destaques
conteúdo
publicidade

BIBLIOTECA BRAILLE DORINA NOWILL

  • A biblioteca pública tem acervo com 3 mil publicações, obras voltadas para o atendimento de deficientes visuais. Há tanto livros em braille quanto obras gravadas em fitas e CDs. Também promove cursos de alfabetização Braille, oficinas e jornadas literárias. Conta com voluntários que se dedicam a ler para pessoas sem a capacidade de ver.
  • Taguatinga: CNB, 12, Área Especial 1, tel. (61) 3901-3549. Seg. a sex., 8h/17h.

BIBLIOTECA CENTRAL DA UNB (UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA)

  • A biblioteca, criada em 1962, fica em um edifício de 16 mil m² e tem capacidade para dois mil usuários.
  • Campus Universitário Darcy Ribeiro: Av. L3 Norte, gleba A, Praça Maior da UnB, tels. (61) 3107-2680 / 2676. Seg. a sex., 7h/23h45; sáb. e dom., 8h/17h45.

BIBLIOTECA NACIONAL DE BRASÍLIA

  • A biblioteca realiza com frequência tributos a poeta e escritores e também exposições.
  • Setor Cultural Sul: Esplanada dos Ministérios, tels. 961) 3325-6257 / 6237. Seg. a sex., 8h/19h45; sáb. e dom., 8h/14h. www.bnb.df.gov.br

BIBLIOTECA PÚBLICA DE BRASÍLIA

  • Inaugurada em 1990, a biblioteca tem acervo de 60 mil exemplares divididos em: acervo geral; referência; infanto-juvenil; gibiteca; estante de concursos; escritor brasiliense; periódicos; e diários de notícias locais e nacionais. O Jardim de Leitura possibilita aos usuários estudarem ao ar livre.
  • EQS 312 / 313, tel. (61) 3245-5022. Seg. a sex., 8h/19h45; sáb. e dom., 12h30/18h30.

CASA DO CEARÁ | MUSEU DE ARTE E TRADIÇÃO DO NORDESTE

  • O espaço reúne acervo com rendas de bilro, figuras do bumba-meu-boi, do maracatu e do reisado, lamparinas, trajes de vaqueiros, ex-votos e telas de Chico da Silva.
  • SGAN: quadra 910, módulos F e G. Seg. a sex., 9h/11h e 13h/17h.

CATETINHO

  • Primeira residência oficial de Brasília, preserva móveis e objetos de época. Tem ainda um bosque com nascentes.
  • BR 040, Trevo do Gama.

MEMORIAL ASSIS CHATEAUBRIAND

  • O memorial reúne fotos e publicações.
  • SIG: quadra 2, lote 340, anexo do Correio Braziliense. Seg. a sex., 8h/12h e 14h/18h.

MEMORIAL DOS POVOS INDÍGENAS

  • Construído em 1987, o memorial foi projetado por Oscar Niemeyer (1907-2012) em forma de espiral, remetendo a uma maloca redonda dos índios Yanomami. Tem como objetivo mostrar a diversidade e riqueza da cultura indígena. O acervo tem peças representativas de várias tribos, como arte plumária, bancos de madeira, máscaras e instrumentos musicais.
  • Eixo Monumental Oeste, Praça do Buriti, tels. (61) 3342-1154 / 3344-1156. Ter. a sex., 9h/17h; sáb. e dom., 10h/17h.

MEMORIAL JK

  • Homenagem ao ex-presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira (1902-1976), o museu tem projeto de Oscar Niemeyer (1907-2012). Inaugurado em 1981, tem no acervo as roupas de JK, a sua faixa presidencial, medalhas e também a biblioteca pessoal.
  • Praça do Cruzeiro. Ter. a dom., 9h/18h.

MEMORIAL TJDFT (TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS)

  • Inaugurado em 2010, o memorial abriga livros, fotos, peças e processos históricos, além de 16 painéis interativos que narram a história da Justiça desde sua origem, na antiga capital Salvador. O espaço realiza eventos culturais como exposições e lançamentos de livros.
  • Praça Municipal, Lote 1, Bloco A, 10° andar, Fórum Desembargador Milton Sebastião Barbosa, tel. (61) 3103-5893. Seg. a sex., 12h/19h.

MIS (MUSEU DA IMAGEM E DO SOM) | MUSEU DE BRASÍLIA | INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DO DISTRITO FEDERAL

  • O museu tem acervo de fotos, vídeos e publicações.
  • SEPS: 703 / 903, lotes C, D e E, Via W 4 Sul. Seg. a sex., 8h/12h e 14h/18h.

MUSEU DA CIDADE DE BRASÍLIA

  • O museu preserva trabalhos relativos à história da construção de Brasília. É o mais antigo da capital, aberto em 21 de abril de 1960, mesmo dia da inauguração da cidade.
  • Praça dos Três Poderes, tels. (61) 3325-6163 / 3321-9843. Ter. a dom., 9h/18h.

MUSEU DA IMPRENSA NACIONAL

  • O museu, inaugurado em 1982, exibe vários tipos de máquinas de impressão, instrumentos utilizados em artes gráficas, brasões, florões, mobiliário e manuscritos, um exemplar da Constituição de 1891, um exemplar do primeiro jornal impresso no Brasil, “A Gazeta do Rio de Janeiro”, e Diários Oficiais históricos. Entre os destaques estão o primeiro clichê de um desenho feito no Brasil, a planta da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, e o Prelo Machado de Assis, uma máquina de impressão inglesa fabricada em 1833.
  • SIG, Qd. 6, s/n, lt 800, tels. (61) 3441-9811 / 9875. Seg. a sex., 8h/17h; dom., 13h/17h.

MUSEU DO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO

  • A exposição permanente Casa dos Contos apresenta a história das instituições antecedentes à criação do TCU (visitação: seg. a sex., 9h/19h).

MUSEU NACIONAL DA REPÚBLICA

  • O museu integra o Conjunto Cultural da República. É utilizado para exposições itinerantes de artistas renomados e temas importantes para a sociedade, além de palestras, mostras de filmes, seminários e outros eventos.
  • Setor Cultural Sul, lote 2, próximo à Rodoviária do Plano Piloto - Zona 0, tels. (61) 3325-6410 / 5220 / 6234. Ter. a dom., 9h/18h30. www.sc.df.gov.br

MUSEU VIVO DA MEMÓRIA CANDANGA

  • O museu fica em uma alameda de casas de madeiras coloridas em um bosque de árvores frutíferas. O acervo é composto por objetos e fotos da época da construção da capital. A exposição “Poeira, Lona e Concreto” narra a história de Brasília por meio de fotos de Mário Moreira Fontenelle (primeiro fotógrafo oficial de Brasília), Peter Scheir e Joaquim Paiva. Peças de artesanato e arte popular integram a exposição “Renovação e Tradição – Novos Caminhos”.
  • Via EPIA Sul, SPMS, Lote D, Núcleo Bandeirante, tel. (61) 3327-4405 e 3301-3590. Seg. a sáb., 9h/17h.

PALÁCIO ITAMARATY

  • O Palácio Itamaraty é sede do Ministério das Relações Exteriores do Brasil. O prédio de autoria do arquiteto carioca Oscar Niemeyer (1907-2012) é rodeado por um espelho d'água que abriga a famosa escultura “O Meteoro”, de Bruno Giorgi (1905-1993). O paisagismo é trabalho de Roberto Burle Marx (1909-1994). O acervo de arte tem obras de artistas brasileiros como Candido Portinari (1903-1962), Mary Vieira (1927-2001), Manabu Mabe (1924-1997), Franz Weissmann (1911-2005), Alfredo Ceschiatti (1918-1989) e Victor Brecheret (1894-1955), além de esculturas, tapeçarias, adornos refinados e móveis dos séculos 17 e 18. Entre as pinturas históricas está “O Grito do Ipiranga”, de Pedro Américo (1843-1905).
  • Esplanada dos Ministérios, s/n°, tel. (61) 3411-6713.

TEMPLO DA BOA VONTADE

  • Fundado em 1989, o templo conta com acervo com obras de artistas brasileiros e estrangeiros, entre eles Mestre Vitalino, Antonio Poteiro, Zanini Caldas, Mestre Didi, Aldemir Martins, Tarsila do Amaral, Siron Franco, Roberto Burle Marx, Bruno Giorgi, Athos Bulcão e Manabu Mabe, entre outros.
  • Setor de Grandes Áreas Sul 915, lotes 75 e 7, Asa Sul, tel. (61) 3114-1070. www.tbv.com.br