destaques
conteúdo
publicidade

ATELIÊ DA IMAGEM ESPAÇO CULTURAL

  • “Devastação” é exposição da artista mineira Paula Huven 13 fotografias e 20 contatos fotográficos originais, além de registros do processo, que retratam o silencioso diálogo de olhares entre mães e filhas através de um espelho. Na bertura ocorre olnaçmento do livro homônimo com textos críticos de Maria Angélica Melendi e Carolina Junqueira dos Santos (de às 19h, a 19/08/17).

CAIXA CULTURAL - Av. Almirante Barroso

  • A 2ª edição da Mostra Bienal Caixa de Novos Artistas traz trabalhos de 30 novos talentos selecionados por convocatória, através de desenhos, esculturas, fotografias, gravuras, instalações, intervenções, pinturas e vídeo. Participam Adriano Almeida Gonçalves, Alessandra Bufe Baruque, Ana Paula Gonçalves Kawajiri, Andréa de Vasconcelos, Bráulio Menezes Alves, Cátia Maria Lantyer Duarte, Cecilia Maria Azevedo Urioste, Denise Souza da Silveira, Felipe Seixas, Fernando Alves Bueno, Guilherme Malaquias Caldas Madeira, Jorge Donizetti Pavani, Leonardo Savaris, Lucas Lugarinho Braga, Natasha Ulbrich Kulczynski, Talitha Gomes Filipe entre outros. Curadoria é de Liliana Magalhães (de 30/05/17, às 19h, a 23/07/17).
  • A mostra "Quase Pinturas", do artista paulistano Fabio Cardoso, apresenta a série homônima composta por 13 pinturas a óleo, em uma técnica que remete à velatura, que revela cenas captadas por câmeras de celulares. A curadoria é de Agnaldo Farias. Na abertura, às 16h, ocorre uma visita guiada com curador. Às 17h30, ocorre o debate “Aspectos da pintura contemporânea” com os artistas Fabio Cardoso, Afonso Tostes e Carlos Vergara, sob a mediação de Agnaldo Farias. Em 17/06, às 17h30, ocorre um encontro com o artista e lançamento do catálogo da mostra (de 27/05/17, às 16h, a 23/07/17).
  • A mostra Poesia Agora faz um mapeamento da cena poética contemporânea, com trabalhos de cerca de 500 poetas brasileiros e estrangeiros, entre textos, livros, vídeos, fotos, registros sonoros e saraus, divididos em seis alas diferentes. A exibição é um desdobramento do projeto Plástico Bolha, desenvuelto pelo curador da msotra Lucas Viriato, desde 2006, pelo departamento de Letras da PUC-Rio (de 10/06/17, às 16h, a 06/08/17).
  • Centro: av. Almirante Barroso, 25, esquina com av. Rio Branco, próximo à estação Carioca do Metrô, tels. (21) 3980-3815. Ter. a dom., 10h/21h. www.caixacultural.com.br

CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL

  • O pintor pernambucano Cicero Dias (1907-2003) ganha uma grande exposição em sua homenagem. A mostra itinerante apresenta ao público cerca de 125 obras de um dos mais importantes artistas brasileiros do século XX, cuja trajetória é reconhecida internacionalmente. Além das pinturas e desenhos, a exposição também contextualizando a história do artista evidenciando sua relação com poetas e intelectuais brasileiros, e sua participação no circuito de arte europeu, através de fac-símiles de cartas, textos e fotos trocadas com Manuel Bandeira, Gilberto Freyre, Murilo Mendes, José Lins do Rego, Mário Pedrosa, Pierre Restany, Paul Éluard, Roland Penrose, Pablo Picasso, Alexander Calder, entre outros. Curadoria de Denise Mattar (01/08/17 a 25/09/17).
  • A retrospectiva Los Carpinteros: Objeto Vital apresenta 70 obras do coletivo de artistas de Cuba, criado nos anos 1990, além de trabalhos inéditos. Marcos Castillo, Dagoberto Rodriguez e Alexandre Arrechea, que saiu do grupo em 2013, mesclam arquitetura, escultura e design pela proposta de reflexão sobre as possibilidades dos objetos. Curadoria de Luisa Duarte. Na abertura, às 18h30, ocorre uma mesa redonda com os artistas e a curadora (de 03/05/17 a 02/08/17).
  • O espaço tem várias salas de exposição, três teatros, um cinema, dois auditórios, um salão de chá, uma bomboniére e uma biblioteca com cerca de 140 mil volumes. Livro do Artista é exposição permanente com trabalhos exclusivos de artistas como Anna Maria Maiolino, Artur Barrio, Beatriz Milhazes, Carlos Zílio, Gabriela Machado, Luciano Figueiredo, Nuno Ramos e Waltercio Caldas.
  • O Banco do Brasil e Sua História conta a história do banco, que em 2008 completou 200 anos. A mostra recria, com mobiliário de época, o ambiente que abrigou a Presidência do banco no período de 1937 a 1960. Visitação: ter. a dom., 10h/18h.
  • A exposição permanente Galeria de Valores abriga a Coleção de Numismática do banco. São mais de 36 mil moedas. Curadoria de Denise Mattar.
  • Centro: r. Primeiro de Março, 66, estação Uruguaiana do Metrô, tel. (21) 3808-2020. Qua. a seg., 9h/21h. www.bb.com.br/cultura

CENTRO CULTURAL LIGHT

  • Lugar De Luz apresenta obras de 13 artistas jovens residentes no Rio de Janeiro, inspirados em algum tipo de relação com a luz e com a energia. Participam como Ana Biolchini, Ana Maria Miranda,Claudia Malaguti, Clautenes Aquino, Grasi Fernasky, Ignez Peixoto, Isabela Frade, Ligia Calheiros, Mabel Spinola, Marciah Rommes, Miro P.S, Nádia Aguilera e Rosa Hollman. Curadoria de Lia do Rio. Em 13/07, das 16h às 19h, ocorre um bate-papo com os artistas, a curadora e convidados sobre novas possibilidades das atividades de arte na cidade. Em 18/07, das 16h às 19h, ocorre bate-papo descontraído entre artistas, curadora e convidados (de 09/06/17, às 17h, a 21/07/17).
  • O edifício, construído em 1911 como sede e garagem de bondes da Light, abriga desde 1994 o centro cultural que oferece ao público diversos espaços e galerias, além do Teatro Lamartine Babo. Exibe um acervo fotográfico sobre o Rio Antigo e arquivo de textos relativo aos serviços prestados pela Light desde 1904.
  • Centro: av. Marechal Floriano, 168, tels. (21) 2211-4420 / 4543. Ter. a dom., 9h/21h. www.lightrio.com.br

CENTRO SEBRAE DE REFERÊNCIA DO ARTESANATO BRASILEIRO

  • A mostra Festa Brasileira: Fantasia Feita à Mão traz um panorama das grandes celebrações brasileiras - religiosas, rituais ou profanas - a partir de seus objetos, adereços, máscaras, vestimentas e instrumentos musicais produzidos por artesãos de todo o país especialmente para essas ocasiões. Com curadoria de Raul Lody e Leonel Kaz, a exposição possibilita que o público mergulhe em festas como Folia de Reis, do Divino Espírito Santo, Bumba-Meu-Boi, o Carnaval, Congada, as Cavalhadas, os Reisados, o Maracatu Rural, o Boi de Mamão, em várias regiões, e festejos rituais indígenas, entre muitas outras manifestações (de 20/07/17, às 19h, a 28/10/17).

ESPAÇO FURNAS CULTURAL

  • A exposição Olhares Cruzados - 10 anos apresenta a trajetória do projeto de intercâmbio cultural através de oficinas de fotografia e entre crianças e adolescentes do Brasil, África, América Latina e Caribe. São expostas 24 fotografias dos fotógrafos Ricardo Teles, Andréa D’Amato, José Bassit, Sérgio Zacchi, o moçambicano Mauro Pinto, o boliviano Fernando Sória, o senegalês Kane Sy e o etíope Yemane Gebresalassie, que acompanharam de perto as oficinas e se inseriram no processo. A exposição ainda conta com 24 painéis com fotografias, desenhos, entrevistas e reprodução de objetos produzidos pelos jovens (a partir de 17/09/15).
  • Botafogo: r. Real Grandeza, 219, tel. (21) 2528-5166. Seg. a sex., 9h/17h. www.furnas.com.br

INSTITUTO CERVANTES

  • A exposição “Castelos de Luz na Noite Escura”, do fotógrafo Renan Cepeda, apresenta uma nova visão dos castelos medievais da região espanhola de Castilla y León. As imagens foram captadas com a técnica light painting e a série de fotos premiada pelo Sony World Photography Award. Curadoria de Marcia Mello (de 29/06/17, das 19h às 22h, a 21/08/17).
  • Botafogo: r. Visconde de Ouro Preto, 62, tel. (21) 3554-5910. Seg. a sex., 10h/19h; sáb., 10h/17h. riodejaneiro.cervantes.es

INSTITUTO MOREIRA SALLES - Gávea

  • A mostra Chichico Alkmim: Fotógrafo apresenta cerca de 200 imagens feitas pelo fotógrafo mineiro Francisco Augusto Alkmim (1886-1978), no início do século 20. Após se estabelecer em Diamantina, depois de viajar por Minas Gerais vendendo joias com seu pai, o jovem fotógrafo encontrou uma cidade que já se distanciava da glória do período da farta exploração de diamantes, e registrou as mudanças nesse universo, que flutuava entre a modernização e a tradição, registrando a paisagem e seus habitantes até meados dos anos 1950. Curadoria de Eucanaã Ferraz. Na abertura é lançado o catálogo organizado pelo curador (de 13/05/17, às 18h, a 01/10/17).
  • A mostra J. Carlos: Originais apresenta um conjunto de 290 desenhos de um dos maiores cronistas visuais do Brasil, José Carlos de Brito e Cunha (1884-1950). A exposição mostra instantes decisivos da longa e variada de sua produção com uma seleção dentre mil desenhos originais, inclui caricaturas, charges, cartuns, alfabetos tipográficos, vinhetas, publicidade, que integram a coleção Eduardo Augusto de Brito e Cunha, sob a guarda do IMS desde 2015. J. Carlos foi um dos primeiros representantes do modernismo no Brasil, com a leitura – direta ou indireta – que fez do art nouveau e da art déco e publicações de imprensa e publicidade, que precisavam recorrer ao desenho para vender seus produtos e valorizar o que era noticiado. Curadoria de Cássio Loredano, Julia Kovensky e Paulo Roberto Pires (de 25/03/17, às 18h, a 22/10/17).
  • A casa inaugurada em 1951, com projeto arquitetônico de Olavo Redig de Campos (1906-1984) e paisagístico de Roberto Burle Marx (1909-1994), foi residência da família Moreira Salles. Posteriormente foi adaptada e transformou-se em centro cultural. Atualmente abriga salas de exposição e de aula, biblioteca, auditório, cafeteria, loja de arte, ateliê e dependências para hóspedes.
  • Gávea: r. Marquês de São Vicente, 476, tel. (21) 3284-7400. Ter. a dom., 11h/20h. www.ims.com.br

JACARANDÁ

  • A mostra (Dis)placement divaga sobre o que é "ser estrangeiro", abrangendo barreiras físicas e emocionais, como a dificuldade de se adaptar a novos ambientes. Os trabalhos expostos sugerem, muitas vezes, diferenças culturais, de identidade pessoal em relação ao ambiente em que estão; selecionados por edital. São expostos vídeos, pinturas, literatura, gravuras, fotografias e desenhos de Alice Quaresma, Andrea Castilho, Angela Chen, Dana Davenport, Ismene King, Jill Miller, Kalium Graves, Kiriaki Hajiloizis, Luiz D’Orey, Manoela Medeiros, Marcia Thompson, Marko Zubak, Mercedes Lachmann e Romain Dumesnil. Curadoria de Gabriela Davies (de 08/07/17, das 18h às 21h, a 04/08/17).

OI FUTURO

  • A retrospectiva do sul-coreano Nam June Paik (1932-2006) apresenta 15 obras que compõe um painel de inovações e experiências realizadas pelo artista, a partir da década de 1960, em que buscou a convergência de diferentes linguagens e meios de expressão para ampliar os limites da arte. Com curadoria do italiano Marco Pierini, a mostra traz vídeos, robô e instalações com monitores de TV, pinturas e objetos de uso cotidiano em colagens (de 26/06/17 a 27/08/17).
  • O espaço funciona no prédio de 1918 do antigo Museu do Telephone, no Flamengo. Ele chamava-se Centro Cultural Telemar até novembro de 2006, quando foi adotado o nome Oi Futuro.
  • O Museu das Telecomunicações, inaugurado em janeiro de 2007 no Oi Futuro, tem 210 m² e ocupa o sexto andar do espaço cultural. Ele apresenta exposição permanente sobre a história da comunicação humana, com documentos e objetos museológicos aliados a recursos de alta tecnologia. São mais de 120 vídeos produzidos por cerca de 90 instituições nacionais e internacionais. O museu trabalha com hipertexto, permitindo aos visitantes uma infinidade de “janelas” de informações num mesmo local. Na entrada, o visitante recebe um aparelho portátil para que possa interagir com as instalações e ouvir os textos dos filmes exibidos. Um dos principais objetos em exposição é um exemplar do primeiro PC vendido no mundo - ele está imerso numa espécie de cubo gigante de gelo. Visitação: ter. a dom., 11h/17h.
  • Flamengo: r. Dois de Dezembro, 63, tel. (21) 3131-3060. Ter. a dom., 11h/20h. www.oifuturo.org.br

OI FUTURO - IPANEMA

  • A filial em Ipanema do Oi Futuro, inaugurada em setembro de 2009, instalada em um edifício art déco, ocupa 1.500 m² de uma antiga central telefônica. O espaço conta com galeria de arte, sala para exibição de peças e filmes, um café e uma filial da Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia.
  • Ipanema: r. Visconde de Pirajá, 54, tel. (21) 3131-9333. Ter. a dom., 13h/21h. www.oifuturo.org.br

SOLAR GRANDJEAN DE MONTIGNY

  • O solar é um exemplo da arquitetura neoclássica brasileira. Tombado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) desde 1938, preservado e restaurado, fica na entrada do campus da PUC-Rio (é museu universitário da instituição desde 1980). Construído como residência do arquiteto francês Auguste Henri Victor Grandjean de Montigny (1776-1850), que veio ao Brasil em 1816 integrando a Missão Artística Francesa trazida por D. João VI, é considerado um dos mais importantes exemplos da adaptação da arquitetura neoclássica ao clima tropical. Realiza exposições históricas e artísticas dedicadas à cultura brasileira dos séculos 19 ao 21. Também oferece acervo com obras de artistas brasileiros e estrangeiros que participaram de exposições no local, como Burle Marx, Thereza Miranda, Carlos Scliar, entre outros, doadas pelos próprios artistas ou por suas famílias. Tem ainda arquivo e biblioteca.

THE MAZE

  • O espaço inaugurado em 1997 possui acervo permanente com cerca de 50 obras dos artistas Nadkarni, Urbinati e Darel, além de fotografias de diversos autores. A arquitetura da edificação é inspirada no estilo mediterrâneo.
  • Catete: r. Tavares Bastos, 414, tel. (21) 2558-5547.

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ - campus Praça Onze

  • O campus Praça Onze abriga a mostra permanente Exposição do Acervo da UniversidArte, com obras de Abraham Palatnik, Adriana Tabalipa, Aluisio Carvão, Daniel Senise, Fatima Magalhães, Frederico Dalton, João Carlos Goldberg, Luiz Ernesto, Nelson Felix, Rosana Ricalde e outros.

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ - campus Presidente Vargas

  • Exposição Permanente do Acervo da UniversidArte reúne obras de Abraham Palatnik, Adriana Tabalipa, Aluisio Carvão, Ana Muglia, Angela Freiberger, Angelo Venosa,Carlos Muniz, Daniel Senise, Eliane Duarte, Enrica Bernardelli, Fatima Magalhães, Frederico Dalton, João Carlos Goldberg, João Magalhães, João Uchôa, Leila Danziger, Lia do Rio, Luciano Figueiredo, Luiz Ernesto, Nelson Felix, Regina Vater, Rosana Ricalde, Suzi Coralli, Vicente de Mello e Walton Hoffmann.