destaques
conteúdo
publicidade

ABER - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENCADERNAÇÃO E RESTAURO

  • A artista paulistana Alice Shintani apresenta a instalação “Tuiuiú”, inspirada em duas iconografias distintas: a das bandeirinhas de oração tibetanas, e os projetos de murais em azulejo que o artista Athos Bulcão (1918-2008) realizou em construções modernistas de Brasília durante a ditadura militar. Durante a exposição, ocorre a oficina Mutirão de Encadernação, às sextas-feiras, das 15h às 17h, quando serão compartilhadas técnicas de encadernação para a confecção de pequenas brochuras com o tema da mostra (de 24/06/17 a 24/09/17).
  • Centro: r. Bráulio Gomes, 139, junto da Hemeroteca da Biblioteca Mário de Andrade.

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE MEDICINA

  • A Sala Modernista exibe mostra permanente com mais de 60 obras, datadas entre o período de 1930 a 2009, de Alex Flemming, Aldemir Martins, Aldo Bonadei, Anita Malfatti, Caciporé Torres, Claudio Tozzi, Di Cavalcanti, Maria Bonomi, Tarsila do Amaral, Alfredo Volpi, José Pancetti, Lasar Segall, Flávio de Carvalho, José Antonio da Silva, Cândido Portinari e outros.
  • Bela Vista: av. Brigadeiro Luiz Antonio, 278, 8º andar, tel. (11) 3188-4304. Seg. a sex., 9h/19h. www.apm.org.br

CAIXA CULTURAL

  • A exposição O Gráfico Amador apresenta um panorama da produção gráfica da primeira editora experimental homônima de Recife, que funcionou entre 1954 a 1961. Com textos, fotografias, imagens, documentos, vídeos e, sobretudo, livros, a mostra recupera a história dessa editora coordenada por intelectuais, que produziu cerca de 30 projetos, feitos por Aloisio Magalhães, Gastão de Holanda, José Laurenio de Melo e Orlando da Costa Ferreira; que tinham como associados autores como Carlos Drummond de Andrade, Ariano Suassuna, João Cabral de Melo Neto, entre outros. Durante o período, ocorre uma oficina permanente de tipografia, de terça a domingo, às 14h30. Em 27/05, às 15h, ocorre o lançamento do catálogo; das 15h às 16h, impressão com clichês tipográficos. Em 11/06, das 15h30 às 18h30, acontece o workshop gratuito de criação e impressão de desenho. E 18/06, 15h30 às 16h30, impressão com tipos de madeira; todas as oficinas são executadas pela equipe da Oficina Tipográfica de São Paulo (exposição de 13/05/17, às 11h, a 23/07/17).
  • A mostra Labirinto e Memória: A Poética Visual de Luise Weiss reúne cerca de 130 obras, entre desenhos, gravuras e fotografias, que marcaram os 40 anos de trajetória da gravadora, pintora, fotógrafa e professora paulistana. Com curadoria de Sergio Pizoli, a exposição desvenda o processo de criação e produção gráfica de Luise, divididos em seis segmentos temáticos, num recorte centrado em obras que têm o papel como suporte e a fotografia como ponto de partida. Em 03/06 ocorre uma palestra com a artista e o curador; seguida de lançamento do catálogo. Em 10/06, acontece um workshop gratuito com Luise – agendamento pelo telefone (11) 3321-4400. 30 vagas e emissão de certificado (de 13/05/17 a 23/07/17).
  • A mostra Fronteiras, Limites, Interseções: Entre a Arte e o Design investiga as relações do fazer artístico e o design, através de trabalhos de artistas brasileiros de diferentes períodos e estilos. São expostos trabalhos históricos de Abraham Palatnik, Amelia Toledo, Amilcar de Castro, Artur Barrio, Cildo Meireles, Franz Weissmann, Iole de Freitas, Ione Saldanha, Irmãos Campana, Lina Bo Bardi, Oscar Niemeyer, Paulo Mendes da Rocha, Sérgio Rodrigues, Tunga, Zanine Caldas; além de contemporêneso como Adriana Varejão, Angelo Venosa, Artur Lescher, Barrão, Beatriz Milhazes, Brigida Baltar, Carlos Motta, Estela Sokol, Felipe Barbosa, Hugo França, José Bechara, José Rezende, Maneco Quinderé, Pacheco, Nuno Ramos, Raul Mourão, entre outros. Na abertura, às 11h, ocorre uma visita guiada com o curador Marcos Lontra Costa (de 27/05/17, às 11h, a 30/07/17).

CENTRO BRASILEIRO BRITÂNICO

  • O CBB, inaugurado em 2000, foi idealizado pela Cultura Inglesa com o objetivo de reunir atividades relacionadas a cultura, educação, lazer e comércio entre Brasil e Reino Unido. O complexo foi projetado por Botti Rubin e conta com galerias de arte, biblioteca, restaurante, sala de espetáculos e salas de reuniões de algumas instituições, entre elas o Consulado Geral Britânico e a BBC.
  • Pinheiros: r. Ferreira de Araújo, 741, tel. (11) 3035-0500. Seg. a sex., 10h/19h; sáb. e dom., 10h/16h. www.cbb.org.br

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL

  • O pintor pernambucano Cícero Dias (1907-2003) ganha uma grande exposição em sua homenagem. A mostra itinerante apresenta ao público cerca de 125 obras de um dos mais importantes artistas brasileiros do século XX, cuja trajetória é reconhecida internacionalmente. Além das pinturas e desenhos, a exposição também contextualizando a história do artista evidenciando sua relação com poetas e intelectuais brasileiros, e sua participação no circuito de arte europeu, através de fac-símiles de cartas, textos e fotos trocadas com Manuel Bandeira, Gilberto Freyre, Murilo Mendes, José Lins do Rego, Mário Pedrosa, Pierre Restany, Paul Éluard, Roland Penrose, Pablo Picasso, Alexander Calder, entre outros. Curadoria de Denise Mattar. Em 10/06, às 11h, a curadora participa de uma mesa redonda com o professor Nelson Aguilar, curador da 22ª Bienal de São Paulo, e o crítico Enock Sacramento; após, às 15h, ocorre uma sessão do “Cícero Dias, o Compadre de Picasso”, de Vladimir Carvalho (de 21/04/17 a 03/07/17).
  • Centro: r. Álvares Penteado, 112, tel. (11) 3113-3651. Qua. a seg., 9h/21h. Visitação com hora agendada pelo site www.ingressorapido.com.br, pelo aplicativo da Ingresso Rápido (IOS ou Android) ou na bilheteria. www.bb.com.br/cultura

CONSULADO GERAL DE PORTUGAL

  • A mostra Tempo: Ilusão Imprecisa - Obras de E. M. de Melo e Castro na Coleção da Fundação Serralves reúne a produção em poesia experimental do artista português, residente no Brasil, contexto do pós-guerra nas décadas de 1960 e 1970. São expostas obras, livros, documentos e vídeos e um livro produzido para a ocasião, que foca na relação do artista com o poeta brasileiro Haroldo de Campos (de 11/06/17, às 15h, a 05/08/17).

ESPACIO URUGUAY | BANCO DE LA REPUBLICA ORIENTAL DEL URUGUAY

  • A egípcia Dolly Moreno exibe cerca de 20 esculturas, em sua maioria em metal, que refletem a trajetória artística da artista e remete à sua experiência como exilada do Egito. As peças se aventuram ao aparente ponto de quase quebrar, que provém em grande parte da oposição entre o volume e a forma geométrica, mas induz a visualidade do limite de força de rompimento e equilíbrio. Curadoria de Marcia Goldstein (de 20/06/17, das 18h30 às 21h30, a 20/07/17).
  • Primeiro Espacio Uruguay construído no exterior, na sede do Banco de la República Oriental del Uruguay, foi inaugurado em 2011, pelo ex-presidente uruguaio José Mujica. O espaço mantém um calendário anual com manifestações artísticas da cultura de países com os quais o Uruguai mantém relações.

ESPAÇO CULTURAL PORTO SEGURO | alameda Barão de Piracicaba

  • Os artistas Arnaldo Antunes, Fernando Laszlo e Walter Silveira exibem na mostra Luzescrita um conjunto de 60 obras, entre vídeos, fotografias e instalações, que transformam poemas em imagens e versos em luz. Poesia e fotografia vêm do mesmo berço, com origem, no grego, as palavras significam “fazer” e “escritura da luz”, respectivamente; e partir dos conceitos os artistas traduzem literalmente com obras escritas com luz por meio de materiais como pólvora, lâmpadas e metal e em seguida, foram fotografadas (de 18/05/17, às 19h, a 30/07/17).
  • Com área total de 961m², o novo espaço integra o Complexo Cultural Porto Seguro, que abriga, em um mesmo quarteirão, o Teatro Porto Seguro, o restaurante e o café Gemma, além de obras de arte instaladas no entorno da sede da empresa. O Espaço é uma plataforma das mais diversas manifestações artísticas e culturais com ênfase no pensamento contemporâneo. O lugar atua como vitrine, observatório e usina de arte, promovendo o diálogo com a sociedade por meio de exposições, cursos, oficinas, palestras, laboratório de fabricação digital PortoFabLab e outros.
  • Campos Elíseos: alameda Barão de Piracicaba, 610, tel. (11) 3226-7361. Ter. a sáb., 10h/19h; dom., 10h/17h. Estacionamento pago no local. Vans gratuitas fazem o transporte de ida e volta da Estação da Luz (na saída Praça da Luz; Rua José Paulino) às dependências do espaço cultural. www.espacoculturalportoseguro.com.br

ESPAÇO CULTURAL VÉRTICE

  • A galeria do espaço recebe a exposição Do Desenho ao Desenho, que exibe a produção de artistas que amplificam as vertentes da forma de pensar a linguagem do desenho. Participam Alexandra Terzian, Ana Rey, Angela Camata, Christian Rabeque, Cristina Suzuki, Edna Canoso, Elias Muradi, Luis Maximus e Nivaldo Wesley. Curadoria Rubens Pontes (de 10/05/17, às 18h, a 23/06/17).
  • “Milles e Milhinhas Bonecas de Camille” reúne 50 desenhos de Camille Zanatta. Com apenas 8 anos de idade, Camille tem uma intensa produção de desenhos que flertam entre uma personagem criada pela artista e o universo da moda (de 03/07/17 a 26/07/17; excepcionalmente, em julho, visitação das 8h às 18h).
  • Mostra Cinco apresenta a produção recente dos integrantes do grupo oNúcleo, formado por Angela Camata, Antonio Gama, Corina Ishikura, Juliana Baumann e Vera Diniz (www.onucleo.art.br) (de 09/08/17, às 18h, a 15/09/17).
  • O Espaço Cultural Vértice é uma iniciativa do Colégio Vértice para o incentivo à cultura. Fundado em 2010, oferece uma programação variada de cursos, palestras, oficinas e exposições.

GALERIA DE ARTE DO SESI

  • A exposição Henri Cartier-Bresson, Primeiras Fotografia apresenta 58 imagens feitas pelo fotógrafo francês (1908-2004) em seus primeiros anos de carreira. Composta por fotos clássicas e algumas inéditas, a mostra apresenta o caminho percorrido por Bresson em viagens pela Espanha, México, França e Itália. Curadoria de João Kulcsár (de 17/04/17, às 19h30, a 25/06/17).
  • A mostra “Exposição Vida de Cão” reúne 50 fotografias em preto e branco realizadas pelo francês Elliott Erwitt em diversos países - inclusive o Brasil - entre os anos de 1946 e 2004, nas quais ele propõe uma reflexão sobre a relação do homem com seu animal de estimação (de 04/07/17 a 24/09/17).
  • Cerqueira César: av. Paulista, 1.313, estação Trianon-Masp do Metrô, tels. (11) 3146-7405 / 7406. Seg., 11h/20h; ter. a sáb., 10h/20h; dom., 10h/19h. www.sesisp.org.br/centrocultural

GARE CULTURAL | ABRA (ACADEMIA BRASILEIRA DE ARTE) | Vila Mariana

  • A Mostra Geral dos Alunos de Artes Visuais reúne trabalhos em diversos suportes (de 24/06/17 a 19/08/17).
  • Vila Mariana: r. Cubatão, 959, tels. (11) 3564-2695 / 2696. Seg. a qui., 8h30/21h30; sex., 8h30/20h; sáb., 8h30/14h. www.abra.com.br/vilamariana

IAC (INSTITUTO DE ARTE CONTEMPORÂNEA)

  • “Fiaminghi - Pensamentos Compostos” exibe cerca de 150 obras e documentos, entre desenhos, esboços, projetos e gráficos de Hermelindo Fiaminghi (1920-2004),que cobrem o período entre as décadas de 1950 e 1990. O artista transita entre essas fases com trabalhos que vão desde logomarcas, passando por suas experiências junto ao Grupo Ruptura e ao final uma breve fase concreta (até 1/7).
  • Vila Mariana: r. Dr. Álvaro Alvim, 90, 1º andar, tel. (11) 3255-2009. Seg. a sex., 10h/18h; sáb., 10h/16h. www.iacbrasil.org.br

INSTITUTO CERVANTES

  • A mostra Las Caras de Cervantes apresenta 20 trabalhos inspirados no escritor espanhol Miguel de Cervantes Saavedra (1547 –1616), através de grafites, aquarelas, fotomontagens, pinturas, mosaicos e bordados, de artistas brasileiros, espanhóis e latino-americanos. Cada obra vem acompanhada de um poema do escritor. Curadoria de Marta Pérez Rodríguez e Carlos Jiménez da Gode (de 22/06/17, às 19h, a 29/07/17).
  • Cerqueira César: av. Paulista, 2.439, estação Consolação do Metrô, tels. (11) 3897-9600 / 9609 / 9496. Ter. a sex., 14h/21h30; sáb., 9h/15h. http://saopaulo.cervantes.es

INSTITUTO TOMIE OHTAKE

  • Osso: Exposição-Apelo ao Amplo Direito de Defesa de Rafael Braga propõe iluminar esse tema sobre a sociedade brasileira: a falta de igualdade de direitos constitucionais básicos. Para a exposição, o curador Paulo Miyada convida 29 artistas que exibem elementos mínimos aludindo à fragilidade e a crueza dessa questão “o direito de defesa”. Rafael Braga, jovem negro carioca foi acusado de aptidão incendiária por portar francos de detergente e água sanitária nas manifestações de 2013, no Rio. Rafael foi o único preso, condenado a quase cinco anos de prisão, a partir de laudo do Esquadrão Antibomba da Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil. Em 2016, com tornozeleira eletrônica, foi preso novamente por suposto porte de drogas, e mesmo com testemunha ocular que afirma que Rafael não portava nenhuma substância ilícita, foi condenado a 11 anos e três meses por tráfico. Apesar do acúmulo de infortúnios que colaboraram para a relativa publicização desse caso, ele não é isolado nas estatísticas e esse quadro é um símbolo real da crescente população prisional brasileira. Entre os artistas que apoiam esta causa estão Alice Shintani, Anna Maria Maiolino, Bené Fonteles, Carmela Gross, Cildo Meireles, Dalton Paula, Fabio Morais, Gustavo Speridião, Ícaro Lira, Iran do Espírito Santo, Jaime Lauriano, Jonathas de Andrade, Maria Laet, Miguel Rio Branco, Nelson Félix, Nuno Ramos, Pablo Lobato, Paulo Bruscky, Paulo Nazareth, Raphael Escobar, Rosana Paulino, entre outros. A mostra conta também com debate em 01/07/17, às 17h, com Paulo Miyada e Hugo Leonardo,e participações de Geraldo Prado, Suzane Jardim e Cidinha da Silva (de 27/06/17, às 20h, a 30/07/17).
  • A artista Licia Galicia e o músico e especialista em eletrônica Michelangelo Lupone apresentam a instalação Oasi (Oasis), concebida como um local de experiência imersiva multissensorial, que pode mudar em função dos acontecimentos que ocorrem em seu interior. A mostra tem parceria com o Istituto Italiano di Cultura (SP) (de 01/06/17, às 20h, a 16/07/17).
  • Invenções da Mulher Moderna, Para Além de Anita e Tarsila, sob a curadoria de Paulo Herkenhoff, coloca em destaque a produção e a trajetória de mulheres que desafiaram convenções e limites de suas épocas, nos séculos 19 e 20 no Brasil. Com cerca de 300 obras, além de fotos e documentos, a exposição mapeia a história dessas mulheres muitas delas desconhecidas do público em geral. São pintoras, filantrópicas, a primeira fotógrafa brasileira, escultoras e como referência dois pilares do modernismo no Brasil, Anita Malfatti e Tarsila do Amaral, e apresenta novos apontamentos sobre suas obras e histórias (de 13/06/17, às 20h, a 20/08/17).

ITAÚ CULTURAL

  • Consciência Cibernética reúne trabalhos de brasileiros e estrangeiros que usam tecnologia para compor seus trabalhos, e refletem sobre o futuro da inteligência artificial. A mostra refete sobre a hipotética consciência das máquinas, sua evolução, complexidade e rapidez, além de sua capacidade para realizar funções como as executadas por cérebros biológicos. Nos dois primeiros dias da mostra, é realizado simpósio internacional para debater esta temática tão contemporânea; a exposição conta, ainda, com recursos de acessibilidade. Participam Adam Brown & Andrew Fagg, Christa Sommerer & Laurent Mignonneau, Equipe Itaú Cultural & Google Deep Dream, Heloisa Candello, Claudio Pinhanez & Paulo Costa, Jon McCormack, José Wagner Garcia, Pascal Dombis, Regina Silveira, Rejane Cantoni & Leonardo Crescenti e Ruairi Glynn. Curadoria de Marcos Cuzziol (de 07/06/17 a 06/08/17).
  • O espaço, que sempre realiza exposições de arte, conta também com uma midiateca voltada à arte e cultura brasileiras e composta por biblioteca (fechada para reformas), videoteca, hemeroteca e cedeteca, reunindo um acervo de 40 mil títulos. Visitação: ter. a sex., 12h/20h; sáb., 10h/19h. Já a Itaú Numismática reúne mais de 2 mil objetos expostos, entre moedas portuguesas e brasileiras, medalhas e condecorações. Visitação: ter. a qui., 10h/17h; qua., 11h/21h; sex. e sáb., 10h/19h.
  • Cinco séculos de arte brasileira estão reunidos em dois andares da instituição, o Espaço Olavo Setubal – Coleção Brasiliana Itaú exibe permanente parte das coleções Brasiliana Itaú e Itaú Numismática do banqueiro e ex-prefeito de São Paulo. São obras fundamentais que percorrem desde o descobrimento até o final do século XX. 1300 itens, entre pinturas, gravuras, documentos históricos, livros, incluindo trabalhos de inestimável valor histórico. O espaço abriga também a coleção de numismática da instituição, que traça um amplo panorama das moedas cunhadas e que tiveram circulação pelo país, entre outras curiosidades (a partir de 13/12/14, às 11h).
  • Cerqueira César: av. Paulista, 149, estação Brigadeiro do Metrô, tels. (11) 2168-1700 / 1777. Ter. a sex., 9h/20h; sáb. e dom., 11h/20h. www.itaucultural.org.br

JAPAN HOUSE

  • A primeira exposição do novo espaço Bambu – Histórias de Um Japão apresenta um conjunto de obras que tem como matéria prima o bambu, elemento que se manifesta em diferentes formas na cultura japonesa. Inspirado nesta planta, a mostra busca manifestar no contraste entre o caule fibroso e o oco interior um espaço para os potenciais, para a criação e a tradição. Destaque para os artistas Shigeo Kawashima, Chikuunsai IV Tanabe, Hajime Nakatomi, Akio Hizume e A Kaguya do Studio Ghibli. Curadoria de Marcello Dantas (de 06/05/17 a 09/07/17).
  • O novo centro cultural da cidade promove, em seus três andares, exposições, seminários, workshops e atividades com os mais relevantes criadores e empreendedores japoneses da atualidade nas artes, no design, na moda, na gastronomia, na ciência e na tecnologia. O espaço abriga ainda um restaurante, loja de produtos de alta qualidade, uma biblioteca e um café. O novo espaço é um dos três que o governo japonês abrirá no mundo em 2017, além de Londres e Los Angeles, e que pretendem mostrar o melhor do Japão no século 21.

LEICA GALLERY SÃO PAULO

  • O músico e fotógrafo Julian Lennon apresenta pela primeira vez no Brasil suas séries fotográficas “Rock N Roll Suíte”, onde retrata ícones mundiais do rock, e a série “Cycle", feita em 2016 durante viagem a Vietnã, Malásia, Bali e Bornéo, que mostra o dia-a-dia nas margens do Mar da China Meridional (de 26/04/17, às 19h, a 26/06/17).

MAB (MUSEU DE ARTE BRASILEIRA) | FAAP | CENTRO

  • O espaço fica no Edifício Lutetia, de propriedade da FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado). É um projeto de Ramos de Azevedo (1851-1928) inaugurado na década de 1920. A construção faz parte de um conjunto de três prédios independentes com uma fachada única, tendo oito pavimentos, mais o térreo e o subsolo, em um terreno de 256 m². Além disso, o edifício possui oito lofts que hospedam artistas brasileiros e estrangeiros, estudantes de artes plásticas, em projetos de intercâmbio cultural.
  • Centro: Praça do Patriarca, 78, Edifício Lutetia, tel. (11) 3101-1776. Seg. e qua a sex., 10h/18h com permanência até às 19h. Sáb., dom., e feriados, 10h/17h, com permanência até às 18h. Fechado às terças-feiras. www.faap.br/museu

MAB-FAAP (MUSEU DE ARTE BRASILEIRA DA FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO)

  • A mostra Moda no MAB: uma Nova Coleção no Acervo traz vestimentas, objetos de desfile e imagens que marcaram história a trajetória da instituição. São expostos vestidos assinados por André Lima, Fause Haten, Jum Nakao, Lino Villaventura e Reinaldo Lourenço; bonecas criadas pelo artista plástico Guilherme Pires para compor o desfile de Fause Haten, em 2013; a instalação "Tributo a Brothers Quay", de autoria de Jum Nakao; além de imagens de exposições memoráveis na FAAP. Em 19/06, ocorre um bate-papo com o historiador de moda João Braga (de 07/06/17 a 13/08/17).
  • Eterna Trilogia reúne 103 obras dos mais clássicos gêneros visuais da arte ocidental: retrato, paisagem e natureza-morta. O núcleo "Retratos" traz obras de Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Portinari, Flavio de Carvalho e Brecheret, entre outros artistas. Rugendas, Volpi, Cícero Dias, Vlavianos e Di Cavalcanti são alguns dos representados em "Paisagens". Em "Natureza-Morta" há trabalhos de nomes como Pedro Alexandrino, Gilberto Vançan, Flávio Shiró e Maria Tereza Louro. Um núcleo especial, denominado "Obras-primas", celebra os 70 anos da Faap e relembra as primeiras obras adquiridas pelo museu, há 55 anos no acervo. São trabalhos de Umberto Veruda e Benedito Calixto, entre outros. Quatro exposições se revezam no núcleo especial. Após "Obras-primas", na programação até maio, são apresentadas "Arquitetura do Prédio Matriz da Faap" (imagens, plantas e obras que relembram a construção do edifício principal da fundação, cujo projeto é do francês Auguste Perret); "As Faculdades Faapianas", a partir de agosto, é voltada para histórias e projetos de alunos, entre outras ações desenvolvidas ao longo dos 70 anos da instituição; e "Faculdade de Artes Plásticas", a partir de outubro, traz obras, registros e trabalhos dos alunos dos cursos de Artes Visuais, Moda, Design e Arquitetura (de 15/02/17 a 10/12/17).
  • O MAB-Faap, inaugurado em 1960, mantém em acervo obras de artistas modernistas como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Brecheret, Portinari, Di Cavalcanti, Segall, Guignard e Volpi; e de artistas de períodos posteriores como Tomie Ohtake e Evandro Carlos Jardim; além de trabalhos de artistas da arte brasileira atual, como Sandra Cinto, Albano Afonso e Cláudio Mubarac. No saguão do espaço, o público pode conferir 19 moldagens em gesso de esculturas de Aleijadinho, portais de igrejas e residências mineiras e baianas relacionadas ao barroco brasileiro. Também no saguão há dois painéis de vitrais realizados pela Casa Conrado, sendo que um deles, o do teto, é da artista Cláudia Andujar. Na área externa do prédio, o Jardim de Esculturas reúne obras em grandes formatos de Amílcar de Castro, Arcângelo Ianelli, Bruno Giorgi, Caciporé Torres, Franz Weissmann, Maria Guilhermina, Vlavianos, Sergio Camargo e Yutaka Toyota.
  • Higienópolis: r. Alagoas, 903, tel. (11) 3662-7198. Seg., qua., qui. e sex., 10h/19h (entrada até 18h); sáb. e dom., 10h/18h (entrada até 17h). www.faap.br/museu

METRÔ | ESTAÇÃO ADOLFO PINHEIRO

  • Exposição de longa duração O Bonde em Santo Amaro.
  • Santo Amaro: av. Adolfo Pinheiro, 300.

METRÔ | ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA

  • Exposição de longa duração O Metrô e Seus Bairros - Ipiranga: o Bairro do Grito.

METRÔ | ESTAÇÃO CORINTHIANS-ITAQUERA

  • Produzido por Cinemagia, a estação abriga a mostra do Projeto Encontros – Memorial do Corinthians (mostra de longa duração).

METRÔ | ESTAÇÃO LARGO TREZE

  • Exposição de longa duração O Metrô e Seus Bairros – Santo Amaro.

METRÔ | ESTAÇÃO LIBERDADE

  • Vitrine de Ikebana (mostra de longa duração).

METRÔ | ESTAÇÃO TIRADENTES

  • A estação recebe obras do acervo do Museu de Arte Sacra e passa a ter uma sala fixa de exposições, a Sala Metrô Tiradentes, com uma área de 150m² no mezanino destinada exclusivamente para mostras de arte sacra. A estreia do novo espaço é com a mostra Em Busca do Presépio Universal, de longa duração, com cerca de 30 conjuntos de diversas nacionalidades e integrantes da Coleção de Presépios do MAS, com curadoria de Maria Inês Lopes Coutinho. Destaque para o Presépio Napolitano, confeccionado entre os séculos 18 e 20 com barro cozido e policromado, madeira, tecido, liga metálica e gesso. Dentre os conjuntos também está “La Nascita de la Esperanza”, obra de Ulderico Pinfildi, uma das maiores autoridades do mundo em presépios. A sala fica na área paga da estação (A partir de 01/12/15. Mostra de longa duração. Qua. a sex., 9h/17h; sáb. e dom., 10h/18h).

MuBA | MUSEU BELAS ARTES DE SÃO PAULO

  • O museu do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo mantém em acervo desenhos, pinturas e esculturas de artistas como Alfredo Oliani, Tulio Mugnaini, Lopes de Leão, Raphael Galvez, Colette Pujol, Julio Guerra e outros.
  • A instituição passa a abrigar as exposições e atividades de pesquisa do IAC (Instituto de Arte Contemporânea), depois de ter sido desalojado em 2011 de prédio da USP no Centro da cidade.
  • O museu apresenta mostra que reúne projetos do arquiteto Ricardo Basiches, desde a época de estudante na qual fazia seus famosos desenhos feitos em guardanapos até trabalhos recentes (de 08/06/17 até agosto).
  • Vila Mariana: r. Dr. Álvaro Alvim, 76, Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, tel. (11) 5576-7300. Seg. a sex., 10h/20h; sáb. 10h/16h. www.belasartes.br | www.muba.com.br

PIVÔ

  • Fundada em 2012, a associação cultural atua como plataforma de intercâmbio e experimentação artística. O foco das atividades é o processo de construção e difusão de ideias a partir de concepção e desenvolvimento das propostas dos artistas. A programação contempla desde exposições, projetos específicos, intervenções, até edições e ateliês temporários.
  • Centro: Edifício Copan, av. Ipiranga, 200, bloco A, loja 54, tel. (11) 3255-8703. Ter. a sex., 13h/20h; sáb., 13h/19h. www.pivo.org.br

PROJETO FERNANDO ZARIF

  • O projeto criado em tributo ao artista plástico e escritor Fernando Zarif (1960-2010). Sua proposta é preservar e divulgar sua produção (pinturas, colagens e desenhos), realizada com o uso de tintas, lentes, esparadrapos, pelos, sangue, objetos e outros materiais.

PROJETO FIDALGA

  • O Projeto Fidalga é um espaço independente sem fins lucrativos com objetivo de incentivar o intercâmbio entre artistas e projetos experimentais. Durante 18 anos esse local foi o ateliê de Sandra Cinto e Albano Afonso, agora com o ateliê num novo endereço, os dois artistas decidiram manter o antigo espaço como lugar de energia criativa e encorajamento à produção de jovens artistas. Inclui cinco ateliês, um espaço para exposições temporárias e abriga Residência Artística Paulo Reis.
  • A residência Paulo Reis e a Sala de exposições Projeto Fidalga, organizados pelos artistas Sandra Cinto e Albano Afonso, são projetos sem fins lucrativos com objetivo de incentivar o intercâmbio entre os artistas, produção jovem e projetos experimentais.

RED BULL STATION


  • O espaço está instalado em um edifício dos anos 1920, tombado desde 2002 pelo Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo) e conta com ateliês individuais, estúdios coletivos e espaço expositivo.

SESC BELENZINHO

  • Uma das principais mostras de arte popular do país, a Bienal Naifs do Brasil, organizado pelo Sesc Piracicaba, completa 30 anos e inicia itinerância. A 13ª edição, intitulada "Todo Mundo É, Exceto Quem Não É", conta 228 obras de 152 artistas brasileiros que não possuem formação artística acadêmica e trabalham com elementos da cultura popular, como Efigenia Rolim, Adão Domiciano, Véio, Henry Victor e outros. A curadoria é de curadores Clarissa Diniz, Claudinei Roberto da Silva e Sandra Leibovici (de 20/04/17 a 02/07/17).
  • Iluminados – Experiências Pioneiras em Cinema Expandido apresenta obras de artistas atuantes entre os anos 1960 e 1980 que realizaram experimentações e desenvolveram novas mídias a partir do cinema (de 17/08/17 a 15/09/17).
  • Belenzinho: r. Padre Adelino, 1.000, próximo à estação Belém do Metrô, tel. (11) 2076-9700. Ter. a sáb., 10h/21h; dom., 10h/19h. www.sescsp.org.br

SESC BOM RETIRO

  • Em “Corpo de Prova”, a artista mineira Lais Myrrha investiga instrumentos e saberes que constroem nossa experiência no mundo a partir do lugar que nele ocupamos. Dicionários, mapas, bandeiras, hinos, jornais e telejornais são alguns dos elementos sobre os quais a artista interfere, explorando a noção de impermanência, e a precariedade dos conceitos de equivalência e equilíbrio (de 23/03/17, às 19h, a 25/06/17).
  • Acervo Permanente de Obras Contemporâneas. O Sesc Bom Retiro, inaugurado em 2011, é a unidade do Sesc no Estado de São Paulo com o maior conjunto de obras de arte. Os três andares abrigam cerca de 40 trabalhos assinados por artistas brasileiros contemporâneos como Daniel Costa, Anna Maria Maiolino, Daniel Costa, Descartes Gadelha, Cleber Machado, Anna Teixeira, Iran do Espírito Santo, J.Borges, Karen Kabbani, Marcelo Ivanhez, Maria Lira, Rubens Gerchman, Arthur Barrio, Bernadete Amorim, Claudio Tozzi e Marcelo Ivanhez.
  • Bom Retiro: al. Nothmann, 185, tel. (11) 3332-3600. Ter. a sex., 9h/20h30; sáb. e dom., 10h/17h30. www.sescsp.org.br

SESC INTERLAGOS

  • A mostra Acervo Sesc de Arte Brasileira traz obras de Denise Millan, Nicolas Vlavianos, João Câmara, Tide Hellmeister, Silvio Dworecki e outros. “Sonhos Gregos” conta com pinturas de John Graz (1891-1980). O projeto artístico e cenográfico “Canto das Artes” foca as atenções para a pintura “Nu”, de Carlos Leão. Eduardo Ver exibe xilogravura (mostras de longa duração).
  • Interlagos: av. Manuel Alves Soares, 1.100, tels. (11) 5662-9500 / 9521. Qua. a dom., 9h/17h. www.sescsp.org.br

SESC PINHEIROS

  • A instalação interativa “Rios Des.Cobertos – O Resgate das Águas da Cidade”, desenvolvido pelo Estúdio Laborg, trata dos rios ocultos paulistanos como o rio Verde que deságua no rio Pinheiros (até 24/09/17).
  • Pinheiros: r. Paes Leme, 195, tels. (11) 3095-9400 e 0800-118220. Ter. a sex., 13h/22h; sáb., 10h/21h; dom.,10h/18h30. www.sescsp.org.br

SESC POMPEIA

  • Na mostra “(+ = -) Mais é Igual a Menos”, Fabiana de Barros exibe fotografias, filmes, maquetes, uma obra inédita da série “Fiteiro Cultural”, que há 18 anos circulou por 13 países por propor novas maneiras de pensar a relação entre a arte e o público, e registros que refazem o trajeto desta instalação. Após residência artística em João Pessoa, Fabiana criou a obra a partir da observação de quiosques da praia paraibana (lá chamados de fiteiros) para criar a série, uma construção simples de madeira onde o espaço vazio passa a ser ocupado pela comunidade local, tornando-se um ateliê, um centro de criação ou palco de performances. Projeto expositivo de Ricardo Amado (de 29/03/17, às 20h, a 16/07/17).
  • A exposição Guilherme Vaz | Uma Fração do Infinito traz uma retrospectiva de 50 anos da produção do artista carioca, com pesquisa baseada nos multimeios e iniciada ainda no final da década de 1960. Um dos pioneiros da arte conceitual no Brasil, Guilherme também é músico experimental, maestro, pensador e integrante das vanguardas dos anos 1970, em desdobramentos de vanguarda na arte sonora e responsável pela introdução da música concreta no cinema brasileiro. São expostos cerca de 40 trabalhos, entre instalações sonoras, esculturas, pinturas, desenhos, fotografias, vídeos, filmes e uma cronologia ilustrada. Em 08/04/17, às 12h ocorre visita guiada com curadores (de 04/04/17, às 20h, a 06/08/17).
  • Pompeia: r. Clélia, 93, tels. (11) 3871-7700 e 0800-118220. Ter. a sáb., 9h/22h; dom., 9h/20h. www.sescsp.org.br

SESC SANTANA

  • O Grafiterritórios ZN visa ocupar artisticamente muros e fachadas de bairros da Zona Norte. O projeto apresenta "Visões Tipográficas", de Fábio Biofa e Alex Hornest (Onesto), que convidaram para essa primeira edição os artistas Dgoh, Goy, Ser, Otito, Rats, Zéis, Apropriadamente, Credo, Fedos e Laura Guimarães. Cada artista desenvolveu um alfabeto específico a partir de seus próprios estudos e referências para em uma grande pintura/painel compor uma frase na qual cada um pintou pelo menos duas palavras. Com isso, uma espécie de cartilha/folder contendo os alfabetos é disponibilizado ao público para que ele, por sua vez, identifique e traduza a frase que foi realizada (de 17/01/17 a 25/06/17, todos os dias, 24h, em muro da Rua Viri, ao lado do Sesc Santana).
  • Santana: av. Luiz Dumont Villares, 579, tel. (11) 2971-8700. Ter. a sex., 13h/21h; sáb. e dom., 10h/18h. www.sescsp.org.br

SESC SANTO AMARO

  • A unidade apresenta a instalação site-specific “Ponto Zero”, do artista pernambucano José Patrício. Cores, geometria construtiva, modulações são os artifícios criativos que atingem à experiência visual da instalação, criada a partir de pastilhas arquitetônicas e estruturas modulares, que resultam em movimento, ritmo e cromatismo. Na abertura ocorre conversa com o artista (de 08/04/17, às 11h, a 30/07/17).
  • A mostra permanente Acervo SESC de Arte Brasileira ocorre em todas as unidades SESC da capital e do interior. No SESC Santo Amaro podem ser vistas obras de Luis Hermano, José Patrício, Efrain Almeida, Amélia Toledo, João Câmara e Alex Cerveny, entre outros.
  • Santo Amaro: r. Amador Bueno, 505 - Santo Amaro, tel: (11) 5541-4000. Ter. a sex., 10h/21h; sáb. e dom., 11h/18h. www.sescsp.org.br

SESC VILA MARIANA

  • Meus Caros Amigos – Augusto Boal – Cartas do Exilio reúne correspondências, fotografias, documentos e vídeos sobre dramaturgo Augusto Boal (1931-2009), criador do Teatro do Oprimido. Curadoria de Eucanaã Ferraz (de 16/03/17, às 19h30, a 25/06/17).
  • Em comemoração ao 10º aniversário do projeto, a mostra Confluências - Transatlântica 10 Anos apresenta seleção de 22 autores de oito países entre todos os que participaram das leituras de portfólios durante essa década. Em parceria com a La Fábrica, PHotoEspaña e Sesc, a exposição é uma mostra da grande multiplicidade de temas, abordagens e interesses que movem os artistas e nos quais se desenvolve a criação fotográfica contemporânea (de 06/04/17, das 19h30 às 22h, a 09/07/17).
  • Vila Mariana: r. Pelotas, 141, tels. (11) 5080-3000 e 0800-11-8220. Ter. a sex., 7h/21h30; sáb., 9h/21h; dom., 9h/18h30. www.sescsp.org.br

UNIBES CULTURAL

  • A exposição interativa Frida e Eu traz instalações onde os visitantes podem entrar em contato com a vida e obra da artista mexicana Frida Kahlo (1907 - 1954). A mostra é dividida em seis eixos temáticos: Frida e o autorretrato, Frida e a família, Frida e a dor, Frida e Diego, Frida e a natureza e Frida e Paris (de 11/03/17, das 10h às 13h, a 30/06/17).
  • No projeto “Vazão”, Renato Pera exibe intervenção composta por 18 objetos pretos espelhados, em formato de gota que ocupam cerca de 30m do muro da Unibes ou na rampa de acesso à estação Sumaré do Metrô. A ação é motivada pela memória das inundações e das canalizações de alguns rios subterrâneos, como o Tamanduateí, Tietê, Pinheiros, e córrego Sumaré, que nasce debaixo da avenida de mesmo nome, que marca simbolicamente o local (de 04/03/17, às 11h, a 01/07/17).
  • O projeto Códigos Urbanos, da fotógrafa Zaida Siqueira, apresenta a arte urbana em São Paulo por meio de 150 fotografias, intervenções, projeções e lamb-lambes. Participam do projeto os artistas Christianne Alvarenga, Laura Guimarães, Átila Fragozo, Renoir Santos, Raul Zito, Jaime Prades, Roberta Dabdab e Henk Nieman. Serão homenageados Ozi e Alex Vallauri (in memoriam) (de 22/05/17, às 18h30, a 16/07/17).
  • Sumaré: r. Oscar Freire, 2.500, estação Sumaré do Metrô, tel. (11) 3065-4333. Seg. a sáb., 10h/19h. unibescultural.org.br