enock Sacramento, que fizeram parte da trajetória da artista (de 11/03/17 a 12/04/17).
  • “Marcas de Cupertino” é mostra individual de Claudio Cupertino, que traz de Porto Alegre novas telas (de 18/04/17 a 12/05/17).
  • Primeiro Espacio Uruguay construído no exterior, na sede do Banco de la República Oriental del Uruguay, foi inaugurado em 2011, pelo ex-presidente uruguaio José Mujica. O espaço mantém um calendário anual com manifestações artísticas da cultura de países com os quais o Uruguai mantém relações.

ESPAÇO CULTURAL PORTO SEGURO | alameda Barão de Piracicaba

  • A mostra Ícones de Hollywood – Fotografias da Fundação John Kobal reúne 161 fotografias de 40 fotógrafos, das décadas de 1920 a 1960, que trabalharam nos bastidores de produções cinematográficas de Hollywood. As imagens são pertencentes à coleção Kobal, do escritor austríaco e historiador de cinema John Kobal (1940-1991), e conta com nomes, como Ernest Bachrach (1899-1973) - mais conhecido por seus retratos de Katharine Hepburn; John Miehle (1902-1952) - responsável pela maioria das fotos de Fred Astaire e Ginger Rogers dançando em cena aberta; Ted Allan (1910-1993) – apelidado de “Rembrandt”, fotografou a maioria das estrelas do estúdio MGM; John Engstead (1909-1983) – fez o retrato de Marlon Brando para Um Bonde Chamado Desejo (1951) e foi o fotógrafo exclusivo de Marlene Dietrich quando iniciou sua carreira musical; Robert Coburn (1900-1990) – fotografou todas as imagens de cena de King Kong (1933); e a única fotógrafa da exposição, Ruth Harriet Louise (1903-1940) – a primeira a ter uma carreira significativa em Hollywood com trabalhos com Joan Crawford e Greta Garbo. Curadoria de Robert Dance e Simon Crocker (de 17/02/17 a 16/04/17).
  • Com área total de 961m², o novo espaço integra o Complexo Cultural Porto Seguro, que abriga, em um mesmo quarteirão, o Teatro Porto Seguro, o restaurante e o café Gemma, além de obras de arte instaladas no entorno da sede da empresa. O Espaço é uma plataforma das mais diversas manifestações artísticas e culturais com ênfase no pensamento contemporâneo. O lugar atua como vitrine, observatório e usina de arte, promovendo o diálogo com a sociedade por meio de exposições, cursos, oficinas, palestras, laboratório de fabricação digital PortoFabLab e outros.
  • Campos Elíseos: alameda Barão de Piracicaba, 610, tel. (11) 3226-7361. Ter. a sáb., 10h/19h; dom., 10h/17h. Estacionamento pago no local. Vans gratuitas fazem o transporte de ida e volta da Estação da Luz (na saída Praça da Luz; Rua José Paulino) às dependências do espaço cultural. www.espacoculturalportoseguro.com.br

GALERIA DE ARTE DO SESI

  • Com curadoria de João Kulcsár, a mostra Magnum no Cinema exibe fotos clássicas e raramente vistas de importantes atores e atrizes de Hollywood nos bastidores de obras-primas cinematográficas. Participam obras de Elliott Erwitt, Henri Cartier-Bresson, Eve Arnold, Eugene Smith e outros (até 02/04/17).
  • Cerqueira César: av. Paulista, 1.313, estação Trianon-Masp do Metrô, tels. (11) 3146-7405 / 7406. Seg., 11h/20h; ter. a sáb., 10h/20h; dom., 10h/19h. www.sesisp.org.br/centrocultural

GALERIA SENAC LAPA SCIPIÃO

  • A artista Sonia Guggisberg apresenta na mostra “Contaminações” um conjunto de obras em som, em vídeo e em fotografias, feitos entre 2013 e 2016, que deflagram as contaminações do subsolo e suas metáforas. Na abertura, às 12h, ocorre uma conversa com a artista (de 18/03/17, das 11h às 14h, a 28/05/17).

GALPÃO VB

  • A exposição Nada Levarei Quando Morrer, Aqueles que Me Devem Cobrarei no Inferno traz obras de Caetano Dias, Claudia Andujar, Gisela Motta e Leandro Lima, Miguel Rio Branco, Rodrigo Braga, Rodrigo Bueno, Runo Lagomarsino e Virginia de Medeiros. Curadoria de Solange Farkas e Gabriel Bogossian (a partir de 06/04/17, das 19h, às 22h).
  • Vila Leopoldina: av. Imperatriz Leopoldina, 1.150, tel. (11) 3645-0516. Ter. a sex., 12h/18h; sáb., 11h/17h. www.videobrasil.org.br

GARE CULTURAL | ABRA (ACADEMIA BRASILEIRA DE ARTE) | Vila Mariana

  • “O Que Quase Ninguém Vê” apresenta instalação, objetos, desenhos e fotografias de Angela Camata (de 04/03/17 a 01/04/17).
  • Coletiva dos projetos de alunos do curso Design de Interiores (de 08/04/17 a 27/04/17).
  • Vila Mariana: r. Cubatão, 959, tels. (11) 3564-2695 / 2696. Seg. a qui., 8h30/21h30; sex., 8h30/20h; sáb., 8h30/14h. www.abra.com.br/vilamariana

INSTITUTO TOMIE OHTAKE

  • A exposição “O Céu Ainda é Azul, Você Sabe...” apresenta uma retrospectiva que revela a vasta e diversa carreira da japonesa radicada nos Estados Unidos Yoko Ono. A mostra traz as séries “Instruções”, que evidenciam as narrativas que expressam a visão poética, crítica e social da artista, com trabalhos criados a partir de 1955, como “Lighting Piece / Peça de Acender” (1955): acenda um fósforo e assista até que se apague. Na exposição, é possível seguir sua produção pelos anos 60, 70, 80, até o presente, onde Yoko continua questionando de forma decisiva o conceito de arte e do objeto de arte, derrubando esses limites. Curadoria de Gunnar B. Kvaran (de 01/04/17, às 11h, a 28/05/17; R$ 12; terça grátis).
  • A mostra “As Descobertas de Jiří Kolář: Colagem e Experimentação” é a primeira exposição individual do artista tcheco, que também se notabilizou como poeta, escritor e tradutor, Jiří Kolář, (1914 - 2002). São expostas 70 obras provenientes do Museu Kampa - Coleção Jan e Meda Mládek, em Praga, são trabalhos feitos no período mais importante da produção de Kolář, anterior à sua emigração de Praga para Berlim e depois para Paris. Época fundamental na formação do artista, momento em que deixava a poesia escrita para substituí-la pela expressão visual, na qual usava abordagens semelhantes às da criação literária. Curadoria de Jiří Machalický (de 15/02/17, às 20h, a 02/04/17).
  • Na 5ª edição do programa Arte Atual, para a mostra É Como Dançar sobre a Arquitetura foram convidados Lia Chaia (Galeria Vermelho), João Castilho (Galeria Zipper) e Jorge Soledar (Portas Vilaseca Galeria), artistas que exploram a relação entre corpo e espaço, tanto em seu aspecto mais intimista quanto em perspectiva com a cidade. São apresentadas performances, fotos e vídeos que explicitam e problematizam essa relação por intermédio de sua dimensão mais coreografada, ensaiada e também do embate e encaixe entre corpos (de 15/02/17, às 20h, a 23/04/17).
  • Tomie Ohtake (1913-2015) exibe em “Orbis Tertius” conjunto de obras que enfatizam o recurso das curvas (março-abril).

ITAÚ CULTURAL

  • Ocupação Laura Cardoso presta homenagem à atriz, pioneira da televisão brasileira com atuação em teleteatros, séries e novelas desde a década de 1950. A exposição revisita seus personagens e propõe um cruzamento de fronteiras nas diversas etapas da vida de Laura, através de registros fotográficos e audiovisuais, fotografias, documentos originais e reproduções fac-similares de textos dramatúrgicos, publicações, críticas e reportagens. Aos finais de semana, serão realizadas leituras dramáticas a partir de textos teatrais, roteiros de novela e de cinema e oficinas de sonoplastia que rememoram a atuação da atriz na Rádio (de 22/02/17 a 30/04/17).
  • Narrativas em Processo: Livros de Artistas da Coleção Itaú Cultural reúne diferentes formatos do que se pode conceber como livro de artista, investigando cerca de 150 anos desse tipo de produção. Curadoria de Felipe Scovino (de 08/03/17, às 20h, a 07/05/17).
  • O espaço, que sempre realiza exposições de arte, conta também com uma midiateca voltada à arte e cultura brasileiras e composta por biblioteca (fechada para reformas), videoteca, hemeroteca e cedeteca, reunindo um acervo de 40 mil títulos. Visitação: ter. a sex., 12h/20h; sáb., 10h/19h. Já a Itaú Numismática reúne mais de 2 mil objetos expostos, entre moedas portuguesas e brasileiras, medalhas e condecorações. Visitação: ter. a qui., 10h/17h; qua., 11h/21h; sex. e sáb., 10h/19h.
  • Cinco séculos de arte brasileira estão reunidos em dois andares da instituição, o Espaço Olavo Setubal – Coleção Brasiliana Itaú exibe permanente parte das coleções Brasiliana Itaú e Itaú Numismática do banqueiro e ex-prefeito de São Paulo. São obras fundamentais que percorrem desde o descobrimento até o final do século XX. 1300 itens, entre pinturas, gravuras, documentos históricos, livros, incluindo trabalhos de inestimável valor histórico. O espaço abriga também a coleção de numismática da instituição, que traça um amplo panorama das moedas cunhadas e que tiveram circulação pelo país, entre outras curiosidades (a partir de 13/12/14, às 11h).
  • Cerqueira César: av. Paulista, 149, estação Brigadeiro do Metrô, tels. (11) 2168-1700 / 1777. Ter. a sex., 9h/20h; sáb. e dom., 11h/20h. www.itaucultural.org.br

MAB (MUSEU DE ARTE BRASILEIRA) | FAAP | CENTRO

  • O espaço fica no Edifício Lutetia, de propriedade da FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado). É um projeto de Ramos de Azevedo (1851-1928) inaugurado na década de 1920. A construção faz parte de um conjunto de três prédios independentes com uma fachada única, tendo oito pavimentos, mais o térreo e o subsolo, em um terreno de 256 m². Além disso, o edifício possui oito lofts que hospedam artistas brasileiros e estrangeiros, estudantes de artes plásticas, em projetos de intercâmbio cultural.
  • Centro: Praça do Patriarca, 78, Edifício Lutetia, tel. (11) 3101-1776. Seg. e qua a sex., 10h/18h com permanência até às 19h. Sáb., dom., e feriados, 10h/17h, com permanência até às 18h. Fechado às terças-feiras. www.faap.br/museu

MAB-FAAP (MUSEU DE ARTE BRASILEIRA DA FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO)

  • Eterna Trilogia reúne 103 obras dos mais clássicos gêneros visuais da arte ocidental: retrato, paisagem e natureza-morta. O núcleo "Retratos" traz obras de Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Portinari, Flavio de Carvalho e Brecheret, entre outros artistas. Rugendas, Volpi, Cícero Dias, Vlavianos e Di Cavalcanti são alguns dos representados em "Paisagens". Em "Natureza-Morta" há trabalhos de nomes como Pedro Alexandrino, Gilberto Vançan, Flávio Shiró e Maria Tereza Louro. Um núcleo especial, denominado "Obras-primas", celebra os 70 anos da Faap e relembra as primeiras obras adquiridas pelo museu, há 55 anos no acervo. São trabalhos de Umberto Veruda e Benedito Calixto, entre outros. Quatro exposições se revezam no núcleo especial. Após "Obras-primas", na programação até maio, são apresentadas "Arquitetura do Prédio Matriz da Faap" (imagens, plantas e obras que relembram a construção do edifício principal da fundação, cujo projeto é do francês Auguste Perret); "As Faculdades Faapianas", a partir de agosto, é voltada para histórias e projetos de alunos, entre outras ações desenvolvidas ao longo dos 70 anos da instituição; e "Faculdade de Artes Plásticas", a partir de outubro, traz obras, registros e trabalhos dos alunos dos cursos de Artes Visuais, Moda, Design e Arquitetura (de 15/02/17 a 10/12/17).
  • O MAB-Faap, inaugurado em 1960, mantém em acervo obras de artistas modernistas como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Brecheret, Portinari, Di Cavalcanti, Segall, Guignard e Volpi; e de artistas de períodos posteriores como Tomie Ohtake e Evandro Carlos Jardim; além de trabalhos de artistas da arte brasileira atual, como Sandra Cinto, Albano Afonso e Cláudio Mubarac. No saguão do espaço, o público pode conferir 19 moldagens em gesso de esculturas de Aleijadinho, portais de igrejas e residências mineiras e baianas relacionadas ao barroco brasileiro. Também no saguão há dois painéis de vitrais realizados pela Casa Conrado, sendo que um deles, o do teto, é da artista Cláudia Andujar. Na área externa do prédio, o Jardim de Esculturas reúne obras em grandes formatos de Amílcar de Castro, Arcângelo Ianelli, Bruno Giorgi, Caciporé Torres, Franz Weissmann, Maria Guilhermina, Vlavianos, Sergio Camargo e Yutaka Toyota.
  • Higienópolis: r. Alagoas, 903, tel. (11) 3662-7198. Seg., qua., qui. e sex., 10h/19h (entrada até 18h); sáb. e dom., 10h/18h (entrada até 17h). www.faap.br/museu

METRÔ | ESTAÇÃO ADOLFO PINHEIRO

  • Exposição de longa duração O Bonde em Santo Amaro.
  • Santo Amaro: av. Adolfo Pinheiro, 300.

METRÔ | ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA

  • Exposição de longa duração O Metrô e Seus Bairros - Ipiranga: o Bairro do Grito.

METRÔ | ESTAÇÃO CORINTHIANS-ITAQUERA

  • Produzido por Cinemagia, a estação abriga a mostra do Projeto Encontros – Memorial do Corinthians (mostra de longa duração).

METRÔ | ESTAÇÃO LARGO TREZE

  • Exposição de longa duração O Metrô e Seus Bairros – Santo Amaro.

METRÔ | ESTAÇÃO LIBERDADE

  • Vitrine de Ikebana (mostra de longa duração).

METRÔ | ESTAÇÃO PAULISTA

  • A exposição Austrália em Cores reúne 20 fotografias de paisagens que mostram a fauna e flora incomuns da Austrália (de 01/03/17 a 30/03/17).
  • A exposição Austrália em Cores reúne 20 fotografias de paisagens que mostram a fauna e flora incomuns da Austrália (de 31/03/17 a 02/05/17).
  • Rua da Consolação, próximo à esquina com a Av. Paulista.

METRÔ | ESTAÇÃO SÃO BENTO

  • Renato Pera apresenta uma instalação no projeto “Vão”, com seis desenhos de janelas foram escolhidos para relacionar-se com os espaços públicos (até 31/05/17).

METRÔ | ESTAÇÃO TIRADENTES

  • A estação recebe obras do acervo do Museu de Arte Sacra e passa a ter uma sala fixa de exposições, a Sala Metrô Tiradentes, com uma área de 150m² no mezanino destinada exclusivamente para mostras de arte sacra. A estreia do novo espaço é com a mostra Em Busca do Presépio Universal, de longa duração, com cerca de 30 conjuntos de diversas nacionalidades e integrantes da Coleção de Presépios do MAS, com curadoria de Maria Inês Lopes Coutinho. Destaque para o Presépio Napolitano, confeccionado entre os séculos 18 e 20 com barro cozido e policromado, madeira, tecido, liga metálica e gesso. Dentre os conjuntos também está “La Nascita de la Esperanza”, obra de Ulderico Pinfildi, uma das maiores autoridades do mundo em presépios. A sala fica na área paga da estação (A partir de 01/12/15. Mostra de longa duração. Qua. a sex., 9h/17h; sáb. e dom., 10h/18h).

MuBA | MUSEU BELAS ARTES DE SÃO PAULO

  • A mostra “O Percurso Ausente” reúne uma seleção da produção artística de César Meneghetti com trabalhos que dialogam com dois campos críticos aparentemente desconectados: grupos em territórios de fragilidade social e o uso criativo da tecnologia nas artes, relacionando-os. Estes trabalhos foram desenvolvidos em diferentes países, como Itália, Nígeria, Eslováquia, Vietnã e Brasil, e que envolvem grupos de pessoas e questões relacionadas aos territórios de fragilidade social. Curadoria de Tereza de Arruda (de 30/03/17 a 20/05/17).
  • O museu do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo mantém em acervo desenhos, pinturas e esculturas de artistas como Alfredo Oliani, Tulio Mugnaini, Lopes de Leão, Raphael Galvez, Colette Pujol, Julio Guerra e outros.
  • A instituição passa a abrigar as exposições e atividades de pesquisa do IAC (Instituto de Arte Contemporânea), depois de ter sido desalojado em 2011 de prédio da USP no Centro da cidade.
  • Vila Mariana: r. Dr. Álvaro Alvim, 76, Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, tel. (11) 5576-7300. Seg. a sex., 10h/20h; sáb. 10h/16h. www.belasartes.br | www.muba.com.br

MUSEU DA SAÚDE PÚBLICA EMÍLIO RIBAS

  • A mostra Mais que Humanos reúne um conjunto de cem obras de acervo do Juquery, feitos por pacientes que estiveram em condição manicomial e frequentaram o Ateliê Livre criado pelo psiquiatra Dr. Osório César, na década de 1950. São esculturas em argila, pinturas e peças do mobiliário. Curadoria de Ricardo Resende. São previstas mesas-redondas, conversas literárias, cine-debates, oficinas, mostras e intervenções artísticas (de 20/08/16, às 11h, a fevereiro de 2017).
  • Bom Retiro: r. Tenente Pena, 100, tels. (11) 3331-0341 e 3367-7937. Seg. a sex., 9h/17h. www.misp.pucsp.br

PIVÔ

  • O espaço apresenta a grande exposição "Boom" do artista Alexandre da Cunha, um panorama de trabalhos realizados nas últimas décadas, além de obras inéditas realizadas durante sua residência de dois meses no espaço expositivo do Pivô. As formas, cores e texturas de vassouras, escovões, roupas e estruturas pré-moldadas da construção civil são o gatilho para associações livres e traduções inusitadas feitas pelo artista, que altera o valor e a funcionalidade desses objetos através de operações poéticas sofisticadas e de uma ironia fina, revelando seu descompromisso com as categorizações ou hierarquias a que possam estar associados os objetos eleitos como matérias-primas para o seu trabalho (de 01/04/17, às 16h, a 10/06/17).
  • Fundada em 2012, a associação cultural atua como plataforma de intercâmbio e experimentação artística. O foco das atividades é o processo de construção e difusão de ideias a partir de concepção e desenvolvimento das propostas dos artistas. A programação contempla desde exposições, projetos específicos, intervenções, até edições e ateliês temporários.
  • Centro: Edifício Copan, av. Ipiranga, 200, bloco A, loja 54, tel. (11) 3255-8703. Ter. a sex., 13h/20h; sáb., 13h/19h. www.pivo.org.br

PROJETO FERNANDO ZARIF

  • O projeto criado em tributo ao artista plástico e escritor Fernando Zarif (1960-2010). Sua proposta é preservar e divulgar sua produção (pinturas, colagens e desenhos), realizada com o uso de tintas, lentes, esparadrapos, pelos, sangue, objetos e outros materiais.

PROJETO FIDALGA

  • O Projeto Fidalga é um espaço independente sem fins lucrativos com objetivo de incentivar o intercâmbio entre artistas e projetos experimentais. Durante 18 anos esse local foi o ateliê de Sandra Cinto e Albano Afonso, agora com o ateliê num novo endereço, os dois artistas decidiram manter o antigo espaço como lugar de energia criativa e encorajamento à produção de jovens artistas. Inclui cinco ateliês, um espaço para exposições temporárias e abriga Residência Artística Paulo Reis.
  • A residência Paulo Reis e a Sala de exposições Projeto Fidalga, organizados pelos artistas Sandra Cinto e Albano Afonso, são projetos sem fins lucrativos com objetivo de incentivar o intercâmbio entre os artistas, produção jovem e projetos experimentais.

RED BULL STATION


  • O espaço está instalado em um edifício dos anos 1920, tombado desde 2002 pelo Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo) e conta com ateliês individuais, estúdios coletivos e espaço expositivo.

SENAC TATUAPÉ

  • O artista paraense Guataçara Monteiro retrata a biodiversidade da floresta amazônica através de pinturas do dia-a-dia dos povos ribeirinhos e os mistérios que habitam a região (de 21/03/17 a 07/04/17).
  • Tatuapé: r. Coronel Luiz Americano, 130, tel. (11) 2191-2900.Seg. a sex. 08h/21h e sáb. 08h/15h. www.sp.senac.br/tatuape

SESC BELENZINHO

  • Uma das principais mostras de arte popular do país, a Bienal Naifs do Brasil, organizado pelo Sesc Piracicaba, inicia itinerância. A 13ª edição conta com obras de Efigenia Rolim, Adão Domiciano, Véio, Henry Victor e outros (de 20/04/17 a 02/07/17).
  • A mostra Motumbá: Memórias e Existências Negras, sob curadoria do Sesc com co-curadoria de João Nascimento, traz programação cultural de matrizes africanas e periféricas entre diversas linguagens que contemplam a diversidade das expressões artísticas negras, entre . Entre oficinas, debates, performances, teatro, dança e shows, como Martinho da Vila, Mulheres do Rap e MC Linn da Quebrada. Entre 18 e 21/3, das 16h às 20h, o artista Ézio Rosa realiza a performance “Cuidado Black”, quando ele senta num banco à espera de alguém que sente numa cadeira vazia posicionada em sua frente e queira trançar o cabelo. Já em 25/03, às 19h, Flip Couto realiza a performance “Sangue”, onde em um ambiente onde as relações interpessoais acontecem de maneira dinâmica e espontânea, o artista cria conexões pré-estabelecidas entre o público e a obra, resgatando memórias de cada um (até março 2017).
  • Belenzinho: r. Padre Adelino, 1.000, próximo à estação Belém do Metrô, tel. (11) 2076-9700. Ter. a sáb., 10h/21h; dom., 10h/19h. www.sescsp.org.br

SESC BOM RETIRO

  • Em “Corpo de Prova”, a artista mineira Lais Myrrha investiga instrumentos e saberes que constroem nossa experiência no mundo a partir do lugar que nele ocupamos. Dicionários, mapas, bandeiras, hinos, jornais e telejornais são alguns dos elementos sobre os quais a artista interfere, explorando a noção de impermanência, e a precariedade dos conceitos de equivalência e equilíbrio (de 23/03/17, às 19h, a 25/06/17).
  • Acervo Permanente de Obras Contemporâneas. O Sesc Bom Retiro, inaugurado em 2011, é a unidade do Sesc no Estado de São Paulo com o maior conjunto de obras de arte. Os três andares abrigam cerca de 40 trabalhos assinados por artistas brasileiros contemporâneos como Daniel Costa, Anna Maria Maiolino, Daniel Costa, Descartes Gadelha, Cleber Machado, Anna Teixeira, Iran do Espírito Santo, J.Borges, Karen Kabbani, Marcelo Ivanhez, Maria Lira, Rubens Gerchman, Arthur Barrio, Bernadete Amorim, Claudio Tozzi e Marcelo Ivanhez.
  • Bom Retiro: al. Nothmann, 185, tel. (11) 3332-3600. Ter. a sex., 9h/20h30; sáb. e dom., 10h/17h30. www.sescsp.org.br

SESC CONSOLAÇÃO

  • A mostra Gianni Ratto – 100 Anos celebra a vida e obra deste diretor, cenógrafo, figurinista, iluminador, escritor, ator e pensador da cena, apresentando sua trajetória desde a Itália, onde atuou na reconstrução do teatro nacional e sua inovação no pós-guerra, até o Brasil onde foi figura fundamental na criação de um teatro moderno no país. . Com curadoria da historiadora da arte Elisa Byington e da designer Antonia Ratto, filha do artista, a exposição está estruturada como uma grande caixa cênica que convida o público a atravessar as cortinas e entrar no universo do artista. Como num palco, as obras estão dispostas em painéis pendurados por cordas, onde fotos, esboços, maquetes, objetos e recortes de jornal recompõem fragmentos do que foi cada espetáculo para o qual as obras foram criadas. Recursos multimídia, como projeções, maquetes virtuais e instalações sonoras são também utilizadas para aproximar ainda mais o público do universo do teatro (de 07/02/17, às 20h, a 29/04/17).
  • Vila Buarque: r. Dr. Vila Nova, 245, tel. (11) 3234-3000. Seg. a sex., 9h/21h30; sáb., 9h/17h30. www.sescsp.org.br

SESC INTERLAGOS

  • A mostra Acervo Sesc de Arte Brasileira traz obras de Denise Millan, Nicolas Vlavianos, João Câmara, Tide Hellmeister, Silvio Dworecki e outros. “Sonhos Gregos” conta com pinturas de John Graz (1891-1980). O projeto artístico e cenográfico “Canto das Artes” foca as atenções para a pintura “Nu”, de Carlos Leão. Eduardo Ver exibe xilogravura (mostras de longa duração).
  • Interlagos: av. Manuel Alves Soares, 1.100, tels. (11) 5662-9500 / 9521. Qua. a dom., 9h/17h. www.sescsp.org.br

SESC PINHEIROS

  • Todo Poder ao Povo! Emory Douglas e os Panteras Negras presta homenagem ao designer americano Emory Douglas, responsável pela concepção artística e da incisiva política extraparlamentar do Partido dos Panteras Negras, criado em 1966 e atuante até 1982 na Califórnia. Ele foi o criador do lema “Todo poder ao povo” (de 08/03/17 a 04/06/17).
  • Pinheiros: r. Paes Leme, 195, tels. (11) 3095-9400 e 0800-118220. Ter. a sex., 13h/22h; sáb., 10h/21h; dom.,10h/18h30. www.sescsp.org.br

SESC SANTANA

  • O Grafiterritórios ZN visa ocupar artisticamente muros e fachadas de bairros da Zona Norte. O projeto apresenta "Visões Tipográficas", de Fábio Biofa e Alex Hornest (Onesto), que convidaram para essa primeira edição os artistas Dgoh, Goy, Ser, Otito, Rats, Zéis, Apropriadamente, Credo, Fedos e Laura Guimarães. Cada artista desenvolveu um alfabeto específico a partir de seus próprios estudos e referências para em uma grande pintura/painel compor uma frase na qual cada um pintou pelo menos duas palavras. Com isso, uma espécie de cartilha/folder contendo os alfabetos é disponibilizado ao público para que ele, por sua vez, identifique e traduza a frase que foi realizada (de 17/01/17 a 25/06/17, todos os dias, 24h, em muro da Rua Viri, ao lado do Sesc Santana).
  • Santana: av. Luiz Dumont Villares, 579, tel. (11) 2971-8700. Ter. a sex., 13h/21h; sáb. e dom., 10h/18h. www.sescsp.org.br

SESC SANTO AMARO

  • A mostra permanente Acervo SESC de Arte Brasileira ocorre em todas as unidades SESC da capital e do interior. No SESC Santo Amaro podem ser vistas obras de Luis Hermano, José Patrício, Efrain Almeida, Amélia Toledo, João Câmara e Alex Cerveny, entre outros.
  • Santo Amaro: r. Amador Bueno, 505 - Santo Amaro, tel: (11) 5541-4000. Ter. a sex., 10h/21h; sáb. e dom., 11h/18h. www.sescsp.org.br

SESC VILA MARIANA

  • Meus Caros Amigos – Augusto Boal – Cartas do Exilio reúne correspondências, fotografias, documentos e vídeos sobre dramaturgo Augusto Boal (1931-2009), criador do Teatro do Oprimido. Curadoria de Eucanaã Ferraz (de 16/03/17, às 19h30, a 25/06/17).
  • Vila Mariana: r. Pelotas, 141, tels. (11) 5080-3000 e 0800-11-8220. Ter. a sex., 7h/21h30; sáb., 9h/21h; dom., 9h/18h30. www.sescsp.org.br

UNIBES CULTURAL

  • A exposição interativa Frida e Eu traz instalações onde os visitantes podem entrar em contato com a vida e obra da artista mexicana Frida Kahlo (1907 - 1954). A mostra é dividida em seis eixos temáticos: Frida e o autorretrato, Frida e a família, Frida e a dor, Frida e Diego, Frida e a natureza e Frida e Paris (de 11/03/17, das 10h às 13h, a 30/06/17).
  • No projeto “Vazão”, Renato Pera exibe intervenção composta por 18 objetos pretos espelhados, em formato de gota que ocupam cerca de 30m do muro da Unibes ou na rampa de acesso à estação Sumaré do Metrô de São Paulo (de 04/03/17, às 11h, a 01/07/17).
  • Sumaré: r. Oscar Freire, 2.500, estação Sumaré do Metrô, tels. (11) 3065-4333. Seg. a sáb., 10h/19h. unibescultural.org.br