destaques
conteúdo
publicidade
curtas

Arco Lisboa estreia com 44 galerias internacionais à beira do Rio Tejo +

O dinamismo cultural de Lisboa vem transformando a cidade em novo e desejado centro de arte. Esse bom momento dos últimos anos e o desejo de expansão da Arco Madri, feira internacional de arte contemporânea com 35 anos de existência, transformou a Arco Lisboa em uma realidade.
Em formato mais enxuto e seleção afinada, a Arco Lisboa ocorre entre os dias 26 e 29/05/16, em um edifício histórico datado de 1779, às margens do Rio Tejo, a Fábrica Nacional da Cordoaria - monumento nacional.
O comitê de seleção formado pelos galeristas Cristina Guerra (Lisboa), Galeria Múrias Centeno (Lisboa), Juana de Aizpuru (Madrid), Jaqueline Martins (São Paulo) e Giorgio Persano (Turim), selecionou 44 galerias de oito países, sendo 18 portuguesas e cinco brasileiras: Baró, Jaqueline Martins, Luciana Brito, Luisa Strina e Vermelho, todas de São Paulo.
O evento conta com uma programação paralela de conferências, lançamentos e aberturas de exposições em galerias espalhadas pela cidade. Entre os destaques estão encontros com a recém-empossada diretora do Museu Gulbenkian, Penelope Curtis (quinta, 26/05, às 12h30) e Pedro Lapa, diretor do Museu Coleção Berardo, sobre os novos artistas africanos (sexta, 27/05, às 18h00).
Apesar de outras feiras já terem existido na cidade, como a Arte Lisboa, organizada durante vários anos pela FIL, e a East Art Fair, dirigida por Luís Mergulhão, que se realizou no ano passado no Estoril, a Arco traz á Lisboa não só o seu enorme know-how como também uma marca de confiança. E com isso, espera-se, os colecionadores estrangeiros, essenciais para fazer que esta feira atinja um patamar superior ao das suas antecessoras.
Mais informações e programação completa no site: http://www.ifema.es/arcolisboa_01/

Caixa Belas Artes exibe filmes do polêmico artista inglês Derek Jarman +

A Caixa Belas Artes promove, de 19/05 a 01/06/16, uma mostra sobre a produção audiovisual do polêmico artista inglês Derek Jarman. Intitulada “Derek Jarman – Cinema é liberdade”, a mostra contempla 26 videoclipes, filmes experimentais, longas e curtas-metragens do diretor vitimado pela AIDS em 1994, que trazem ao público uma obra personalíssima, além de uma programação de palestras e debates. Sob curadoria de Raphael Fonseca, 26 obras apresentam a opulência visual, o fascínio pela violência e o cuidado com a sonoridade do diretor notabilizado pela temática homoerótica e a representação “queer” de personagens da história da arte e da política ocidental.
São exibidos os longas-metragens “Sebastiane” (1976), fantasia militar em torno de São Sebastião, ambientada na Roma do Imperador Diocleciano, com trilha-sonora original de Brian Eno; “Jubilee” (1978), retrato da cena punk londrina realizado no aniversário de 25 anos do reinado de Elizabeth II; “A Tempestade” (1979), baseado no drama clássico de Shakespeare; o obscuro “Caravaggio” (1986), premiada ficção biográfica em torno da vida do pintor do Barroco italiano; “The Angelic Conversation” (1987), em que imagens de jovens moços são contrapostas à leitura de 14 sonetos de Shakespeare pela atriz Judi Dench, musicados pela banda gótica Coil. “War Requiem” (1989), por sua vez, é um filme mudo ambientado durante a Primeira Guerra Mundial, que segue a obra não-litúrgica do compositor inglês moderno Benjamin Britten e a poesia de Wilfred Owen. “The Last of England” (1989) trata de uma narração apocalíptica sobre a Inglaterra, com participação de sua atriz predileta Tilda Swinton. Em “The Garden” (1990), Jarman parte da Paixão de Cristo para discutir a repressão sexual e a homofobia, enquanto “Edward II” (1991) parte de uma adaptação contemporânea do drama de Christopher Marlowe sobre o monarca inglês e sua relação com o conde Piers Gaveston, e “Wittgenstein” (1992) traz uma biografia do filósofo alemão. “Blue” (1993), montagem poética finalizada post-mortem, trata do drama pessoal do diretor vitimado pelo vírus da AIDS em 1994. “Glitterburg” (1994) é um filme auto-biográfico caseiro com passagens gravadas na mítica boite gay londrina Heaven, cenas de bastidores de outras produções suas e textos de William S. Borroughs, autor maldito retratado no curta “Pirate Tape” (1987), também em exibição.
Nos dias 21 e 29/05/16, às 18h30, acontecem palestras com Cecilia Mello e Luiz Andreghetto; em 28/05/16, às 18h30, Donny e Pedro Tinen debatem sobre a obra do diretor com mediação de Mateus Nagime.
|
Mais informações:
http://www.mostraderekjarman.com.br/2016/

Livro sobre Escola Municipal de Iniciação Artística é lançado no CCSP +

Um escola municipal da Zona Sul de São Paulo é o tema de um livro que será lançado em 30/06/16, às 19h, no Centro Cultural São Paulo. A publicação “EMIA, Escola de Artes, Casa de Crianças: Uma Experiência de 35 Anos” reúne experiências e reflexões de professores, coordenadores e diretores da Escola Municipal de Iniciação Artística, que atende crianças de 5 a 12 anos de idade, no bairro do Jabaquara.
A escola trabalha a partir da integração da música, das artes visuais, do teatro e da dança, tendo professores que são artistas e que atuam conjuntamente a partir de processos artísticos desenvolvidos com as crianças. Mas também oferece caminhos de escolha que passam por uma linguagem específica, o estudo de um instrumento ou a participação em oficinas diversas, corais e orquestra.
Os alunos participam de exposições de arte e apresentações diversas, tudo em um ambiente acolhedor, dentro de um parque, onde têm espaço para brincar, observar, criar e se relacionar como mundo de forma mais autêntica e significativa. Isso permite ainda mais o exercício da criatividade ao lado de professores artistas, que incentivam as crianças a se questionarem e a buscarem seus gatilhos dentro das referências apresentadas.
|
Mais informações:
Centro Cultural São Paulo
Paraíso: r. Vergueiro, 1.000, tel. (11) 3397-4002. Ter. a sex., 10h/20h; sáb. e dom., 10h/18h. www.centrocultural.sp.gov.br

Feira Artgo Rio ocorre em julho com novidades na Barra da Tijuca +

A Feira de Arte Contemporânea Artigo Rio, de Alexandre Murucci, que ocorre entre 26 e 31/07/16, no novíssimo Vogue Squre, na Barra da Tijuca, recebe inscrições, até 20/06/16, de galerias interessadas em participar do evento.

Além do novo local, outra novidade marca a edição 2016 da Artgo Rio, o Artigo Pop Up, um programa de extensão da feira, onde o participante pode manter seu stand por mais três meses com valores de R$ 80,00m², em média. O valor para os cinco dias da feira é de R$ 450,00 o m², para estandes com 25, 35, 45 e 60m².

A mudança para a Barra se deve ao conjunto de benefícios do local, que abriga um shopping de luxo, um hotel cinco estrelas, e uma área gourmet capitaneada por restaurantes de Ricardo Almaral. O evento também ocorre paralelamente com uma edição do evento de decoração Casa Cor, garantindo a participação do público alvo.

As galerias que já participaram das edições anteriores da Artigo Rio ganham isenção do application. As demais interessadas devem se manifestar através do e-mail: alexandre.murucci@gmail.com

Encontro Internacional de Fotografia - FotoRio chega à sua 9ª edição +

O FotoRio – Encontro Internacional de Fotografia do Rio de Janeiro chega à sua 9ª edição, a partir de 04/06/16, com workshops, palestras, seminário e exposições de importante nomes da fotografia brasileira e do exterior, além de trabalho de jovens talentos, em diferentes espaços culturais do Rio de Janeiro. Confira a proramaçao:
|
Local: Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica
04/06/16, às 14h - Abertura: Carlos Vergara – Um Percurso em imagens.
04/06/16, às 14h - Abertura: Delírios Coletivos - Coletivo Gráfico, MIÚDA, Norte Comum e Pandilla.
-
22/06/16, das 14h às 18h - Seminário: Coletivos artísticos: novos caminhos na fotografia:
Às 14h – Palestra Criação coletiva e colaborativa em artes plásticas: a Fotografia em questão, do Dadaísmo ao Fotojornalismo, com Pedro Vásquez;
14h30 – Palestra O que é meu, o que é seu, o que é nosso: práticas coletivas e as encruzilhadas da arte contemporânea, com Luiz Sérgio de Oliveira;
15h30 – Debate com: Coletivo Gráfico, Miúda, Norte Comum e Pandilla;
Mediação: Julieta Roitman.
-
25/06/16, das 11h às 17h - X Encontro sobre Inclusão Visual
O encontro é pioneiro no gênero e tem como objetivo proporcionar troca de experiências entre diversos projetos que utilizam a fotografia como instrumento de inclusão social em comunidades populares.
11h às 12h – Palestra inaugural com Gato Mídia;
12h às 13h – Projeção de trabalhos de fora do Rio de Janeiro recebidos pela convocatória;
13h às 14h – Intervalo para almoço;
14h às 17h – Apresentação dos grupos inscritos e projeções dos trabalhos do Rio de Janeiro recebidos pela convocatória.
-
23/06, das 11h às 17h, e 24/06, das 14h às 17h - Leitura de Portfólio
Leituras de portfólios, pensadas e organizadas como um encontro entre fotógrafos, criando a possibilidade de troca e diálogo, com dez leitores de destaque no cenário nacional, entre curadores, galeristas, artistas e pesquisadores.
|
Local: Espaço Cultural Sérgio Porto.
17/06, às 18h, Abertura: “Travessia” de Marcelo Macedo; e intervenção urbana no muro do Centro Cultural Municipal Sérgio Porto.
|
Local: FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso).
16/05, às 09h - Aberuta: “Batalhão de Ouro” de Marcio RM
|
Local: Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo.
28/05/16, às 19h – Abertura: “Cúmplices na arte” de Jorge Ferreira.
|
Local: Ateliê da Imagem Espaço Cultural.
24/06/16, das 12h às 19h – Abertura: “Sertão Cerrado” de José Diniz.
|
Seminários
03/06/16, às 19h - Sexta Livre - Fotografia documental “10 anos de histórias com Érico Hiller”. Projeção de trabalhos e bate-papo + Lançamento do livro "A Jornada do Rinoceronte".
23/06/16, às 19h - Sexta Livre - Visita guiada na exposição “SAL”.
08/07/16, às 19h - Sexta Livre - Eder Chiodetto.
22/07/16, às 19h - Sexta Livre - Luiz Baltar.
-
Workshops
04/06/16, das 9h30 às 17h - Workshop com Érico Hiller.
04 e 05/06/16 - Workshop Funtography, com Calé.
08/06/16 - Workshop Fotografia e Mercado de Arte, com Marcia Mello.
24/06/16 – Experiência Imersiva Fotograma e Cianótipo, com Ricardo Hantzschel.
02/07/16, 12h às 19h - 2ª Feira Urca de Fotolivros (co-produção com Livraria Madalena).
09/07/16 - Experiência Imersiva Anatomia de um Ensaio Fotográfico, com Eder Chiodetto.
Local: Ateliê da Imagem Espaço Cultural.
|
Local: Ateliê Oriente
02/07/16, das 16h às 20h – Abertura coletiva “Todo mundo é de todo mundo” de Ana Carolina Fernandes, Ana Dalloz, Anna Kahn, Fábio Seixo, Kitty Paranaguá, Marco Antônio Portela, Paulo Marcos, Thiago Barros e Walter Carvalho.
-
09/08/16, das 16h às 20h – Abertura: “Tudo é passageiro” de Luiz Baltar.
-
Workshops
De 15 a 30/06/16
Produção de exposições de Arte ‐Ana Bonan;
Sobre projetos em residências artísticas – Luiza Baldan;
Nu editorial – Raquel Pelicano;
Imagem em movimento – Marcos Bonisson;
O centro está em todo lugar – Luiz Baltar e Ratão Diniz;
Instalações fotográficas – Vicente de Mello;
Sobre fotografia e desenho ‐Cadu;
O afeto expandido - conceitos na fotografia – Alexandre Sequeira;
Fotografia e Mídias Sociais – C.H. Brasil;
O Bem Querer e a Fotografia Socioeducativa – João Roberto Ripper e Thiago Ripper.
-
Programa Residência Artística
De 18/06/16 a 02/07/16
O programa de Residências do Ateliê Oriente tem a proposta de criar espaços para imersão, criação, experimentação e pesquisa. A residência terá duração de 15 dias e culminará com uma exposição coletiva dos artistas residentes.
|
Local: Centro Cultural da Justiça Federal
15/06/16, às 18h – Abertura: “Os Jardins Suspensos” de Michele Petruccelli Pucarelli.
05/07/16 – Abertura: “Atletas de Corpo e Alma” de Gustavo Malheiros.
|
Local: Galeria Pretos Novos de Arte Contemporânea.
23/07/16, às 15h – “Mãe Preta”, de Isabel Löfgren e Patrícia Gouvêa.
|
Local: Maison de France
17/06/16 – “Saison du Brésil - a Maison Européenne de la Photographie de Paris no Rio”. Em paralelo à exposição "Saison du Brésil", realizada na MEP em Paris, apresenta trabalhos de fotógrafos como Celso Brandão e Joaquim Paiva.
-
23/06/16, às 19h30 - Palestra com Rosângela Rennó: Río-Montevideo e outros conteúdos. (evento realizado pelo Estúdio Madalena Rio).
|
Local:
MAR – Museu de Arte do Rio
07/06/16 - Abertura: “Linguagens do corpo carioca [a vertigem do Rio]”. Curadoria de Milton Guran e Paulo Herkenhoff.
-
Local: Solar Grandjean de Montigny – Museu Universitário PUC-RIO.
09/07/16, às 16h – “Viventes” de Marian Starosta.
|
Eventos:
24/05/16, das 19h às 21h - Mesa redonda “Livro de fotografia: passado, presente e futuro”, com Claudia Tavares e Pedro Vasquez. Mediação de Milton Guran.
Brooks Livraria:
|
26/06/16, às 16h - Lançamento do livro Rio-Montevideo num bate-papo com Rosângela Rennó.
-
21/06/16, às 18h30 - Bate- papo com os editores de fotolivros da peruana KWY - Musuk Nolte eFernando Fujimoto.
-
01, 03 e 04/07/16 - Workshop com Rony Maltz e Walter Costa.
Local: Livraria Madalena Rio.
|
Mais informações:
Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica
Centro: r. Luís de Camões, 68, tels. (21) 2232-4213 / 2213.
www.rio.rj.gov.br/culturas
-
Espaço Cultural Sérgio Porto
Humaitá: r. Humaitá, 163 , tel.: (21) 2535-3846.
-
FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso)
Botafogo: r. Muniz Barreto, 51, tel: (21) 2102-3111.
-
Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo
Santa Teresa: r. Monte Alegre, 306.
-
Ateliê da Imagem Espaço Cultural
Urca: av. Pasteur 453 – tel.: (21) 2244-5660.
-
Ateliê Oriente
Glória: r.do Russel, 300, 401.
-
Centro Cultural da Justiça Federal
Centro: av. Rio Branco, 241, tel: (21) 3261-2550.
-
Galeria Pretos Novos de Arte Contemporânea
Gamboa: r. Pedro Ernesto, 32/34, tel.: (21) 2516-7089.
-
Maison de France
Centro: av. Presidente Antônio Carlos, 58/ 11º andar, tel: (21) 3974-6669.
-
MAR – Museu de Arte do Rio
Centro: pça. Mauá, 5, tel: (21) 3031-2741.
-
Solar Grandjean de Montigny – Museu Universitário PUC-RIO.
Gávea: r. Marquês de São Vicente, 225.
-
Brooks Livraria
Botafogo: Praia de Botafogo, 316 - Lojas D e E . tel.: (21) 2559-8776.
-
Livraria Madalena Rio
Santa Teresa: r. Aurea, 107.
|
www.fotorio.fot.br

Beto Shwafaty, Rochelle Costi e outros brasileiros no exterior +

Ricardo Basbaum (Luciana Brito Galeria de Arte) é o único artista brasileiro que participa da 20ª edição da Bienal de Sidney. Sob o título “The future is already here – it’s just not evenly distributed”, a 20ª Bienal de Sydney acontece entre 18/3 e 5/6/16, sob curadoria de Stephanie Rosenthal. A lista final de artistas participantes conta com 96 nomes, de 35 diferentes países. Como parte de “The Future of Disappearance”, projeto com curadoria de André Lepecki, Basbaum vai criar um de seus diagramas em grande formato em um outdoor na Commonwealth Street, em Surry Hills.
|
Solange Farkas está entre os seis curadores convidados da Bienal de Dakar 2016, ao lado de Nadine Aimé Bilong aka NadBil (Camarões/França), Orlando Britto (Ilhas Canárias), Valentina Levy (Itália), Sujong Song (Coreia) e Sumesh Sharma (Índia). A cargo da seleção dos nomes que farão a representação brasileira no evento, Farkas reuniu na exposição “Travessias”, com obras de Daniel Lima, Moisés Patrício, Paulo Nazareth, Sônia Gomes e Thiago Martins. A exposição, que integra a programação oficial da Bienal, acontece no IFAN Museum (Dakar, Senegal) até 2/6/16.
|
A italiana radicada no Brasil Anna Maria Maiolino (Galeria Luisa Strina) participa da 16ª Biennale Donna, que acontece no Padiglione di Arte Contemporanea, em Ferrara, na Itália, entre 17/4 e 12/6/16.
|
A mineira Rivane Neuenschwander (Galeria Fortes Vilaça) participa da mostra coletiva “Atopía. Migración, Legado y Ausencia de Lugar”, no MAMBO - Museo de Arte Moderno de Bogotá, na Colômbia, até 4/6/16. Curadoria de Daniela Zyman, Valentina Gutiérrez e Andrea Wild Botero.
|
Solange Pessoa, Sonia Gomes e Marina Rheingantz participam da mostra ”No Man’s Land – Women Artists from the Rubell Family Collection”, um recorte feminino na coleção da família Rubell, em Miami, até 28/5/16.
|
A mineira radicada em Nova York Valeska Soares (Galeria Fortes Vilaça) participa da coletiva “Gestos Iconoclastas, Imágenes Heterodoxas”, na CaixaForum, em Barcelona (Espanha). Curadoria de Carlos Martín. Em cartaz até 5/6/16.
A paulistana Jac Leirner (Galeria Fortes Vilaça) participa da mostra coletiva “A Moment of Grace”, no Modern Art Oxford, na Inglaterra, até 10/6/16.
|
Otavio Schipper (Galeria Anita Schwartz) participa da exposição “Demo:Polis”, que discute o alcance e a importância do espaço público para a sociedade contemporânea, e engloba debates, palestras, performances, concertos e outros eventos. Visitação: 12/3/16 a 29/5/16. Onde: Akademie der Kunste, Berlim. ww.adk.de/en/projects/2015/demopolis
|
O cyber-erotic artista Eduardo Kac (Luciana Caravello Galeria de Arte; RJ) participa de exposições na Alemanha, Inglaterra, Espanha, Canadá e China. Kac está na mostra “Möglichkeit Mensch”, no Zeppelin Museum, em Friedrichshafen, na Alemanha, até 9/10/16. Ainda na Alemanha, está na mostra “Say It with Flowers”, entre 26/6 e 23/10, no Museum Schloss Moyland Foundation, em Bedburg-Hau. Participa também da coletiva em Londres. “Electronic Superhighway 2016-1966”, que acontece na Whitechapel Gallery, em Londres, até 15/5. Em seguida, estará na Photo London Art Fair, de 19 a 22/5/16, na galeria londrina With England & Co. Participa ainda das seguintes mostras: da Bienal de la Fundación ONCE, entre 7/5 e 20/9, na Fundación ONCE, em Madr (Espanha); da Photo London Art Fair, entre 19 e 22/5, em Londres; da mostra “Say It with Flowers”, entre 26/6 e 23/10, no Museum Schloss Moyland Foundation, em Bedburg-Hau, na Alemanha; da Bienal de la Fundación ONCE, entre 7/5 e 20/9, em Madri; da International Digital Art Biennial 2016, entre 3/6 e 4/9, em Montreal, no Canadá; e da mostra “Snacks”, entre 16/7 e 16/10, na Power Station of Art Shanghai, na China.
|
Rodrigo Cass (Galeria Fortes Vilaça) participa do Festival Oodaaq, que ocorre de 18/5 a 5/6/16 em Rennes, Nantes e St. Malo, na França.
|
A mostra coletiva “Who Separate Us” ocorre de 20/5 a 2/7/16 na embaixada brasileira em Londres. São obras de Tonico Lemos Auad, Adriano Costa, Rodrigo Matheus e Matheus Rocha Pitta.
|
Antonio Bokel (galeria Mercedes Viegas) participa de uma residência artística em Sintra, em Portugal, a qual gerou a mostra coletiva "Point of View", no Parque da Pena, composta por instalações realizadas com materiais encontrados no local. A exibição, que começa em 25/05/16 e fica em cartaz por um ano, é uma homenagem ao bicentenário do "rei-artista" D. Fernando II.
|
A galeria colombiana NC Arte, de Bogotá, realiza a mostra coletiva “Hacia una Nueva Orilla”, com obras do brasileiro radicado em Barcelona Marlon de Azambuja (Galeria Marília Razuk). Também participam Julieta Aranda, Tania Candiani, Adriana Ciudad, Regina de Miguel, Víctor Garcés, César González, Alberto Lezaca, Basim Magdy, Mayana Redin, Pedro Torres, James Turrell e Juan Zamora. Em cartaz até 9/7. www.nc-arte.org. O Studio Sandra Recio (www.sandrarecio.com), em Genebra, na Suíça, recebe a mostra individual do artista brasileiro radicado em Barcelona Marlon de Azambuja (Galeria Marília Razuk) entre 21/4 e 21/5. Na mostra “Space Sentences”, Azambuja explora a noção de arquitetura criando construções efêmeras e realizando intervenções no espaço da galeria com mensagens para o espectador decifrar.
|
O paulistano Beto Shwafaty (Galeria Luisa Strina) realiza sua primeira mostra individual na Europa, “Hablemos de Reparaciones”, a partir de 20/5, na Prometeogallery, em Milão (Itália). www.prometeogallery.com
|
A artista plástica Debora Muszkat vai integrar o projeto de arte contemporânea Global Village 2016 com sua obra “Waterfall”, criada com resíduos de vidros industrializados. O evento acontece de maio a setembro e passa por Holanda (Koog ad Zaan, de 20/5 a 30/5), Alemanha (Ladshut, de 25/6 a 4/7) e Dinamarca (Brandy Strand, de 20/8 a 19/9). O projeto Global Village integra o Instituto White Cube e foi criado em 2009 pelo artista e curador holandês Jeroen van Paassen com o objetivo de integrar artistas expoentes de várias partes do mundo, apresentá-los em diferentes paises e investir na interação deles com o público.
|
A fotógrafa Rochelle Costi (Luciana Brito Galeria de Arte) apresenta em Londres, na The Photographers' Gallery, a mostra “Reproducer”, já exibida no Sesc Carmo, em São Paulo. Em cartaz até 30/6.
|
O Instituto Moreira Salles leva ao Japão uma exposição com cerca de 400 obras do fotógrafo japonês radicado no Brasil Haruo Ohara. Será exibido também um conjunto com 39 objetos, documentos, ferramentas, álbuns e algumas fotografias originais, com curadoria de Sergio Burgi. Imigrante, lavrador e fotógrafo, Haruo nasceu em Kochi, em 1909. Veio para o Brasil aos 17 anos, com seus pais e irmãos, e cultivou a terra com dedicação e arte ao longo de boa parte de sua vida, ao mesmo tempo que fotografava seu cotidiano e o de seus familiares. A exposição fica em sua cidade natal até 12 de junho. Em seguida, vai para mais duas cidades, Itami (de 18/6 a 18/7) e Kiyosato (de 22/10 a 4/12).
|
A carioca Rosana Ricalde (Galeria Sérgio Gonçalves) inaugura em 12/5, na galeria portuguesa 3 + 1 Arte Contemporânea, em Lisboa, a mostra individual “O Tecido de Pwenélope”. A mostra fica em cartaz até 25/6/16.
|
Tonico Lemos Auad, Marcellvs L. e Beto Shwafaty (os três da Galeria Luisa Strina), Arthur Scovino (Casa Triângulo), Maria Nepomuceno e o grupo Opavivará (ambos da Galeria A Gentil Carioca, RJ) participam da exposição coletiva “Soft Power, Arte Brasil”, que acontece no KunsthalKade, em Amersfoort, na Holanda, entre 20/5 e 28/8/16. A mostra receberá 35 artistas e grupos artísticos contemporâneos brasileiros. www.kunsthalkade.nl
|
Alexandre da Cunha, Marcius Galan, Laura Lima, Jarbas Lopes, Antonio Manuel e Cildo Meireles, todos representados pela galeria paulistana Luisa Strina; José Bento e o grupo Opavivará (A Gentil Carioca, RJ) participam da mostra “Brazil, Beleza?! Contemporary Brazilian Sculpture, que acontece no Museum Beelden aan Zee, em Haia, na Holanda, entre 25/5 e 2/10/16. www.beeldenaanzee.nl/engels/brasil-beleza
|
O paraense radicado em Londres Tonico Lemos Auad (Galeria Luisa Strina) está na coletiva “Herar o Vento: Novas Perspectivas sobre o Patrimônio”, coletiva na Fundação Eugénio de Almeida, em Évora (Portugal), de 14/5 a 4/9/16.
|
O paulistano radicado em Londres Alexandre da Cunha (Galeria Luisa Strina) figura na mostra coletiva “Câmera de Maravilhas/Camera of Wonders”, com curadoria de Jens Hoffmann e que acontece no MAMM Museo de Arte Moderno de Medellín, na Colômbia, entre 20/4 e 20/7/16. Em um momento de infinita produção de imagens e intercâmbio, a mostra apresenta um display associativo de mais de cem obras fotográficas abrangendo a história da fotografia. As obras foram reunidas a partir da Colección Isabel y Agustín Coppel (CIAC A.C.) e da coleção da Kadist Art Foundation.
|
A carioca Fernanda Gomes (Galeria Luisa Strina) se apresenta na coletiva “Accrochage”, na Punta della Dogana, em Veneza, entre 17/4 e 20/11/16. Com curadoria de Caroline Bourgeois, a mostra reúne cerca de setenta obras que não foram expostas desde que se tornaram parte da coleção Pinault e mais de dois terços dos artistas nunca foram mostrados em uma exposição da coleção. Especificamente concebida para Punta della Dogana, a mostra vai ocupar todo o espaço expositivo do museu.
|
A carioca Beatriz Milhazes (Galeria Fortes Vilaça) criou uma nova série de esculturas para as mostras “Using Walls, Floors, and Ceilings”, que apresentará no lobby do Jewish Museum, em Nova Yor, entre 6/5 e 18/9/16. A instalação é inspirada no Carnaval brasileiro, de onde pegou os materiais necessários para a sua realização. A mostra foi organizada pela curadora assistente Kelly Taxter e pelo diretor Jens Hoffmann.
|
A carioca Maria Nepomuceno (Blau Projects) participa da mostra coletiva “Space to Dream: Recent Art from South America”, na Auckland Art Gallery, em Auckland, na Nova Zelandia, entre 7/5 e 18/9/16. www.aucklandartgallery.com
|
O Museu Nacional de Arte Moderna e Contemporânea da Coreia do Sul (MMCA) recebe Igor Vidor (Luciana Caravello Galeria de Arte; RJ) em seu International Artist Fellowship Program 2016. O artista carioca foi contemplado para o programa, através de indicação do MAR (Museu de Arte do Rio) e acontece entre 28/9 e 14/12.
|
A itinerância da mostra “Memórias Inapagáveis — Um Olhar Histórico no Acervo Videobrasil” chega ao Laboratório Arte Alameda, na Cidade do México, em 18/5 e fica em cartaz até 24/7/16. Sob curadoria de Agustín Pérez Rubio, a primeira grande exposição concebida a partir do Acervo Videobrasil, realizada em parceria com o Sesc São Paulo, foi inaugurada em agosto de 2014, no Sesc Pompeia, em São Paulo, integrando um conjunto crescente de estratégias pensadas para manter o acervo da Associação ativo e em contato com o mundo. Em junho de 2015, teve início a sua itinerância internacional com a exposição em Buenos Aires, Argentina (no MALBA, na Univesidad Torcuato Di Tella e na Embaixada do Brasil). Na sequência, a mostra passou pelo Museo de Arte Contemporáneo de Vigo, na Espanha, e integrou a programação da B3 Biennial of the Moving Image em Frankfurt, na Alemanha.
|
O Kunsten Museum of Modern Art, de Aalborg, na Dinamarca, recebe entre 21/4 e 23/10/16, a exposição individual “Rui Ni – Voices of the Forest”, do artista carioca Ernesto Neto (Galeria Fortes Vilaça). A mostra faz parte de uma série de mostras em que o museu solicita aos artistas que usem a arquitetura do prédio, criada pelo gênio Alvar Aalto. Neto criará no museu sua maior instalação já exibida na Dinamarca e, assim como Aalto, se inspira nas curvas e formas da natureza. Neto realiza ainda a mostra “Boa Jiboia”, no Museum of Contemporary Art KIASMA, em Helsinki, na Finlândia, até 4/9.
|
A dupla OsGêmeos (Galeria Fortes Vilaça), formada pelos paulistanos Gustavo e Otávio Pandolfo, inaugura em 20/4 um novo programa do Hangar Bicocca, em Milão (Itália): “Outside the Cube”. O grafite de grandes dimensões “Efêmero” ficará em caratz até abril de 2017. A curadoria do programa é de Cedar Lewisohn.
|
Rochelle Costi (Galeria Luciana Brito) participa da mostra “Reproducer”, em cartaz na The Photographers Gallery, em Londres, até 30/6/16.
|
A paranaense Romy Pocztaruk (Sim Galeria) realiza a mostra individual “Geologia Euclidiana” no Centro de Fotografia de Montevidéu, no Uruguai, entre 18/03 e 18/06/16.
|
O paulistano Mauro Restiffe (Galeria Fortes Vilaça) apresenta uma série de fotografias em branco e preto realizadas na Rússia desde os anos 90 na Garage Gallery, em Moscou, de 07/04 a 26/06/16.
|
A fotógrafa Luzia Simons (Galeria Nara Roesler) realiza a mostra individual “Jardin” entre 01/04 e 02/11/16 no Centre d’Arts et de Nature de Domaine de Claumont-sur-Loire, na França. www.domaine-chaumont.fr/en. A artista participa ainda da coletiva “True Mirror”, no Espace Commines, em Paris, a partir de 8/4.
|
O paulistano Rodrigo Franzão apresenta 16 trabalhos de sua autoria no Centro de Exposições de Odivelas, em Portugal, entre 5/5 e 3/7/16.
|
A pequena ilha japonesa de Ogijima, com área de 1.38 km2 e cerca de 180 habitantes, é o cenário da mais recente instalação site-specific da gaúcha radicada em São Paulo Regina Silveira (Luciana Brito Galeria de Arte). Comissionada pela Setouchi Triennale 2016, a artista irá transformar a fachada do ginásio local através da pintura de um céu azulado como se bordado em ponto cruz a partir de 20/3/16.
|
Até 26/9/16, o The Olympic Museum, em Lausanne, na Suíça, realiza a mostra “Body and Culture Rio”, com obras de sete artistas brasileiros, entre eles Maria Nepomuceno, Adriana Varejão e Marcos Cardoso.
|
Alexandre da Cunha (Galeria Luisa Strina) é o convidado do Plaza Projects, no MCA Chicago (EUA), até 24/7/16.

.Aurora promove debates e lançamentos em torno do feminismo +

O .Aurora promove nesta sábado, 28/05/16, das 11h às 18h, uma série de debates e lançamentos em torno do tema “Arte e Feminismo no Combate ao Autoritarismo”. O evento, que conta com três mesas de debate e lançamentos do Jornal de Borda 3 e Ensaio 6: “Por que não houve grandes mulheres artistas?” de Linda Nochlin; pretende discutir possibilidades políticas e conexões afetivas em tempos difíceis, com foco na arte e feminismos como campos de resistência e diversidade. A programação tem a participação de ativistas, feministas, pesquisadoras, artistas e editoras, e o apoio do programa Cidade Queer (Lanchonete.org e Musagetes) e Jornal de Borda.
O sexto número da coleção de ensaios traz, pela primeira vez na língua portuguesa, o artigo "Por que não houve grandes mulheres artistas?”, de Linda Nochlin, publicado originalmente em 1971 na revista ARTnews. Um clássico da discussão sobre arte e feminismo, após 45 anos ainda se mantém atual, principalmente se nos questionamos por que ele nunca foi traduzido para o português. A tradução foi autorizada com entusiasmo pela autora.
|
Programação:

À s 11h - Combate 1: Ativismo, direitos sexuais e feminismos
Rita Quadros / ativista lésbica feminista
Jackeline Romio / ativista do feminismo negro
Cadu Oliveira / ativista LGBT e militante da Revolta da Lâmpada
mediação: Fernanda Grigolin / Jornal de Borda | Tenda de Livros

ÀS 15h - Combate 2: Arte feminista, esfera pública os anos 1964 e os anos 2016
Fabrícia Jordão / pesquisadora sobre arte e ditadura e processos coletivos em arte
Talita Trizoli / pesquisadora nos temas arte e feminismos
mediação: Júlia Ayerbe / Edições Aurora | Publication Studio SP

Às 17h - Combate 3: Lançamentos: Jornal de Borda 3 e Ensaio 6, tradução do artigo “Por que não houve grandes mulheres artistas?”, de Linda Nochlin
Fernanda Grigolin / Jornal de Borda
Júlia Ayerbe / Edições Aurora | Publication Studio SP
Laura Daviña / Edições Aurora | Publication Studio SP
|
.Aurora
República: Rua Aurora, 858, 1ºandar, tel. (11) 3337-6738. www.pontoaurora.com

Artistas orientam alunos em ateliê aberto no Vale do Anhangabaú +

O Projeto Ateliê Aberto - Infusão acontece até 28/06/16 sob o Viaduto do Chá, no centro de São Paulo, composto por um ateliê transparente que recebe artistas que orientam alunos da rede pública de ensino a produzir obras em conjunto, como Gustavo Eandi, Luiza Gottschalk + Marcelo Maffei e Sesper. Ao final de cada uma das três etapas, será realizada uma intervenção urbana coletiva. O projeto tem curadoria de Lucas Pexão (Galeria FitaTape), idealização de Luiza Gottschalk e Daniela Machado (que também assina a produção executiva) arquitetura de Arkitito, projeto arquitetônico de Tito Ficarelli, designer de interiores de Diego Ferreira e tem parceria de Os Satyros.
|
Confira a programação:
De segunda à sexta-feira, das 14h às 17h30.
Desenho com o artista argentino Gustavo Eandi (27/04 até 17/05).
Pintura com Luiza Gottschalk + Marcelo Maffei (18/05 até 07/06).
Colagem com Sesper (08/06 até 28/06).
|
Ateliê Aberto - Infusão
Centro: Vale do Anhangabaú (embaixo do Viaduto do Chá) – São Paulo – SP.

Cineclube do Ateliê397 promove mostra do diretor James Benning +

O Cineclube397, programa do Ateliê397 voltado para o cinema, retoma as atividades a partir de 27/04/16, com curadoria de Sofía Machain Soria. A programação de 2016 prevê uma retrospectiva do diretor norte americano James Benning, outra mostra dedicada à figura do adolescente selvagem contemporâneo (TeenAngst), além de uma sessão de filmes voltados para o público infantil. No primeiro momento, a mostra “James Benning” traz quatro filmes do cineasta americano, que ao longo da sua carreira, e através de métodos, temas e estruturas, busca investigar os modos narrativos - movidos por histórias pessoais, memória coletiva, a indústria e sobretudo a paisagem. Confira a programação:
|
27/04 às 19h – Stemple Pass (2013):
Este filme, faz parte do projeto no qual James Benning constrói duas réplicas da Serra Nevada, California (EUA), em cabanas onde viveram o escritor Henry David Thoreau e o matemático e filosofo Ted Kaczynski. Composta de quatro planos fixos de meia hora cada um, que se correspondem de uma maneira “não cronológica”, o diretor apresenta as estações do ano interferidas por uma voz off que lê trechos de textos de Ted Kaczynski.

11/05 às 19h – Ruhr (2009):
O primeiro filme de James Benning em formato digital de alta resolução. A viagem para a área industrializada do vale de Ruhr, na Alemanha, em sete planos.

25/05 às 19h – Easy Rider (2012):
Benning trabalha sobre o filme Easy Rider (Dennis Hopper, 1969) visitando espaços onde foram filmados e fazendo-os dialogar, não sempre, com diálogos extraídos do filme original.
+ Lançamento do Livro Metadados

15/06 às 19h – Natural History (2014):
Filmada no Museu de História Natural de Viena, uma sucessão de planos longos com escritórios, depósitos, corredores e seres em exposição retrata o museu como um espécime encapsulado que sobrevive a sua própria era.
|
Mais informações:
Ateliê397
Vila Madalena: r. Wisard, 397, tel: (11) 3034-2132. São Paulo - SP.
www.atelie397.com

Associação Brasileira de Críticos de Arte anuncia os vencedores do Prêmio ABCA +

A ABCA - Associação Brasileira de Críticos de Arte divulga os nomes dos Vencedores na edição 2016 do Prêmio ABCA, destinado a artistas visuais, curadores, críticos, autores e instituições culturais que mais contribuíram para a cultura nacional em 2015. Os prêmios são atribuídos pelo resultado da votação de cerca de 150 associados, em escala nacional, a partir das indicações que cada um envia para discussão e aprovação em assembleia da entidade. Anualmente, o prêmio contempla dez categorias.
O troféu criado pela artista Maria Bonomi será entregue aos premiados no dia 31/05/16, às 20h, em cerimônia no Teatro do Sesc Vila Mariana, em São Paulo (SP). Na ocasião, ocorre ainda a posse oficial de toda a nova diretoria, para o triênio 2016 / 2018. A ABCA, criada em 1949, é a mais antiga associação brasileira de profissionais das artes visuais.

VENCEDORES:

Prêmio Gonzaga Duque (crítico pela atuação durante o ano ou publicação - filiado)
Enock Sacramento

Prêmio Sérgio Milliet (autor por pesquisa publicada)
Annatereza Fabris pela publicação do livro “A fotografia e a crise da Modernidade”, da Editora C/Arte

Prêmio Mario Pedrosa (artista de linguagem contemporânea)
Marcello Nitsche

Prêmio Ciccillo Matarazzo (personalidade atuante no meio artístico)
Danilo Santos de Miranda

Prêmio Mário de Andrade (crítico pela trajetória)
Lisbeth Rebollo Gonçalves

Prêmio Clarival do Prado Valladares (artista pela trajetória)
Claudio Tozzi

Prêmio Maria Eugênia Franco (curadoria pela exposição)
Ana Maria Belluzzo pela exposição Lig-Des Marcelo Nitsche, no Sesc Pompeia, de 19 de junho a 30 de agosto de 2015.

Prêmio Rodrigo Mello Franco de Andrade (instituição pela programação e atividade no campo da arte)
Centro Cultural Banco do Brasil

Prêmio Paulo Mendes de Almeida (melhor exposição)
África Africans apresentada pelo Museu Afro Brasil, São Paulo, de 25 de maio a 30 de agosto de 2015.

Prêmio Antônio Bento (difusão das artes visuais na mídia)
Em Pauta - Globo News
Destaques: Instituto Olga Kos Inclusão Cultural, Percival Tirapelli e Aracy Amaral
Homenagens: Antonio Santoro, Paulo Bomfim e Maureen Bisilliat

Jorge Bodanzky estreia coluna na Zum e entrevista o fotógrafo Michael Wesely +

O cineasta, roteirista e fotógrafo Jorge Bodanzky estreia uma coluna bimestral de vídeo no site da revista Zum/IMS, e no primeiro vídeo entrevista o fotógrafo alemão Michael Wesely sobre sua série “Potsdamer Platz”. Publicada na 10ª edição da revista ZUM, a série apresenta esta praça em Berlim, que foi destruída após a Segunda Guerra Mundial e seccionada pelo Muro durante a Guerra Fria. Para Wesely, a importância do movimento urbanístico e social no local, cuja reconstrução após a queda do Muro, traz em fotografias esse momento, com imagens feitas em períodos de exposições até dois anos para revelar detalhes desse processo.

Para assistir à entrevista entre no link: www.revistazum.com.br/tv-zum/bodanzky-entrevista-wesely

Teatro de Arena exibe instalação performática sobre a vilência contra a Mulher +

O Teatro de Arena, no centro de São Paulo, apresenta em 05/06/16, às 16h, a instalação performática "Tapete Manifesto", criada pela artista Thaís Medeiros em colaboração com o Coletivo Galeria Gruta. A obra, um manifesto poético cênico que traz à cena uma reflexão sobre o tema da violência contra as mulheres bem como a massificação e vulgarização da morte nos dias atuais, faz parte da Ocupação Cena Aberta Funarte 2016.
|
Mais informações:
Teatro de Arena
Consolação: r. Dr. Teodoro Baíma, 94, próximo à estação República do Metrô, tel. (11) 3256-9463. Diariamente, 14h/18h30.

SP-Arte disponibiliza on-line vídeos sobre coleções do continente americano +

A feira SP-Arte, que ocorreu de 06 a 10/04/16 no Parque Ibirapuera, em São Paulo (SP), contou com a programação "Talks", uma série de mesas-redondas, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, sobre a forma como se constituem algumas das mais importantes coleções do continente americano, além de retratar arquitetura e design. Agora, os vídeos dessas atividades estão disponíveis no site da feira paulistana.
Link: www.sp-arte.com/programacao/talks/2016

SISEM-SP e Pinacoteca realizam oficina sobre acondicionamento de acervos +

O Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP) e a Pinacoteca do Estado de São Paulo promovem, em 02/06/16, 10h às 16h, uma oficina sobre acondicionamento de acervos, no auditório e laboratório da Pinacoteca. Voltada ao público atuante em coleções, bibliotecas e arquivos, a palestra visa compartilhar algumas das práticas adotadas para a conservação preventiva do acervo artístico da Pinacoteca, com base teórica e prática, onde os alunos participarão de uma dinâmica para confecção de três modelos: uma caixa, um álbum e uma pasta. Os interessados podem se inscrever gratuitamente até 24/05/16, às 12h, pelo site www.sisemsp.org.br. 15 vagas.
|
Mais informações:
Pinacoteca do Estado de São Paulo
Luz: pça. da Luz, 2, (11) 3339-8111. São Paulo - SP.
www.sisemsp.org.br

Filme sobre Marina Abramovich e o Brasil estreia 19 de maio +

Filme sobre Marina Abramovich e o Brasil chega aos cinemas brasileiros
A relação entre a artista sérvia Marina Abramovic e a espiritualidade brasileira é o tema do road movie “Espaço Além – Marina Abramović e o Brasil” (86 min), dirigido por Marco Del Fiol, que é lançado no circuito de cinema brasileiro em 19/05/16. Pesquisando pessoas e locais de poder, ela acompanha cirurgias espirituais, participa de rituais de ayahuasca e cerimônias xamânicas, visita igrejas e terreiros de candomblé e percorre ainda grutas, vales, cachoeiras e minas de cristais.
O filme, que acompanha a busca da artista pela conexão entre arte e espiritualidade, percorre seis mil quilômetros para presenciar experiências como cirurgias de cura realizadas pelo médium João de Deus, em Goiânia; cerimônias e incorporações no Vale do Amanhecer, no Distrito Federal; a força do sincretismo religioso de Salvador; os rituais de ayahuasca na Chapada Diamantina, na Bahia; e processos xamânicos em Curitiba. As experiências pessoais da artista também são captadas no filme, numa viagem interna e pessoal, abrindo ao público as emoções e transformações de sua jornada pelo país. “Espaço Além – Marina Abramović e o Brasil” é o primeiro longa-metragem de Del Fiol, que já dirigiu produções para artistas como o dinamarquês Olafur Eliasson, o britânico Isaac Julien e o brasileiro Marepe. A dupla de artistas O Grivo assina a trilha sonora do filme.

CCBB promove encontros sobre o feminismo na arte no Rio, SP e Brasília +

O Centro Cultural Banco do Brasil promove entre maio e agosto a “Diálogos sobre o Feminino”, composta por quarto encontros mensais nas sedes do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.
Os encontros tem como objetivo abordar de modo direto as questões de gênero nas artes visuais contemporâneas e sua relação com outras áreas de conhecimento, entremeando apresentações de performances com mesas-redondas. Participam do evento artistas brasileiras de diferentes gerações e pensadoras das áreas de Artes Visuais, Teatro, Literatura, Filosofia, História, Sociologia, Teoria da Comunicação, Jornalismo e Psicanálise.

O Rio de Janeiro é a primeira cidade a receber o seminário, em 25/05/16, às 16h30, com programação de mesas-redondas e performances. No Rio, os encontros ocorrem na última quarta-feira de cada mês até agosto, sendo 29/06, 27/07 e 24/08/16.
O evento também será realizado no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo, nos dias 9, 10, 11 e 12/06/16; e no CCBB de Brasília, nos dias 25, 26, 27 e 28/08/16.
Confira a programação do primeiro encontroa ser realizado no Rio de Janeiro:

PERFORMANCES:
25/05/16 - CCBB Rio
16h30 – “Não Alimentem os Animais”, de Jaqueline Vasconcelos - Jack Soul Revenge Girl (SP)

17h40 – “Abdução para Pequenas Revoluções”, de Anna Behatriz Azevêdo (GO)

18h30 - MESA-REDONDA – “Olha Quantas Mulheres na Arte Brasileira”, com Heloísa Buarque de Hollanda e Ana Paula Cavalcanti Simioni, sob mediação de Roberta Barros.
|
Mais informações:
Centro Cultural Banco do Brasil – Rio de Janeiro
Centro: r. Primeiro de Março, 66, estação Uruguaiana do Metrô, tel. (21) 3808-2020. Qua. a seg., 9h/21h. www.bb.com.br/cultura
-
Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo
Centro: r. Álvares Penteado, 112, tel. (11) 3113-3651. Qua. a seg., 9h/21h. www.bb.com.br/cultura
-
Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília
SCES, Trecho 2, Conjunto 22, tel. (61) 3108-7600. Qua. a seg., 9h/21h. www.bb.com.br/cultura

Julie Belfer promove encontros de arte em programa trimestral +

A consultora de arte Julie Belfer, em São Paulo (SP), realiza o evento “Arte em Andamento”, composto por trimestres de encontros baseados em tendências e programações de arte. Os associados ao “Arte em Andamento” participam de seis eventos exclusivos durante três meses. O pontapé de cada trimestre será uma palestra aberta na qual é examinado o tema escolhido para os próximos três meses.

Na terça, 31/05/16, às 19h, é lançada na Madame Aubergine
(R. Carla, 25, Itaim Bibi) a programação em torno da artista e fotógrafa Diane Arbus, que ganha exposição no Metropolitam Museum, de Nova York, em junho deste ano. Este primeiro encontro é gratuito e apresenta o conteúdo dos eventos, que traz visitas aos ateliês de Raquel Kogan e Renato Dib, além de bate-papo com o curador da mostra de performances Verbo, Marcos Galon, e visitas a exposições.

Os eventos do “Arte em Andamento” incluem visitas a ateliês de artistas, bate-papos com curadores, galeristas e produtores culturais e visitas a exposições, feiras de arte e coleções privadas. Entre as características do programa estão: - conteúdo aprofundado com construção e troca de diálogo - programação com curadoria baseada na pauta internacional de arte - ousadia na abordagem com o sistema da arte - material digital complementar. Preço: R$ 720 por trimestre (ou 3 parcelas mensais de R$ 240) Inscrições: www.juliebelfer.com

Tate anuncia finalistas do Prêmio Turner +

A Tate Britain anunciou os nomes dos quatro artistas finalistas para o Turner’s Prize 2016: Michael Dean, Anthea Hamilton, Helen Marten e Josephine Pryde, que utilizam múltiplos materiais no seu trabalho, com destaque para a escultura, encarada de forma não convencional. Eles concorrem ao prêmio de 30 mil euros e ganham uma exposiçãoi na Tate Gallery entre 27/09/16 e 09/01/17.
A artista Josephine Pryde, 49 anos, explora a relação da fotografia com a arte e utiliza, muitas vezes, elementos de escultura no seu trabalho, ao mesmo tempo que frequentemente explora temas sociais, é provavelmente o nome mais conhecido, tendo sido escolhida pela exposição “Lapses in Thinking By The Person i Am”, no CCA Wattis de São Francisco. Na mostra, os visitantes eram convidados a montar um modelo comboio enquanto visitavam a exposição.
Michael Dean, 38 anos, foi nomeado pelas exposições “Sic Glyphs” e “Qualities of Violence”, que estiveram patentes no Appel Arts Centre de Amesterdã. O seu trabalho nessas exposições era essencialmente escultural, abordando a manifestação física da linguagem, transformando o texto em coisa material. Na maior parte das vezes é identificado como sendo escultor embora ele prefira complexificar as classificações, assumindo-se como artista de instalações, escritor, tipógrafo ou filósofo.
Anthea Hamilton, 37 anos, foi escolhida pela exposição “Anthea Hamilton: Lichen! Libido! Chastity!”, que esteve em cartazno Sculpture Center de Nova York, composta por escultura, moda, performance e vídeo. A exposição acabou por adquirir popularidade pela abordagem surrealista e divertida da artista à cultura popular, sendo o seu trabalho mais sedutor nesse contexto uma enorme escultura hiper-realista de umas nádegas de homem, que foram profusamente fotografadas no período da exposição.
Helen Marten, 30 anos, foi nomeada pelo projeto para a última Bienal de Veneza e pela exposição “Eucalyptus, Let Us In” exibida em Nova York. A artista trabalha com escultuira, pintura e colegans 3D.
O prêmio, que existe desde 1984, surgiu para celebrar os novos desenvolvimentos e contribuições para a arte contemporânea. O prêmio é concedido pela Tate Gallery, a cada ano, para um artista britânico com menos de 50 anos. Ele é atribuído a uma exposição específica ou um trabalho no ano anterior. Damien Hirst, Gilbert & George ou Rachel Whiteread são alguns nomes revelados na premiação.

Unibes Cultural realiza a série de encontros Imaginário e Imaginários +

A Unibes Cultural realiza entre 23/05 e 05/12/16 a série de encontros “Imaginário & Imaginários: O que é Imaginário?”, ministrados por Alejandro Viviani, psicanalista e escritor, Horacio Costa, poeta e ensaísta, Lygia Pereira, PhD, Bióloga e citologista, Noemi Jaffe, escritora e ensaísta, Paulo Garcez, historiador e curador e Suely Rolnick, psicanalista e ensaísta; curadoria de Ivo Mesquita. Informações e inscrições pelo e-mail inscricao@unibescultural.org.br.
|
23/05: Alejandro Viviani, psicanalista.
27/06: Paulo Garcez, historiador.
22/08: Noemi Jaffe, escritora e ensaísta.
19/09: Lygia Pereira, Bióloga e citologista.
24/10: Horacio Costa, poeta e ensaísta.
21/11: Suely Rolnick, psicanalista e ensaísta.
05/12: Guilherme Wisnik, arquiteto e historiador.
|
Unibes
Sumaré: r. Oscar Freire, 2.500, estação Sumaré do Metrô, tels. (11) 3065-4333. www.unibes.org.br

Ateliê Galeria Priscila Mainieri realiza ciclo de palestras sobre filosofia +

O Ateliê Galeria Priscila Mainieri realiza em 19/05/16, às 19h30, o segundo encontro do ciclo de palestras “As Faces do Fantástico: mirabilias e prodígios no mundo greco-romano”, ministrado por Denis Bruza Molino. O evento tem por tema sobre “O Divertir, Divergir: riso e monstros na comédia antiga”, que buscar pensar sobre a estrutura da comédia por teorias filosóficas Aristóteles e Aristófanes, e sobre como a paródia e o exagero dramatizam iniquidades para depreciá-las, na medida corrente da virtude que se mostra negativa pelo vício, excesso e desvio da norma.
O ciclo ainda abriga mais uma palestra em 23/06/16, às 19h30, sob o tema “Luciano de Samósata e as viagens à lua”. Contribuição sugerida de R$ 60. Inscrições podem ser feitas pelo e-mail: contato@ateliepriscilamainieri.com.br ou pelo telefone (11) 3031-8727.
|
Ateliê Galeria Priscila Mainieri
Vila Madalena: r. Isabel de Castela, 274, tel. (11) 3031-8727.
www.ateliepriscilamainieri.com.br

Renan Marcondes e Luanna Jimenes vencem setor Performance da SP-Arte +

A SP-Arte e o Centro Universitário Belas Artes de São Paulo anunciaram os dois trabalhos premiados na segunda edição do setor Performance da Feira, realizada no último mês de abril. São eles: “Como um Jabuti Matou uma Onça e Fez uma Gaita de Um de Seus Ossos”, de Renan Marcondes (selecionado no 7o Salão dos Artistas Sem Galeria), e “Permanência para um Encarnado”, de Luanna Jimenes.
A performance de Marcondes apresenta a imagem de um corpo masculino subjulgado por um objeto: um sapato laranja cujo salto é uma estaca de 30 centímetros. Impossibilitado de ficar em pé e ocupar uma posição ereta, masculina e dominadora, esse corpo transita lentamente através de uma coreografia que condensa imagens referentes a uma objetificação da mulher.
O artista foi contemplado com dois meses de residência artística no Instituto Sacatar, localizado na Ilha de Itaparica, na Bahia. A instituição integra a Res Artis – The worldwide network of artist residencies e a Alliance of Artists Communities.
Por sua vez, a apresentação de Jimenes consiste na permanência da artista por longo período de tempo com seu traje de tecido preto, que cobre todo o corpo e o confunde com um objeto. A presença que sustenta o trabalho é a expansão da respiração, um expandir e recolher até limites extremos que alterna uma figura grande a outra pequena, próxima ao chão. Como premiação, a performer recebeu uma bolsa de estudos de Pós-Graduação na Belas Artes. O júri que responsável pelas escolhas foi composto por Cauê Alves, coordenador do curso de Artes Visuais da Belas Artes, Fernanda Feitosa, diretora da SP-Arte, e Augusto Albuquerque, do Instituto Sacatar.
|
Mais informações:
http://www.sp-arte.com

Goiânia recebe itinerância da 7ª edição do Salão dos Artistas Sem Galeria +

A Potrich Arte Contemporânea, de Goiânia, é a quarta galeria de arte a receber a exposição dos 10 artistas selecionados na 7ª edição do Salão dos Artistas Sem Galeria, evento promovido pelo Mapa das Artes (www.mapadasartes.com.br). A mostra, que fica em cartaz entre 18/06, das 10h às 16h, e 13/08/16, firma o Salão dos Artistas sem Galeria como um evento que fomenta a profissionalização e a circulação de novos nomes no circuito das artes visuais. A mostra já foi exibida com grande sucesso na Zipper Galeria e na Sancovsky Galeria, ambas em São Paulo; e na Orlando Lemos Galeria, em Belo Horizonte.

O júri de seleção foi formado pelos curadores Jacopo Crivelli Visconti, Marta Ramos-Yzquierdo e Douglas de Freitas, que escolheram os artistas Bruno Bernardi (GO/SP), Daniel Antônio (MG/SP), Daniel Jablonski (RJ), Felipe Seixas (SP), Giulia Bianchi (SP), Marcelo Oliveira (RJ), Mariana Teixeira (SP), Renan Marcondes (SP), Renato Castanhari (SP) e Sergio Pinzón (Colômbia/SP), que exibem pinturas, esculturas, fotografias, vídeos e instalações. Daniel Jablonski (RJ) foi o vencedor de prêmio de R$ 1.000,00.

O Salão dos Artistas Sem Galeria tem como objetivo avaliar, exibir, documentar e divulgar a produção de artistas plásticos que não tenham contratos verbais ou formais (representação) com qualquer galeria de arte na cidade de São Paulo. O Salão tradicionalmente abre o calendário de artes em São Paulo e é uma porta de entrada para os artistas selecionados no mundo das artes.
|
Mais informações:
POTRICH ARTE CONTEMPORÂNEA
Abertura: 18 de junho, sábado, das 10h às 16h
Período expositivo: 19 de junho a 13 de agosto de 2016
Jardim Goiás: rua 52, 689, tel. (62) 3945-0450. Ter. a sex., 10h/18h; sáb., mediante agendamento (10h/14h). www.potrichgaleria.com | entrada franca

Livro “A Floresta da Tijuca”, de Castro Maya, é relançado +

Escrito em 1967 pelo empreendedor Raymundo Ottoni de Castro Maya, o livro “A Floresta da Tijuca” está de volta às livrarias, em nova edição, colorida e comentada. Parte da coleção "Biblioteca Rio450", da Secretaria Estadual de Cultura do Rio de Janeiro, a edição narra os trabalhos de remodelação que mudaram a fisionomia do Parque da Floresta da Tijuca na década de 1940. O lançamento ocorre em 22/05/16, das 12h às 15h, no Museu do Açude, no Rio de Janeiro (RJ).
O volume traz um levantamento das obras realizadas na maior floresta urbana do mundo sob o planejamento e a direção de seu principal entusiasta e benfeitor, que num período de apenas três anos, restaurou uma área de cinco milhões de m², com 16 km de estradas. “As benfeitorias realizadas por ele, sem receber remuneração, estão aqui amplamente descritas e, agora, comentadas”, explica Vera de Alencar, diretora dos Museus Castro Maya e responsável pela pesquisa da publicação ao lado de Denise Grinspum.
Como numa conversa íntima com o leitor, Castro Maya compartilha suas memórias e retraça seu percurso no Parque. A reedição conta ainda com apresentação e comentários de Paulo Sá; texto de Pedro da Cunha e Menezes; projeto gráfico de Ligia Melges; supervisão editorial de Andrea Jakobsson Estúdio; e fotografias dos irmãos Humberto e José Moraes Franceschi, além dos textos originais da época.
Castro Maya iniciou a remodelação do Parque Nacional da Tijuca em 1943. Com a ajuda de 60 homens, executou mudanças que alteraram completamente a fisionomia do local. A convite de Henrique Dodsworth, prefeito do então Distrito Federal, e na condição de administrador e sem remuneração, empreendeu um vasto programa de obras.
Seu amor pela natureza começou ainda na infância, na residência da família no Alto da Boa Vista. O jardim de sua casa não tinha cerca, dava direto nas matas da Floresta da Tijuca, onde saía em cavalgada desbravando trilhas e se aventurando.
Entre os projetos efetuados estão: demarcação dos limites do parque, reconstrução de inúmeras edificações e implementação de novos usos; remodelação de instalações de restaurantes; recuperação de estradas, pontes e caminhos; limpeza de lagos e cachoeiras; e revitalização de praças e áreas de lazer, implantação de paisagismo decorativo em diversos recantos pitorescos; serviços de drenagem e beneficiamentos no sistema de represamento de água e muros de contenção.
Castro Maya nasceu em Paris, em 1894. Bacharel em Direito e empresário bem-sucedido, atuou no ramo de óleos vegetais para uso doméstico e na indústria e no comércio atacadista de tecidos. Como homem de cultura, foi mecenas, colecionador e defensor do patrimônio cultural e natural. Participou da fundação de museus e instituições culturais e editou livros de iconografia carioca. Formou importante acervo artístico e constituiu a Fundação Raymundo Ottoni de Castro Maya, que posteriormente resultaria nos Museus da Chácara do Céu, em Santa Teresa, e no Museu do Açude, no Alto da Boa Vista, sua antigas residências. Incentivador dos esportes, pioneiro da preocupação ecológica, Castro Maya atuou intensamente na vida cultural do Brasil em meados do século 20. Faleceu em 1968, no Rio de Janeiro.
|
“A Floresta da Tijuca”
Formato: 22 x 26 cm
Nº de páginas: 112
Preço sugerido: R$ 70
|
Lançamento:
22/05/16, das 12h às 15h
Museu do Açude - Rio de Janeiro (RJ)
Estrada do Açude, 764, Alto da Boa Vista, tel. (21) 3433-4990.

François Morellet morre aos 90 anos +

Atualmente com a mostra "A Regra do Jogo" em cartaz na Dan Galeria, em São Paulo (SP), até 31/05/16, o artista e escultor francês François Morellet morre em Paris aos 90 anos, em 10/05/16.
Morellet nasceu em Cholet, a 350 km de Paris, em 30 de abril de 1926. Seu interesse pela arte nasceu por influência de seu pai. Aos 15 anos, frequentou cursos de pintura no ateliê de Jean-Denis Maillart (pintor da moda na Paris de 1941) e na oficina de gravura Stanley William Hayter. No entanto, por nunca ter realmente tido uma educação formal nas artes, considera-se um autoditada.
Começa a pintar de maneira abstrata em 1948, quando realiza seus primeiros trabalhos após obter influências da arte primitiva.
Em 1950, suas pinturas se tornam abstrações geométricas. Nesse período, através de Dany Lartigue (artista e filho de Jacques Henri Lartigue) conhece Pierre Dmitrienko (pintor russo-germânico, expoente da pintura abstrata do pós-Segunda Guerra) e François Arnal (pintor e escultor francês, também influente no pós-Segunda Guerra), com quem manteve relações amigáveis, e participa de diversos encontros que o ajudaram em seu processo criativo.
Também em 1950, expõe seu trabalho na galeria Raymond Creuze, onde conhece Serge Charchoune, um dos artistas que mais o influenciarão, ensinando-o a explorar um lado mais claro da abstração.
A partir de 1952, o artista dedica-se a uma tendência particular da abstração geométrica feita de formas simples, sem composição, usando a repetição, preferindo a linha à cor e privilegiando uma fatura neutra, rompendo com a corrente marcada por Herbin, Domela e Magnelli dominante na época através do “Salon des Réalités nouvelles” e nas galerias parisienses.
De 1953 a 1958, François Morellet cria sua linguagem estilística feita de linhas paralelas ou concêntricas, de quadrados ou de triângulos, de faixas ou de traços, a preto e branco ou a cores. O artista define o seu método de sistematização, no qual ele incluiu o recurso ao acaso, para contestar ainda mais o arbitrário de qualquer decisão de natureza artística e ao qual ele envolve a participação do espectador. Desenvolve seus temas principais incluindo o da grelha, a qual ele dá em 1958 uma versão intitulada 4 doubles trames traits minces 0° - 22,5°- 45° - 67,5° (Obra localizada em Paris, Centre Georges Pompidou, Musée National d’Art Moderne), que é uma de suas obras-primas e se tornou uma de suas criações mais famosas. No mesmo ano, o artista vê a sua primeira grande exposição organizada em Paris pela prestigiosa galeria Colette Allendy
No final dos anos 1950, em viagem ao Brasil, Morellet é apresentado a Almir Mavignier, que o coloca em contato com a obra do designer gráfico suíço Max Bill, um dos pioneiros da “Arte Concreta”, que passa a influenciar o artista francês.
Em 1961, o artista participa da exposição Novas Tendências, na Iugoslavia, a primeira mostra coletiva dedicada à arte concreta que ascendia em todo o mundo e serve de embrião para a histórica Responsive Eye, no MoMA, em 1965.
A partir de 1960, François Morellet participa do grande movimento da arte lumino-cinética que surgiu na França e no mundo. Com o grupo de arte nomeado Groupe de Research d’Art Visuel (G.R.A.V.), que co-fundou em 1961 junto com Horacio Garcia-Rossi, Julio Le Parc, Francisco Sobrino, Joel Stein e Yvaral, o artista multiplica suas experiências: recorre, por exemplo, ao uso de luz artificial, defende a criação coletiva, exige o abandono total da pintura e do quadro de cavalete, cria ambientes, organiza eventos efêmeros e busca a participação do espectador.
Essas práticas, contudo, são abandonadas antes do final da década. Com a dissolução do G.R.A.V., Morellet encontra sua liberdade como artista, e a vontade de agir e pensar por si mesmo. Ele considera as realizações do período apenas passado e retoma os principais temas que tinha desenvolvido antes de 1960. É o que demonstram os trabalhos que foram comentados anteriormente: um retorno à pintura de forma geométrica, aprofundando suas ideias iniciais para um novo começo.
Essa retomada, repleta de renovações, irá manifestar-se na exposição retrospectiva que John Leering organiza em 1971 no Stedelijk Van Abbemuseum em Eindhoven, na época um dos museus mais importantes da Europa, e que irá à Alemanha, à Bélgica e à França.
|
Fonte: "Dasartes" (dasartes.com.br) | 11/05/16.

Mauro Piva realiza acompanhamento de projetos semanais na Pintar +

O artista Mauro Piva, represnetado pela Galeria Leme, realiza a partir de maio, um “Acompanhamento de Projetos” semanal na sede da Pintar, da Pompéia.
A atividade, que ocorre sempre à sextas-feiras, das 14h às 17h, é destinada a artistas e pessoas que tenham o desejo de iniciar uma produção artística , e tem como objetivo o acompanhamento de projetos desenvolvidos pelos participantes, através de discussões e orientações técnicas, conceituais e teóricas. O investimento é R$ 280,00 por mês. Os interessados devem se inscrever através do telephone (11) 3873-0099 ou pelo e-mail: pintar@pintar.com.br
|
Mais informações:
Pintar
Pompéia: r. Cotoxó, 110, tel. (11) 3873-0099. Seg. a sex., 9h/18h; sáb., 10h/15h. www.pintar.com.br