destaques
conteúdo
publicidade

INSTITUTO FIGUEIREDO FERRAZ

  • A mostra de Fabio Miguez- Fragmentos do Real (Atalhos), com curadoria de Rodrigo Moura, recebe 35 obras recentes do artista, entre pinturas que tratam da relação direta com a história da arte; sejam como citação ou pequenas paródias, e remetem a situações pictóricas casuais encontradas em elementos arquitetônicos, como casarios, pedras rejuntadas, muros de tijolos (de 10/03/18, às 16h, a 05/05/18).
  • O Itaú Cultural realiza sua 5ª mostra itinerante Anexo IFF: Imagens Impressas: um Percurso Histórico pelas Gravuras da Coleção Itaú Cultural, com curadoria de Marcos Moraes, apresenta diferentes tipos de gravura de uma seleção com 100 obras que contemplam cinco séculos da produção gráfica européia, a evolução das técnicas, suas inovações e o desenvolvimento de uma linguagem gráfica. Entre os artistas da coleção estão Martin Schongauer, Albrecht Dürer, Martin de Vos e Francisco Goya. Na abertura, às 17h30, ocorre uma conversa com o curador (de 10/03/18, às 16h, a 05/05/18).
  • O artista japonês Yamamoto Masao exibe três séries fotográficas “A Box of Ku”, “Nakazora” e “Kawa=Flow”. São imagens feitas entre 1990 e 2016 e expostas também em caixas-poemas, com de seis fotos pequenas e um Haikai de autoria de Ryokan, importante poeta e monge zen-budista japonês do século XIX. As fotografias de Yamamoto, ampliadas quase sempre em preto e branco, se revelam por meio de um manejo cuidadoso da luz, e evidenciam a importância que tanto a claridade, como a escuridão, podem ter na construção de significados (de 10/03/18, às 16h, a 05/05/18).
  • A exposição #iff2018 traz recorte da coleção de Dulce e João Carlos de Figueiredo Ferraz, com as aquisições mais recentes do instituto e trabalhos que poucas vezes foram mostrados. A mostra não aborda um tema ou uma questão específica, mas indica as possibilidades e caminhos da recente produção contemporânea. Entre destaques as instalações “A Espera”, de Gisela Motta e Leandro Lima, e “Metade da Fala no Chão- Piano Surdo”, de Tatiana Blass; além dos trabalhos em exposição permanente de Iole de Freitas e Marcius Galan (de 10/03/18, às 16h, a 05/05/18).
  • Inaugurado por Dulce e João Carlos Figueiredo Ferraz em 01/10/11, o espaço difunde arte e cultura em Ribeirão Preto e região. Integram o acervo obras de Cildo Meirelles, Geraldo de Barros, Waltercio Caldas, Vik Muniz, Amilcar de Castro, Silvia Veludo, entre outros; e ainda trabalhos de jovens artistas como Tatiana Blass, Gisela Motta e Leandro Lima. O instituto realiza visitas individuais, escolares ou em grupos, monitoradas por educadores. Além de mostras de acervo e temporárias, o centro cultural oferece cursos e palestras.

SESC RIBEIRÃO PRETO

  • A mostra Pretatitude - Insurgências, Emergências e Afirmações na Arte Contemporânea Afro-brasileira contempla a recente produção de um elenco de 11 artistas, de várias áreas do fazer artístico, tais como: fotografia, desenho, pintura, gravura, escultura, objeto, novela gráfica e performance, que traça um denso panorama da diversidade e competência dos artistas afro brasileiros. Curadoria de Claudinei Roberto (de 23/02/18, às 20h, a 06/05/18).
  • Centro: r. Tibiriçá, 50, tel. (16) 3977-4477. Ter. a sex., 13h30/21h30; sáb. e dom., 9h30/17h30. www.sescsp.org.br